Archive for the ‘Shows’ Category


Express: Ele vai te abalar! Adam Lambert triunfa com o Queen na Wembley Arena (Londres) – 24/02

By in fevereiro 28, 2015 • Filed in: Queen + Adam Lambert, Review, Shows


Adam Lambert segue os passos de Freddie Mercury durante a performance com a lenda do rock, Queen

Ele vai te abalar! Adam Lambert triunfa com o Queen na Wembley Arena

Faz quase 30 anos desde que o Queen fez uma performance de 20 minutos no Wembley Stadium, no Live Aid, que selou seu status de “lenda do rock”. E fazem quase 25 anos desde a morte do vocalista extravagante da banda, Freddie Mercury.

Durante o último quarto de século, o guitarrista Brian May (67), e o baterista Roger Taylor (65) mantiveram o Queen vivo – com algumas pedras no caminho. Agora, eles estão de volta no irmão mais novo do estádio, a Wembley Arena. Injustamente acusados de lucrar com o legado de Mercury enquanto John Deacon escolheu se aposentar, a dupla existiu com uma banda por um bom tempo sem um vocalista.

Tentativas de substituir o insubstituível tiveram algum sucesso – duetos com todos, desde 5ive à Robbie Williams à Jessie J, e a colaboração longa com o ex-vocalista da Free, Paul Rodgers. Todos deram um novo ar ao catálogo antigo, mas falharam em dar humor às músicas que eram muito fáceis de serem amadas.

Mas e a última colaboração do Queen com Adam Lambert, a antiga estrela do American Idol, que tinha apenas nove anos de idade quando Freddie faleceu?

Começando com “One Vision”, ele responde ao desafio de ficar no lugar de Mercury com grandes botas e uma grande performance vocal.

Lambert certamente tem a habilidade vocal e presença de palco para o trabalho, e tem muita confiança.

Flertando durante o show de duas horas ao vivo, sua energia infinita e entusiasmo pelo catálogo do Queen ficam claros. O homem que poderia ser o jovem aprendiz de Mercury está se divertindo – assim como May e Taylor, que claramente gostam da injeção de energia que Lambert traz.

O segredo do sucesso de Lambert, hoje à noite na SSE Arena, não é apenas a sua capacidade de (quase) coincidir com o alcance vocal de Mercury. Ele sabiamente pisa na tênue linha entre ser (nas palavras de May), “o cara novo”, mas mantem-se reverente ao legado do ex-vocalista. Como ele mesmo nos lembra, ele é tão fã quanto nós, e às vezes parece que ele não acredita no que está vivendo.

Durante a primeira metade do show, o revitalizado Queen animam o show com uma série de sucessos, incluindo “Fat Bottomed Girls” e “Stone Cold Crazy”. Muito rapidamente, Lambert tem a audiência na palma de sua mão, cuspindo água para o público e divertidamente perguntando à um membro do público feminino: “Eu te molhei?”

Trabalho feito, o jovem pretendente, em seguida, retira-se nos bastidores enquanto Brian May toma o centro do palco para tocar “Love Of My Life” – uma mudança de ritmo emocionante em um dueto do guitarrista com imagens de vídeo de Mercury – antes deles começarem a favorita folclórica “’39”.

Taylor, em seguida, dá um passo à frente para demonstrar algumas habilidades de percussão surpreendentes, e embarca em uma batalha de baterias com seu filho Rufus. (Embora rouco, ele também canta com grande efeito “A Kind Of Magic” e, com Lambert, a “Under Pressure”.)

Apesar de um solo de guitarra muito longo de May (qual é Bri, poderíamos ter usado esse tempo para ouvirmos outros hits), as grandes músicas continuam chegando, inclusive o deleite da multidão “Radio Ga Ga” e um perfeito “The Show Must Go On”.

A noite termina com um outro dueto com Mercury – desta vez em “Bohemian Rhapsody” – antes de um encore, com um Lambert coroado, de “Will Rock You” e “We Are The Champions”.

Se houve uma falha, é que Lambert, enquanto extremamente impressionante, não teve oportunidade suficiente para se entregar à luz e sombra que permitia Mercury de se conectar com o público. Enquanto sua voz poderosa não se cansa, há poucas demonstrações de vulnerabilidade – “Save Me” e “Who Wants To Live Forever” sendo exceções notáveis.

Lambert não se desculpa por não ser Freddie Mercury – ele está claramente ciente de que, mesmo depois de tanto tempo, a sombra do maestro bigodudo se agiganta cada vez mais.

O que pensamos da nova cara? Nós aprovamos. E ficamos com a sensação de que Freddie aprovaria também.

Autoria do Post: Elisa Ferrari
Tradução: Carol Martins C. e Elisa Ferrari
Fontes: Adam Lambert TV e Express

Share/Bookmark


Comunicado de Imprensa: Queen + Adam Lambert to Rock in Rio

By in fevereiro 27, 2015 • Filed in: Agenda, Queen + Adam Lambert, Shows

Confira a seguir o Comunicado de Imprensa do Queen anunciando o Show de Queen + Adam Lambert no Rock in Rio em 18 de Setembro:

27 de Fevereiro de 2015

Queen + Adam Lambert no Rock in Rio

Após trinta anos, Queen retorna com Adam Lambert a um local histórico recriando o Show do Rock in Rio 1985 para ‘Rock in Rio 30 Anos’

Após 67 shows ao redor do mundo com ingressos esgotados, Queen + Adam Lambert seguem para a América do Sul como atração principal da noite de abertura da edição do Rock in Rio Brasil “Celebração de 30 Anos”, na Sexta-Feira, 18 de Setembro.

Rio de Janeiro, 26 de Fevereiro, 2015 – Roberto Medina, Presidente e Fundador do Rock in Rio, comenta: “30 anos atrás, Queen fez uma apresentação para 250.000 pessoas que se apaixonaram pela banda e que transformou-se em um dos momentos mais emblemáticos do Rock in Rio. Tenho certeza que esses momentos de 30 anos atrás serão rejuvenescidos e exaltados com Queen + Adam Lambert, criando novamente um momento inesquecível.”

Os anos 70 viram o Queen ascender a realeza do rock. Com a chegada dos anos 80, eles eram indiscutivelmente uma das maiores bandas de rock do mundo. Para estar à altura de seu próprio mantra “Eu quero tudo, e quero agora”, o Queen estava determinado a quebrar qualquer barreira. Seguindo um caminho inédito, o Queen transformou-se na primeira banda de todos os tempos a fazer uma turnê em estádios sul-americanos, tocando em estádios da Copa do Mundo na Argentina e no Brasil, culminando em duas noites no estádio do Morumbi em São Paulo, em 20 e 21 de Março, 1981. Durante essas duas noites, Queen atraiu um impressionante público de 250.000 pessoas, naquele momento, o maior público pagante de shows que o mundo tinha visto.

Porém, o Queen estava prestes a marcar ainda mais sua história na América do Sul, quando em Janeiro de 1985, a banda retornou ao Brasil para ser a principal atração de duas noites, incluindo o show da noite de abertura, no Rock in Rio, um novo festival musical incrivelmente ambicioso, criado pelo empresário Roberto Medina, que tinha a meta de tornar-se um personagem principal no mercado global, não apenas para o Brasil ver, mas sim o mundo inteiro.

O show do Queen da noite de abertura, em 11 de Janeiro de 1985, na Cidade do Rock construída no Rio, detonou todos os recordes, atraindo uma audiência de mais de 250.000 pessoas.

A segunda performance da banda, em 18 de Janeiro, levou sua audiência total no Rock in Rio para mais de 500.000 pessoas. Transmitida via TV para mais de 60 países em todo o mundo, os shows do Queen foram assistidos por aproximadamente 200 milhões de telespectadores. Os álbuns do Queen ocuparam todas as posições no Top 10 dos álbuns mais vendidos no país e a música “Love Of My Life” transformou-se em um hino no Brasil.

A revista Billboard publicou a seguinte manchete: “South America Bites the Dust!” “Originalmente, viemos para a América do Sul porque fomos convidados. Eles queriam quatro rapazes normais para tocar umas músicas legais. Agora, gostaria de comprar o continente inteiro e nomear-me como Presidente”, brincou o entusiasmado Freddie naquele momento.

Agora, passadas três décadas desses shows consagrados, o Queen retornará ainda este ano para apresentar-se no festival Rock in Rio, agora inquestionavelmente um dos maiores eventos anuais no mundo. Queen + Adam Lambert serão a principal atração no palco central da noite de abertura da edição de 30 Anos do Rock in Rio, na sexta-feira, 18 de Setembro de 2015.

Queen e Lambert fizeram o anúncio no fim de sua recente turnê de 26 shows lotados no Reino Unido e outros países das Europa, que termina em 27 de Fevereiro com três shows adicionais no Reino Unido, onde a banda foi assistida por mais de 300.000 pessoas.
“Estamos de volta! Rockin’ in Rio! Mal podemos esperar! Vemos todos vocês lá!!”, anunciou o guitarrista do Queen, Brian May.

O baterista do Queen, Roger Taylor, disse: “É sensacional voltar ao Rio para sacudir vocês ainda mais do que na última vez.” E o cantor Adam Lambert acrescentou: “Estou tão animado em acompanhar o Queen no Rock in Rio! Esse será um retorno triunfante para eles, e minha primeira vez na América do Sul!”

O festival na íntegra do Rock in Rio 30 Anos ocorrerá em sete noites durante dois fins de semana – em 18, 19 e 20 de Setembro e 24, 25, 26 e 27 de Setembro. Outros artistas com participação confirmada são Katy Perry, System of a Down, Slipknot, A-Ha, Queens of the Stone Age, Faith No More, Hollywood Vampires, Metallica e John Legend.

Mais informações no site www.rockinrio.com.br

- Queen + Adam Lambert –

A primeira vez que o Queen juntou-se a Adam Lambert foi em 2009, para a performance de “We Are The Champions”, um dos principais hinos da banda, no episódio final da oitava temporada de “American Idol”. Lambert e Queen formaram a parceria novamente em 2011, no evento MTV European Music Awards em Belfast. No verão de 2012, eles fizeram seus primeiros shows ao vivo, com três apresentações lotadas na Inglaterra no Hammersmith Apollo de Londres, assim como shows na Rússia, Ucrânia e Polônia.

Em uma outra apresentação exclusiva onde eles roubaram a cena, juntos no Festival Musical e iHeartRadio, em Las Vegas em Setembro de 2013, incentivou uma conversa entre Adam, Roger e Brian para levar o show em uma turnê.

Durante os meses de Junho e Julho, Queen + Adam Lambert tocaram em 24 shows lotados na América do Norte, assim como shows para audiências lotadas no Japão, Coreia do Sul, Austrália e Nova Zelândia.

Eles terminaram 2014 apresentando-se para uma audiência superior a 12 milhões de telespectadores quando foram selecionados especialmente para tocar no programa especial de Fim de Ano da BBC Inglesa, “Queen + Adam Lambert Rock Big Bem”. Nas 24 horas posteriores, ‘Adam Lambert’ foi a busca mais realizada no Google no Reino Unido, com mais de 500.000 buscas por seu nome. O álbum mais recente do Queen, “Forever”, voltou para as paradas de sucesso, e o álbum de seus maiores sucessos retornou para a lista dos 40 álbuns mais vendidos.

No começo do ano novo, Q + AL iniciaram 2015 com força total, com 26 shows lotados em 10 países através do Reino Unido e Europa, levando seu show aclamado pela crítica para França, Áustria, Holanda, Alemanha, Itália, Dinamarca, Suíça e Polônia, quase fechando o ciclo completo na sua turnê mundial que começou nos Estados Unidos em Junho de 2014.

Agora, a caminho da América do Sul, Queen + Adam Lambert vão em direção ao Brasil para o maior show da banda até agora. “Do ponto de vista técnico, definitivamente é uma produção maior do que dois anos atrás” diz o cantor Adam Lambert. “Tivemos mais cidades para visitar, então decidimos incrementar a parte visual e o palco, e claro, tocamos todos os maiores sucessos da banda”.

“Temos um projeto cenográfico muito interessante. É grande e ousado. Vamos levá-lo ao limite.”, conta Brian May. “Cada vez que trabalhamos com Adam e nossas músicas, ele é simplesmente um vocalista incrível”, diz Roger Taylor. “Ele é sensacional. Ele tem essa amplitude vocal impressionante, e como o Freddie tinha essa grande amplitude, o Adam consegue replicá-la. Ele é um cantor extraordinário e um talento de verdade. Sinto que ele se encaixa no nosso estilo de teatralidade. É muito confortável”.

O Queen conquistou uma lista impressionante e insuperável de vendas, prêmios e indicações para o “Hall da Fama”. Vendas de centenas de milhões de unidades, incluindo uma sequência sem precedentes de álbuns e singles no topo das paradas, mantém o Queen na lista de Top 10 de todos os tempos da iTunes Store. Ano passado, o Queen foi oficialmente reconhecido como os primeiros artistas a vender mais de seis milhões de cópias de um álbum no Reino Unido com seu álbum “Greatest Hits”, superando até mesmo as vendas do álbum “Sgt. Pepper” dos Beatles por aproximadamente um milhão de cópias, alcançando o fato espantoso de que uma em três residências no Reino Unido agora possui uma cópia original do álbum de “Greatest Hits” da banda.

As performances impressionantes de Adam Lambert na oitava temporada de American Idol ainda são amplamente lembradas como alguns dos momentos mais fascinantes da história do programa. Adam foi indicado ao Grammy na categoria Melhor Performance Vocal Pop Masculina por seu álbum de estreia “For Your Entertainment”. Seu segundo álbum, “Trespassing”, estreou em primeiro lugar na lista dos álbuns mais vendidos da Billboard. Sua turnê seguinte levou Lambert da Austrália à África do Sul, através da Ásia e Leste Europeu e culminou em um show lotado em Helsinki, na Finlândia. Em 2013, Lambert teve uma participação especial no programa de TV de sucesso GLEE. Atualmente, ele está terminando de compor as músicas e gravar seu terceiro álbum, “The Original High”, que será lançado nesse inverno, com a primeira música prevista para lançamento em Abril.

“Freddie Mercury sobre o Brasil”: “É maravilhoso. A luz do sol faz tanta diferença. As pessoas podem soltar-se aqui. Eles são uma audiência maravilhosa e amo suas demonstrações de emoção. Eles se entusiasmam demais algumas vezes, mas posso tomar conta do palco e mostrar quem está no controle.”

- Sobre o Rock in Rio –

Com sua história de 30 anos, Rock in Rio é o maior evento musical e de entretenimento no mundo por várias razões. Das 14 edições passadas, cinco foram no Brasil (1985, 1991, 2001, 2011 e 2013), seis em Portugal (2004, 2006, 2008, 2010, 2012 e 2014) e três na Espanha (2008, 2010 e 2012). Em 2015, o Rock in Rio será em Las Vegas (USA), em Maio, pela primeira vez. Em Setembro, a sexta edição no Brasil será na Cidade do Rock.

Adam Lambert também postou em sua página oficial do Facebook, clique aqui para conferir.

Autoria do Post: Josy Loos
Tradução: Lucas Marques/Queen Brazil
Fonte: The Official Queen Online



Queen + Adam Lambert confirmados no Rock in Rio!!!

By in fevereiro 27, 2015 • Filed in: Notícias, Queen + Adam Lambert, Shows

E os rumores finalmente se confirmaram!! Teremos Show do QUEEN + ADAM LAMBERT no Rock in Rio no dia 18 de Setembro, a primeira noite do Festival! Confira o comunicado no Site Oficial do Rock in Rio:

Queen + Adam Lambert: o retorno da realeza ao Rock in Rio

Que o Queen fez história no Rock in Rio não é novidade para ninguém: headliner desde a primeira edição do festival, em 1985, o grupo britânico fez dois shows inesquecíveis na Cidade do Rock.

Agora, nos 30 anos do festival, o guitarrista Brian May e o baterista Roger Taylor, membros-fundadores da banda, trazem toda a glória de um dos maiores grupos de todos os tempos para escrever mais uma página da história. Para voltarem em grande estilo, contam com o reforço de Adam Lambert. Talvez você até já saiba, mas não custa dizer: Adam é um gigante no palco. Ator, compositor e cantor, ele “só” vendeu 200 mil cópias do seu álbum de estreia em uma única semana. O segundo foi direto para o topo dos 200 mais vendidos da Billboard.

O supergrupo tem sido aclamado por onde passa. Agora, é a nossa vez! Queen + Adam Lambert no primeiro dia do Rock in Rio Brasil 2015, em 18 de setembro. Vai perder?

Além deles, o line-up do festival conta também com o retorno do A-ha, John Legend, Katy Perry, mais um time de peso. E é só o começo.

Não esqueça: a venda de ingressos acontece em abril.

Caso queira ver diretamente no próprio site, clique aqui.

Autoria do Post: Josy Loos
Fonte: Site Oficial do Rock in Rio



All About Music: “Adam Lambert foi uma parte fundamental para esse show épico” – 21/02

By in fevereiro 26, 2015 • Filed in: Queen + Adam Lambert, Review, Shows

Queen + Adam Lambert se apresentaram na Krakow Arena

“Obrigado a todos vocês pela maravilhosa oportunidade de cantar com esse time incrível” – Adam Lambert disse para a audiência em Cracóvia. Adam – você não tem que nos agradecer, você mereceu isso 100%.

Foi uma noite incrível. A realização dos sonhos mais secretos. Para mim, sonhos se tornaram realidade para as mais de quinze mil pessoas presentes na Krakow Arena. Durante as mais de duas horas de show, todos viram uma das mais lendárias bandas de rock da história. De fato, sem Freddie Mercury, ícone inesquecível que pode estar observando toda essa trajetória. E sem John Deacon, baixista que não quis continuar sua carreira sem seu amigo de bigode. Mas ainda é o Queen com Brian May e Roger Taylor, membros originais desse incrível e único conjunto. Para ajudá-los, um jovem, belo e extremamente talentoso, que apesar das inúmeras críticas recebidas, assumiu o fardo de ser o vocalista de uma das maiores criações da música britânica. E isso sem dificuldades e totalmente relaxado. O show começou com uma introdução de aproximadamente 20 minutos, tocada nos alto-falantes ao lado do grande pano branco que continha o logo do Queen e cobria o palco. O som ambiente se transformou no começo de “One Vision” – música com a qual o Queen começava muitos dos seus shows, desde 1986. Quando a cortina finalmente caiu, vestido como Elvis Presley na segunda metade dos anos 60, surgem Adam, os cabelos brancos de Brian e Roger, acompanhados de grandes músicos, incluindo Rufus, filho de Taylor. Ele auxilia seu pai durante a turnê atual, que não tem mais condições físicas de tocar a bateria durante todo o show. “Por mais que eu ainda não acredite em tudo que tem acontecido, obrigado a todos vocês pela maravilhosa oportunidade de cantar com esse time incrível” – Adam Lambert diz para a audiência. Adam – você não tem que nos agradecer, você mereceu isso 100%.

Depois de apresentarem “One Vision”, ainda no começo do show, ouvimos “Another One Bites The Dust”, “Fat Bottomed Girls”, durante a qual Brian May caminha pela passarela, com uma câmera acoplada a sua guitarra, filmando a quase lotada arena. Em seguida tocam “I Want To Break Free”.

Então, foi a vez de uma performance mais intimista. Brian estava entusiasmado com seu violão. Ele sentou no palco e anunciou a execução da linda balada “Love Of My Life”. Ele pediu para que todos os presentes o ajudassem a cantar aquela música em memória de seu grande amigo – Freddie Mercury. Quando ele disse essas palavras, não foi difícil notar as lágrimas que surgiram através de suas pálpebras já enrugadas. Enquanto ele interpretava essa composição, o público ligou as lanternas de seus celulares, criando um cenário maravilhoso. Brian não escondeu sua admiração pela cena. Em “Love Of My Live”, Freddie Mercury também apareceu por alguns segundos, em uma grande tela, mostrando sua performance no Wembley, em 1986. Aquele foi um momento lindo e muito tocante, que será dificilmente esquecido.

A segunda parte do show começou com uma emocionante batalha de baterias entre o velho e o novo Taylor. É difícil determinar o vencedor da batalha, mas, para mim, a vitória foi claramente de Roger, que é 30 anos mais velho e mesmo assim parece simplesmente amável.

Em seguida, ouvimos “A King Of Magic”, e o baterista assume o microfone. “Somebody To Love”, “Who Wants To Live Forever”, durante a qual um globo de luz foi descendo, refletindo os lasers de luz pelo palco. Tivemos também “I Want It All”, em que foi ouvido um coro pomposo de toda a Krakow Arena. Depois, Brian May fez um solo de guitarra fascinante que durou mais de 10 minutos. Então, eles tocaram de um jeito mais lento a canção “Radio Ga Ga”, e durante o refrão tivemos as tradicionais palmas que acontecem todas as vezes, desde 1985, quando setenta e duas mil pessoas bateram palmas em sincronia no Live Aid em Londres, dia em que a banda britânica roubou a cena.

Na parte final, temos essas duas maravilhosas composições, sem as quais não parece certo terminar o show. “The Show Must Go On”, que nunca foi cantada ao vivo por Freddie, e “Bohemian Rhapsody”, uma canção lendária, um marco não só para o Queen, mas para toda a história do rock. Depois de um tempo, os músicos deixaram o palco. Os estrondosos aplausos começaram para que eles voltassem, e lá estavam eles de volta para mais duas músicas: “We Will Rock You”, na qual o êxtase da audiência atingiu um nível critico, e “We Are The Champion”, ideal para finalizar esse maravilhoso show. Foi difícil deixar a Krakow Arena. Seria bom continuar lá por mais alguns dias assistindo novamente o show que acabou de terminar. Esse concerto foi absolutamente perfeito, não apenas pela alta qualidade, um enorme palco com o grande “Q”, telas, luzes, lasers, fumaça, confete, tudo criando o melhor show que eu já vi. Agora eu estou pensando quem será capaz de superá-lo no futuro. Talvez apenas o próprio Queen.

E uma parte fundamental para esse show épico foi, sem dúvidas, Adam Lambert. Sua habilidade vocal, a qual ninguém tem direito de duvidar, em seu trabalho solo ou mesmo durante os últimos concertos com Queen; ele tem se mostrado um músico acima da média. Sua voz estridente combina perfeitamente com as músicas desses britânicos. Um dos maiores chamativos, no entanto, era sua atitude no palco. Dois anos atrás, se apresentando com seus novos amigos, ele parecia um estudante assustado com os exames finais. Ontem, ele se apresentou como um veterano. Exalando confiança, cativando facilmente a audiência. Trocando de roupa cinco vezes, como uma verdadeira diva. Um bom substituto para Freddie, mas não tentando ocupar seu lugar. Ele fez tudo do seu próprio jeito, o que pareceu agradar a todos que assistiam o show ontem. No momento, eu não consigo imaginar mais ninguém junto com o Queen. Depois de uma aventura sem muito sucesso com Paul Rodgers, May e Taylor encontraram a pessoa certa para ocupar esse lugar de elite. Eu também tenho grande respeito por Brian e Roger que, apesar de suas idades, mantêm a alegria e o vigor para tocar seus grandes sucessos para seus fãs. As rugas em seus rostos ou os cabelos brancos não afastaram a energia do rock que dura mais de 40 anos. A audiência também estava fantástica. Ao meu lado, muitos adolescentes e pessoas jovens, algumas famílias com seus filhos, avós com seus netos. Apesar destas diferenças de idades, todos pareciam estar com seus vinte anos. Isso provavelmente ilustra muito bem como o Queen é um bom time, e lendas do rock e que de fato suas músicas são capazes de se conectarem a todas as gerações.

Autoria do Post: Elisa Ferrari
Tradução: Sandra Saez
Fontes: Adam Lambert TV e All About Music



Gazeta Wyborcza: Queen e Adam Lambert, um show de realeza, Cracóvia (Polônia) – 21/02

By in fevereiro 25, 2015 • Filed in: Queen + Adam Lambert, Review, Shows

Queen e Adam Lambert, um show de realeza

O show começou por volta das 20h20m na noite de sábado. O público ouviu as primeiras notas de “One Vision”, e uma grande sombra de Brian May apareceu na cortina. Depois de alguns sons de guitarra a cortina caiu.

Encantador no palco

Cracóvia deu as boas vindas e teve a oportunidade de ver a esses músicos excepcionais. Adam Lambert encantou o público do começo ao fim. O jovem cantor enfatizou mais uma vez durante o show que é uma honra para ele, e também um tributo a Freddie Mercury estar ali. Lambert seduziu com sua voz cantando “Another One Bites The Dust”, “Save Me”, “Who Wants To Live Forever” e “Crazy Little Thing Called Love”.
Mostrando seu talento vocal, mas também revelou sua habilidade de atuação na hora de “Killer Queen”. No entanto, na canção “Bohemian Rhapsody” os fãs foram capazes de comparar o talento do ex e atual vocalista do Queen. Em uma tela de vídeo grande Freddie Mercury cantou para o público de Cracóvia. Foi um momento em que se encheram de lágrimas os olhos de muitos fãs.

O momento mais mágico do show de 2,5 horas foi a balada “Love Of My Life”. Brian May pediu ao público para cantar essa música junto para prestarem homenagem a Freddie. A Krakow Arena se iluminou quando o púbico acendeu milhares de luzes no celular, enquanto Mercury aparecia na tela grande. Como um bis a banda tocou a famosa “We Will Rock You” (na qual todos aplaudiram e bateram os pés) e “We Are The Champions”. Com os aplausos do público e elogios eles agradeceram. E os músicos desceram do palco no som de “God Save The Queen”.

Queen conecta com novas gerações

Depois do show, os fãs comentaram sobre o cantor: – “Gostamos muito de Adam Lambert, mas não em todas as músicas. Algumas das canções, ninguém canta como Freddie” – disse o Sr. Jan (um fã há 30 anos – observou ele) após o show. Sua esposa Christine compartilhou sentimentos similares. “Se Freddie Mercury não tivesse aparecido, Lambert seria muito bom” – disse ela.

O fato é que a banda Queen se conecta com gerações, e pode ser visto durante o show um duelo de bateria entre Roger Taylor e seu filho de 24 anos de idade, Rufus Tiger Taylor. Um jovem baterista como seu pai, que encantou o público com esse duelo e imenso talento. Mas o vínculo de gerações também foi visto na plateia. Os pais que amam Queen desde sua adolescência trouxeram, para a arena, seus filhos que estão descobrindo a magia desta banda.

“Quando criança, eu fui a um show do Queen, eu adoro Freddie Mercury e a banda desde o início”, disse Mr. Zygmunt quem trouxe seu filho de 12 anos de idade. – “Hoje ele é um fã de ‘Queen’, e até mesmo de Lambert” – acrescentou apontando o jovem adolescente.

Melhor do que em Berlim

Muitos fãs vieram a Tauron Arena em Cracóvia para ver o show do Queen pela primeira vez, bem também como aqueles que por vários anos têm acompanhado os músicos, e ido ao seus shows anteriores. Impressionado com o show em Cracóvia ficou Maciej Kuszlewicz, um membro do fã-clube oficial do Queen. Ele veio de Danzig e presenciou seu oitavo show da sua querida banda. – “O show em Cracóvia foi incrível. Incomparavelmente melhor do que o show em Berlim, no início de fevereiro. Especialmente o público, foi fantástico, ativos, cantando e batendo palmas” – comentou Maciej.

Como foi dito antes, o show pode agradar tanto aos fãs obstinado, como aqueles que vieram pela primeira vez.

“Você tem que apreciar o empenho de toda a equipe de músicos, eles estavam ativos e aberto ao público” – enfatizou. – “A desvantagem para mim foi que teve muitas coisas repetidas da apresentação de Berlim, mas se alguém foi pela primeira vez no show, ele podia sentir a magia. Você até pode perdoar alguns pequenos deslizes. Estou muito feliz que eu estive aqui hoje, foi uma grande noite” – resumiu Maciej Kuszlewicz.

Autoria do Post: Josy Loos
Tradução: Sandra Saez
Fontes: Adam Lambert TV e Gazeta Wyborcza



Onet Rozrywka: Queen e Adam Lambert em Cracóvia: “Queen” e o Rei Adam

By in fevereiro 25, 2015 • Filed in: Queen + Adam Lambert, Review, Shows

Queen e Adam Lambert em Cracóvia: “Queen” e o Rei Adam

O Queen sem Freddie Mercury ainda é o Queen? Essa dúvida perseguiu Brian May toda vez que colocava um novo cantor com a banda. Mas milhares de respostas e pessoas cantando no show na Krakow Arena parecem tirar qualquer dúvida – Adam Lambert como vocalista do Queen funciona, e Freddie certamente estaria orgulhoso dele.

Adam Lambert parece se encaixar no papel de sucessor de Mercury. Ele ganhou popularidade por ter participando do “American Idol” cantando “Bohemian Rhpasody”. Depois ele cantou com Brian May e Roger Taylor em um dos episódios do programa e as coisas aconteceram rapidamente.

Lambert não está tentando imitar Freddie, mas ele naturalmente lembra o artista. Ele tem um alcance vocal igualmente impressionante, é homossexual com orgulho, gosta de roupas detalhadas (em Cracóvia ele se trocou pelo menos cinco vezes), e é um artista nato. Ao mesmo tempo é bem limitado, e quando fala entre as músicas, agradece a audiência por lhe dar uma chance, que responde entusiasticamente ao invés de acusá-lo de estar fazendo algo errado.

O show foi um exemplo perfeito de como eram os antigos, em que o espectador não fica entediado momento nenhum. Foram quase 30 músicas, 2 horas e meia de hits sem interrupções misturados com músicas do início da carreira. Houve um solo entre pai e filho, troca de instrumentos, mudança de vocalista e a cereja do bolo foi Freddie cantando em uma tela gigante algumas vezes.

Nessa turnê, Brian May escolheu números mais antigos e desconhecidos. É sabido que a audiência respondeu mais vigorosamente à “Radio Ga Ga”, “Bohemian Rhapsody”, “I Want It All” e o final com “We Will Rock You” e “We Are The Champions”. Mas por outro lado, “Tie Your Mother Down”, “Stone Cold Crazy” e “Dragon Attack” mostraram que os membros restantes do Queen continuam felizes e pulando pelo palco.

É difícil encontrar alguma fraqueza no show do Queen em Cracóvia. E é difícil escolher os melhores momentos – houve muitos. Não é fácil escolher Roger Taylor cantando “A Kind Of Magic” e em uma batalha de bateria com seu filho ou Brian May tocando um solo de 10 minutos (e sua selfie tridimensional com a plateia) ou Lambert cantando um “dueto” com Freddie, cuspindo champanhe e terminando a performance com uma coroa.

O Queen durante 20 anos só lançou um álbum com material novo e perdeu seu amado líder, mas ainda consegue lotar estádios facilmente. Vamos ver se algo consegue superar isso.

Autoria do Post: Josy Loos
Tradução: Carolina Martins C.
Fontes: @erikastilton e Onet Rozrywka



Show Queen + Adam Lambert, Londres (Inglaterra) – 24/02

By in fevereiro 25, 2015 • Filed in: Queen + Adam Lambert, Review, Shows

Nesta terça-feira (24), tivemos o 23º Show da Turnê Queen + Adam Lambert 2015 na Europa. O show foi realizado em Londres (Inglaterra) no The SSE Arena Wembley. O setlist foi composto por 25 músicas: One Vision, Stone Cold Crazy, Another One Bites The Dust, Fat Bottomed Girls, Lap Of The Gods, Seven Seas Of Rhye, Killer Queen, I Want To Break Free, Don’t Stop Me Now, Somebody To Love, Love Of My Life, ’39, A Kind Of Magic, Under Pressure, Save Me, Who Wants To Live Forever, Tie Your Mother Down, Dragon Attack, I Want It All, Radio Ga Ga, Crazy Little Thing Called Love, The Show Must Go On, Bohemian Rhapsody, We Will Rock You, We Are The Champions. Confira as performances abaixo:

Crazy Little Thing Called Love

One Vision | Stone Cold Crazy | Another One Bites The Dust | Fat Bottomed Girls | Lap Of The Gods & Seven Seas Of Rhye & Killer Queen | I Want To Break Free | Don’t Stop Me Now | Somebody To Love | Love Of My Life | ’39 | A Kind Of Magic | Under Pressure | Save Me | Who Wants To Live Forever | Tie Your Mother Down | Dragon Attack | I Want It All | Radio Ga Ga | The Show Must Go On | Bohemian Rhapsody | We Will Rock You | We Are The Champions | We Will Rock You & We Are The Champions

MAIS VÍDEOS:

One Vision: Vídeo 2 | Vídeo 3
Stone Cold Crazy: Vídeo 2
Another One Bites The Dust:
Fat Bottomed Girls: Vídeo 2
Lap Of The Gods:
Seven Seas Of Rhye:
Killer Queen: Vídeo 1 | Vídeo 2
Lap Of the Gods & Seven Seas Of Rhye & Killer Queen: Vídeo 2
I Want To Break Free:
Don’t Stop Me Now:
Somebody To Love: Vídeo 2 | Vídeo 3
Love Of My Life: Vídeo 2
’39:
A Kind Of Magic:
Under Pressure:
Save Me: Vídeo 2 | Vídeo 3
Who Wants To Live Forever: Vídeo 2 | Vídeo 3
Tie Your Mother Down:
Dragon Attack: Vídeo 2
I Want It All:
Radio Ga Ga: Vídeo 2 | Vídeo 3
Crazy Little Thing Called Love:
The Show Must Go On: Vídeo 2
Bohemian Rhapsody:
We Will Rock You:
We Are The Champions: Vídeo 1
We Will Rock You & We Are The Champions: Vídeo 2
Solo de Bateria de Roger & Rufus: Vídeo 1
Solo de Guitarra de Brian:
All Your Love Tonight: Vídeo 1 | Vídeo 2

Os vídeos serão atualizados conforme forem disponibilizados!

Autoria do Post: Josy Loos
Fontes: Idol Forums, @LglambertsPeru, @AdamLambertSG e @ssearena



Twitter Oficial da SSE Arena Wembley anuncia itens de Queen + Adam Lambert à venda para o show de hoje!

By in fevereiro 24, 2015 • Filed in: Queen + Adam Lambert, Shows, Twitter

O Twitter Oficial da SSE Arena Wembley, arena londrina onde Queen + Adam Lambert se apresentaram na noite de hoje, anunciou os itens da banda que estavam à venda!

Fãs do Queen + Adam Lambert: vejam alguns exemplos dos itens que estaremos vendendo aqui hoje a noite! O show começa às 20h15m!


Às 14h20m, a equipe da arena revelou que a banda estava realizando a checagem do som, e que “eles soavam incríveis”. Uma hora atrás, o twitter da Wembley também anunciou que os portões foram abertos. Já foram postadas algumas fotos e um vídeo teaser do show de hoje, que você confere clicando aqui.

Autoria do Post: Elisa Ferrari
Fonte: SSE Arena Wembley/Twitter



iRegiony: Review do Show de Queen + Adam Lambert em Praga (República Checa) – 17/02

By in fevereiro 24, 2015 • Filed in: Queen + Adam Lambert, Review, Shows

Queen com Adam Lambert

Praga – Mesmo Freddie Mercury não estando lá naquela noite, era possível sentir sua presença na lotada O2 Arena na noite de terça-feira durante o show da lendária banda britânica – e o Queen sabe disso. E foi graças aos telões e arquivos de vídeos que nós pudemos lembrar de Freddie, por exemplo, durante a interpretação de “Bohemian Rhapsody”, sem falar na atmosfera geral que prestava homenagem à estrela que, em 1991, morreu devido à AIDS.

“Vamos lá, nós iremos cantar e tentar fazer mágica”, disse o cantor Adam Lambert à audiência. Ele apareceu ao lado do Queen pela primeira vez em 2009, nas finais da competição de talentos “American Idol”. Algumas conversas e, desde então, os músicos (dos membros originais do quarteto britânico permaneceram apenas o guitarrista Brian May e o baterista Roger Taylor) começaram a se encontrar mais frequentemente e suas colaborações resultaram na turnê atual pelo Reino Unido e Europa.

Inúmeras críticas entusiasmadas

Apesar de alguns fãs não gostarem da nova versão do Queen, a verdade é que é difícil de avaliar o fato de Adam Lambert dividir o palco com Brian May e Roger Taylor. Simpaticamente, ele não tenta imitar Freddie e usa sua elegância e teatralidade exagerada – que é própria do Queen. Adam usa muitas roupas extravagantes (para aquela noite ele tinha cinco outfits diferentes) e a audiência é capaz de aproveitar sua capacidade vocal, que é sempre um desafio com as músicas difíceis de Freddie.

O show começou com a música “One Vision”, que foi incluída em 1985 no álbum “A Kind Of Magic”. Ela foi seguida pela antiga “Stone Cold Crazy”, 1974. O conhecido baixo de solo de 35 anos de idade se seguiu para “Another One Bites The Dust”, do álbum “The Game”. O set continua cheio de hits como “Killer Queen”, “We Will Rock You” e, finalmente, “We Are The Champions”. Além de Lambert e May terem assumido os vocais, o baterista Taylor também cantou hits como “Under Pressure”, “These Are The Days Of Our Lives” e “A Kind Of Magic”.

Autoria do Post: Elisa Ferrari
Tradução: Gisele Duarte
Fontes: Adam Lambert Fan Club e iRegiony



Tages-Anzeiger: “O Fator Freddie” – Zurique (Suíça) – 19/02

By in fevereiro 23, 2015 • Filed in: Queen + Adam Lambert, Review, Shows

O Fator Freddie

Queen na arena com Adam Lambert no lugar de Freddie Mercury: funciona se você deixar.

O Queen vendeu centenas de milhões de faixas e dúzias de músicas que todos conhecem até hoje. Nos anos 90, o quarteto virou uma dupla por causa de dois problemas: o primeiro é chamado John, o antigo baixista que não acreditava na ressuscitação de seu colega e se aposentou em 1997. Deacon era um excelente músico e compositor, mas o baixista não é o principal. O segundo problema parecia ser não solucionável: Freddie Mercury morreu, em 1991, por causa de complicações do HIV, uma das primeiras vítimas proeminentes da doença.

Mercury continua sendo lembrado, inesquecível, insubstituível. Com uma grande voz, seu humor, seu carisma e sua homossexualidade continuam presentes. Ele era muito menos impressionado pela sua arte do que sua audiência de milhões de pessoas eram. Ele disse que suas músicas são como lenços de papel, úteis quando necessário e podem ser descartadas depois. Um jornalista perguntou o que sobraria de sua arte, e ele disse: “Eu não ligo, querido, porque eu estarei morto”.

O fã no centro do palco

Mercury está morto, Deacon se foi, e o resto toca no Hallenstadion com músicos convidados, e o repertório de uma longa carreira. E com a primeira das quase trinta músicas apresentadas, “One Vision”, do álbum “A Kind Of Magic”, de 1986, nós podemos dizer: grandes músicas e performances continuam no sistema.

E o show faz sucesso por causa do cantor americano convidado, Adam Lambert, que assumiu a tarefa impossível de ficar no lugar de Mercury. “Vamos celebrar os motivos pelos quais nos apaixonamos por essa banda”, disse o artista de 33 anos, e ele é o que mais o celebra, sendo também um fã. Ele cantou “Bohemian Rhapsody” na audição para o American Idol. “Ninguém pode substituir Freddie Mercury”, ele disse em entrevistas. E ele faz algo bom: canta sem negar a existência do outro.

Gay Nativo

O Queen já havia tentado tocar novamente no novo milênio com o cantor de rock britânico, Paul Rodgers. A parceria não funcionou porque Rodgers não tinha nada do fantástico Mercury: voz potente, grandeza, glamour, ironia, pose de estrela… em outras palavras: Freddie Mercury era desinibidamente gay, como Thomas Mann e Winnetou [personagens alemães] juntos.

E também havia algo único nessa banda: eles cantavam músicas heterossexuais com um cantor gay, como uma parodia de sua masculinidade.

O final empolgante

Com o exuberante Adam Lambert, essa combinação foi restaurada: “O fator Freddie”, como o Guardian chamou, e ele diverte a plateia durante as duas horas e meia de show.

A performance de quinta-feira obtinha sucesso cada vez que Lambert se colocava no centro do palco e brilhava em músicas como “Another One Bites The Dust”, “Killer Queen” ou “Tie Your Mother Down”, cantada em várias oitavas sem hesitação, e o furioso final em coro com todo o estádio em “We Will Rock You” e “We Are The Champions”, ateando fogo sobre o local.

Tédio absurdo

Por que ainda há uma sensação de decepção restante? Por que não parece que o episódio foi apenas feito de sucesso? Porque o Queen repetiu o mesmo erro que os subverteu em julho de 1986 no Hallenstadion, quando Mercury ainda estava vivo: os membros fundadores restantes são seduzidos por sua vaidade. E eles assumem os piores excessos dos anos 60 – solos longos de guitarra e bateria, alimentando um enorme tédio.

Quando o guitarrista Brian May entoa “Love Of My Life” sozinho no violão, enquanto Mercury enche o telão atrás dele com humildade, seus olhos se enchem de lágrimas, que ele seca depois. Mas quando ele e o baterista Roger Taylor deixam seu egoísmo de lado, o público é presenteado com música boa novamente. Lamentavelmente, o público pensa sobre quais membros da banda ainda realmente sabem tocar, e deseja que os músicos trouxessem seu talento mais familiar do que os seus acordes automáticos.

De qualquer maneira, e de forma reconfortante: no palco, os músicos tocam juntos com um prazer óbvio, e não há nada melhor que isso em um show, porque a plateia compartilha do entusiasmo. É para isso que servem aqueles lencinhos que deixamos nos bolsos: para nos recompormos fisicamente de uma desestruturação emocional.

Autoria do Post: Elisa Ferrari
Tradução: Carol Martins C. e Elisa Ferrari
Fontes: Adam Lambert TV e Tages-Anzeiger



Tutto Notizie: Queen + Adam Lambert em Milão. A ressurreição do Queen!

By in fevereiro 22, 2015 • Filed in: Queen + Adam Lambert, Review, Shows

Queen + Adam Lambert em Milão. A ressurreição do Queen!

No símbolo oficial do Queen, nascido em 1971, Freddie Mercury desenhou os signos do zodíaco dos quatro membros da banda cercando um grande Q central, com uma coroa dentro. A composição foi completada por uma fênix gigante, um símbolo de eternidade e renascimento das cinzas. Nada seria mais profético, desde a morte do vocalista em 1991 e a aposentadoria do baixista John Deacon, a banda foi reduzida às cinzas.

Hoje o guitarrista Brian May e o baterista Roger Taylor, ambos membros fundadores do grupo britânico, encontraram uma maneira de ressuscitar a banda das cinzas. Encontrando no virtuoso garoto americano, Adam Lambert, a perfeita ferramenta para reconstruir a máquina de shows que com a morte de Freddie parecia ter acabado de vez.

O Queen + Adam Lambert se encontraram e treinaram em 2009-2010, fazendo uma participação no programa “American Idol” para tocar algumas músicas com os finalistas do programa, incluindo Adam Lambert. A partir daí começaram uma série de eventos que levaram a maturação das habilidades vocais e desempenho de Lambert, que logo estava pronto para ocupar seu lugar na banda que ainda tinha algo para mostrar aos seus fãs. Uma turnê com poucas datas aconteceu na Europa em 2012 e uma enorme turnê pela América do Norte, Ásia e Oceania em 2014 reacendeu a paixão dos fãs dessa banda cujas canções fizeram história no mundo do rock e da música, continuando na imaginação coletiva com clássicos incontáveis e eternos.

Fortalecido por esse sucesso, eles decidiram embarcar para uma turnê na Europa em 2015. O primeiro show foi uma apresentação em Londres, transmitida para o mundo pela BBC na noite de ano novo e irá terminar no final de fevereiro. Muitas datas no Reino Unido e vários países na Europa, incluindo a Itália, uma data que ficará gravada na história. O retorno dos campeões, acompanhados do jovem vocalista tomou o lugar em Milão, no Assago Fórum, dia 10 de fevereiro. Muitas dúvidas, começando pela habilidade de Lambert, uma parte dos fãs acreditam que ele não é capaz de assumir o papel e que ele está usurpando o trono de Mercury, junto com os membros de quase 70 anos, May e Taylor. Para alimentar o fogo da dúvida e a controvérsia, Adam contraiu uma bronquite, forçando o grupo a cancelar o show em Bruxelas e boatos sobre um possível cancelamento do show da Itália também.

Mas isso não aconteceu, o show ocorreu normalmente e estava com os ingressos esgotados, o que não foi o único feito do grupo. A banda provou estar em ótima forma e a bronquite não impediu Lambert de fazer uma virtuosa apresentação, convencendo até mesmo os mais céticos sobre ele ser capaz de desempenhar o papel do ponto de vista de sua extensão vocal, mas também pela sua teatralidade e gestos, se apresentando com todo respeito ao falecido Mercury e o celebrando.

Lambert convence, emociona, dá frescor e inova as canções mais antigas do grupo, até apresentando um dueto em “Bohemian Rhapsody” com o “fantasma” de Freddie na grande tela. Também demonstra humildade agradecendo a audiência por “dar a chance de celebrar essa banda histórica e o único e insubstituível Freddie Mercury.”

Taylor, acompanhado na bateria por seu filho Rufus, provou estar em boa forma, preenchendo uma sessão rítmica complicada devido ao avanço de sua idade, enquanto May desempenha solos poderosos, precisos, teatrais e algumas vezes exagerados. Se movendo no palco como uma criança e emocionando em sua seção acústica, apresentando “Love Of My Life” (um dueto com o já conhecido fantasma de Freddie) que cantou do começo ao final acompanhado de um emocionado público italiano que repetidamente agradeceu a banda durante as músicas.

Para completar a banda, substituindo o baixista Deacon, o virtuoso e preciso Neil Farclough, colaborador de confiança de May, enquanto nos teclados, o antigo colaborador do Queen desde o show em Wembley com Freddie nos anos 80, Spike Edney.

O supergrupo estava inspirado aquela noite, e deu à audiência uma performance difícil de se esquecer, em cima de um palco exagerado: um grande Q móvel continha uma tela de alta definição e era completado por uma passarela que levava a um palco menor que era mais próximo do público. Além do majestoso palco, havia um espetacular jogo de luzes que interagiam para enfatizar as várias partes das músicas tocadas. Uma experiência que envolveu pessoas de todas as idades. Uma geração que acompanhou o jovem Queen (décadas de 70 e 80) até a nova geração (décadas de 90 e 2000), todos testemunharam a imortalidade da fênix que foi capaz de ressurgir das cinzas. Deus abençoe o “Queen”.

Autoria do Post: Josy Loos
Tradução: Gisele Duarte
Fontes: Adam Lambert Fan Club e Tutto Notizie