Archive for the ‘Artigos e Entrevistas’ Category


Onde a música LGBTQ está e para onde vai

By in outubro 12, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas

Onde a música LGBTQ está e para onde vai

A música dá aos artistas um espaço para expressar-se, educar outros e orgulho à comunidade pela exibição. Do rock clássico ao dance-pop eletrônico, a música evolui constantemente para refletir as tendências da época. Veja como a comunidade LGBT tem sido representada nas últimas quatro décadas, através da música.

O Passado

A década de 1970 testemunhou a primeira onda de músicos proeminentes abertamente LGBTQ nos Estados Unidos. David Bowie, conhecido por sua mista personalidade como Ziggy Stardust, fez história ao sair como bissexual em 1972. O cantor e compositor Elton John, que possui mais de 50 músicas no Top 40, disse que ele era bissexual em uma entrevista em 1976 com a Rolling Stone. O vocalista do Queen e roqueiro glam Freddie Mercury, sem nunca verbalmente haver comentado sobre sua sexualidade para o público, era um artista exuberante que muitos acreditavam ser um homem gay.

Esta rejeição de gênero e normas sexuais deixou a maioria dos americanos perplexos. John e Bowie chocou alguns quando eles se assumiram. Bowie era bem conhecido por suas atitudes grotescas no palco como Ziggy Stardust, que incluiu sair sem roupa usando somente uma tanga, decorando o rosto com maquiagem e simulando sexo oral com as guitarras de seus companheiros de banda. Ao se recusar responder perguntas sobre sua sexualidade, Mercury tinha uma forte mensagem para o mundo: Ele estava orgulhoso de quem ele era e não sentia a necessidade de validar a si mesmo.

Outros artistas LGBTQ chegaram à fama na década de 1980, graças em grande parte aos pioneiros diante deles. A cantora e compositora jamaicana Grace Jones tornou-se popular em clubes em 1980 com seu estilo andrógino e seu álbum de sucesso “Warm Leatherette”. Ela desenvolveu um grande número de seguidores gays e tornou-se um ícone da moda para drag queens. O vocalista do Culture Club, Boy George, que citou Bowie como uma de suas principais inspirações, era um artista cross-dressing [ver nota] cujas performances deixou a muitos curiosos sobre seu gênero e sexualidade. Ele não gostava de perguntas íntimas, mas por quase toda sua vida ele disse que “preferia uma xícara de chá” que sexo.

Em 1993, RuPaul Andre Charles trouxe o drag à popularidade quando sua canção “Supermodel (You Better Work)” alcançou a posição nº 2 na Billboard Hot Dance Music e Club Play Graphic. RuPaul, que surgiu em club gays de Atlanta, se juntou a um grupo crescente de celebridades nos anos 90 que eram conhecidas publicamente como gays. Ele também rejeitou a noção de um rigoroso gênero binário. “Você pode me chamar de ‘ele’. Você pode me chamar de ‘ela’. Você pode me chamar de Regis e Kathie Lee; eu não me importo, desde que você me chame”, disse RuPaul.

O Presente

A virada do século 21 marcou uma mudança significativa na música LGBTQ, quando mais artistas começaram a falar mais sobre seus gêneros e sexualidades. Em 2001, o vocalista Jake Shears e seus amigos que são abertamente gays começaram uma banda chamada The Scissor Sisters. O grupo, com um nome que faz referência a atividade sexual lésbica, implementou muitos temas da cultura gay em suas canções. A dupla pop canadense Tegan and Sara, gêmeos idênticos abertamente homossexuais, ganhou sucesso em 2007 após seu álbum “The Con” ter alcançado o nº 34 na lista Billboard 200. Adam Lambert chamou a atenção da nação com seu estilo chamativo e personalidade extravagante na 8ª temporada do American Idol. Seu álbum de estúdio de estreia de 2009, “For Your Entertainment”, alcançou a posição nº 3 na Billboard 200, e o The New York Times depois identificou-o como “o primeiro artista pop abertamente gay” em iniciar uma carreira em uma gravadora famosa.

Agora os músicos não só possuem suas sexualidades e gêneros – eles escrevem canções e álbuns sobre eles. A artista Lady Gaga, que cita David Bowie e Freddie Mercury como principais influências musicais, atraiu muitos seguidores gays com suas canções electro-pop provocativas. Em 2011, ela lançou “Born This Way”, um álbum de auto-empoderamento centrado contra a luta sexual, de gênero e minorias raciais. Gaga, que é aberta sobre sua bissexualidade, é também uma defensora pelos direitos LGBTQ. Ela afirma que seu infame vestido de carne que ela usou para o VMA 2010, enquanto era acompanhada por soldados gays que foram despedidos, foi uma declaração política de acordo à lei “Não Pergunte, Não Diga” que “quando morremos, a carne em nossos ossos não contém nenhuma sexualidade, não há diferença. Não devemos discriminar aqueles que estão dispostos a dar a vida para proteger os americanos. Porque quando uma vida é perdida, somos carne da mesma forma.”

O cantor e compositor Frank Ocean fez manchetes quando ele se tornou um dos primeiros artistas de R&B em ser assumido. Em uma carta postada no Tumblr do Ocean o cantor disse que ele era gay e detalhou seu primeiro romance com outro homem. Na canção “Bad Religion” no álbum “Channel Orange”, ele menciona suas lutas com fé e sexualidade. “É uma má religião estar apaixonado por alguém que nunca poderá amá-lo. Só uma má religião poderia me fazer sentir do jeito que eu sinto.”

Apesar da polêmica em torno da sexualidade de Ocean, “Channel Orange” chegou ao 2º lugar na Billboard 200 e ganhou um Grammy de “Melhor Álbum Contemporâneo Urbano”.

O Futuro

O número e a importância de artistas LGBT aumenta a cada ano. A cantora e compositora de R&B Janelle Monáe, conhecida por seu estilo andrógino, é intencionalmente vaga sobre sua sexualidade e expressão de gênero para que os ouvintes possam julgar com base em sua música, e não na sua vida íntima. O álbum de Sam Smith “In The Lonely Hour” foi inspirado pelo seu amor não correspondido por outro homem e se tornou um sucesso em todo o mundo neste ano. O primeiro álbum do drag queen Adore Delano, “Till Death Do Us Party”, chegou ao nº 3 nas paradas Billboard eletrônicas/dance este verão, que é o mais alto que um álbum de um artista drag já alcançou. Outros artistas, como o rapper Angel Haze, a cantora pop e celebridade de internet Troye Sivan e a vocalista da canção “Same Love” Mary Lambert são estrelas com potencialidade em ascensão que poderia expandir a influência de músicos LGBT nos próximos anos.

A indústria da música tem tido um crescimento exponencial de artistas gays nos últimos 50 anos. Apenas algumas décadas atrás, era um movimento da carreira arriscado para um artista ser assumido. No entanto, a nossa cultura tem sofrido uma transformação tão surpreendente que artistas LGBTQ não são mais famosos apesar de suas expressões de gênero e sexualidades. Em vez disso, eles usam sua música para espalhar mensagens positivas sobre suas sexualidades, que, em um país que às vezes ainda se esforça para acomodar seus cidadãos LGBTQ, é exatamente o que precisamos.

Fontes: Adam Lambert TV e The Diamondback

Tradução: Sandra Saez

Share/Bookmark


Adam Lambert dá Apoio a Leilão de Caridade

By in outubro 11, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Fotos, Notícias

Um total de 50 músicos e celebridades assinaram o violão Epiphone PR-150VS, para ser leiloado, em apoio a uma família que “experimentou uma batalha pessoal contra o câncer”, entre elas, Adam Lambert, Taylor Swift, Britney Spears e Miley Cyrus.

O violão irá a leilão entre 16 e 23 de Outubro. O produto da venda irá para a família “reconstruir suas vidas”.

Adam assinou na parte de trás do violão, conforme você pode conferir na foto abaixo:

Fontes: Adam Lambert TV e Pressparty



Guitar World: Queen vence a batalha final com AC/DC

By in outubro 8, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Queen, Votação

O site Guitar World lançou sua “Battle Of The Live Bands” [Batalha de Bandas ao Vivo] do mês de Setembro, e entre 32 nomes cuidadosamente escolhidos pelo site para participarem, na batalha final se enfrentaram Queen e AC/DC, com o Queen vencendo com 54,81% contra 45,19% de AC/DC.

Apesar de Adam Lambert não ter sido citado na postagem do site, o vídeo do show de Queen + Adam Lambert em 14/07 em Montreal (Canadá), foi utilizado para ilustrar o texto. Caso queira ver a publicação original, e assistir aos vídeos dos finalistas Queen e AC/DC, clique aqui.

Confiram abaixo as 32 bandas eleitas pelo site para participarem da batalha, lembrando que apenas foram indicadas bandas ainda existentes:

AC/DC, Aerosmith, Alice Cooper, Allman Brothers Band, Black Sabbath, Dillinger Escape Plan, Eagles, Foo Fighters, Guns N’ Roses, Iron Maiden, Jack White, Kiss, Korn, Metallica, Muse, Nine Inch Nails, Paul McCartney, Pearl Jam, Phish, Queen, Radiohead, Rammstein, Red Hot Chili Peppers, Rolling Stones, Rush, Slayer, Slipknot, Soundgarden, Tool, U2, Van Halen e ZZ Top.

Fontes: Adam Lambert TV e Guitar World



Ensaio by Aleksandrakv: “Sexo, Adam, e Tudo Mais”

By in outubro 4, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Ensaios

Já publicamos anteriormente aqui, o inspirador e sensual ensaio sobre Adam Lambert, feito pela fã aleksandrakv, intitulado “Eu vou me casar com a voz de Adam Lambert”. Confiram agora mais um belo texto publicado em seu Tumblr “Adam Lambert Through My Eyes” [Adam Lambert através dos meus olhos]:

Sexo, Adam, e Tudo Mais

Aspectos relacionados ao sexo na vida, na arte e na carreira de Adam Lambert, são visíveis e disponíveis para os fãs, são variados e abundantes, mas é perfeitamente viável não levá-los em consideração, se a pessoa assim o desejar. Eles são parte inseparável da minha percepção dele, mas há tantas percepções quanto existem fãs por aí. Você pode ignorar tudo isso, ou partes disso, e não perder muito se isso não for a sua praia, ou se simplesmente não lhe interessa. Para aqueles que estão interessados, ou mesmo tem prazer neles, há muito para escolher, desde temas mais política e sociologicamente relevantes, até as completamente decadentes orgias com que ele ocasionalmente nos presenteia no palco e em outros lugares.

Esta história deveria ser leve e divertida, porque é assim que sexo e sexy devem ser; eles são melhores quando são divertidos e bons e sem complicações, e eles deveriam ser sempre assim, para todo o sempre; mas como se pode ver, às vezes não são. No entanto, no sentido mais amplo da palavra, o sexo pode ser encontrado na orientação sexual de Adam, suas performances sexualmente carregadas, letras sugestivas ou explícitas, insinuações lascivas durante entrevistas e outros meios de comunicação com os fãs ou imprensa, e por último, mas certamente não menos importante, em seu glorioso corpo.

Sua beleza e fumegante boa aparência chamam a atenção de todos os gêneros e orientações, e os escassos que não são da mesma opinião também acontecem de ser um grupo heterogêneo. Adam não é nem a primeira nem a última pessoa a ter esse apelo sexual generalizado, o que parece ser uma categoria muito esquiva. É independente de perfeição física, ou a sempre mutante relação masculinidade/feminilidade na aparência, embora Adam se esforce para a primeira e goste de brincar com a última. A definição mais próxima seria chamá-lo de um fator X, que ou você tem ou não tem. Definitivamente, não tem nada a ver com o fato de que Adam é gay.

A orientação sexual de Adam talvez fosse algo sem significado algum, se ele fosse um contabilista, por exemplo; mas no seu caso, influenciou a trajetória de sua carreira. Não necessariamente de um modo bom ou ruim, mas seu impacto é inegável. Por um lado, todo mundo que conhece Adam, mesmo um pouquinho, sabe que a resposta à questão de se ele precisava ou não nos dizer que é gay, é um inequívoco sim, e que no início era necessário para ele como pessoa, não como um músico. Por outro lado, fãs e admiradores precisavam se preocupar ou até mesmo saber que ele é gay? Um sim ainda mais alto é a resposta para isso.

Esta atitude está em contradição com o que Adam parecia querer no início de sua carreira e, provavelmente ainda quer: que sua sexualidade não importe, e também está em contradição com o mundo pós-gay que ele quer. Embora esse ponto de vista seja perfeitamente compreensível, o meu é um pouco diferente: Eu acho que sua orientação sexual é uma parte de sua música que não pode ser plenamente compreendida sem levar em consideração a sua sexualidade. Quando ele falou sobre “Outlaws Of Love”, ele disse, parafraseando, que, apesar de seus amantes [na música] serem gays, sua luta é universal e pode ser aplicada a casais heterossexuais também, uma reminiscência de Romeu e Julieta, ou Bonnie e Clyde, por exemplo. E eu concordo, é mesmo e poderia ser aplicada, mas a arte é ainda mais dominada por casais heterossexuais do que a vida, e precisa desesperadamente de outras sexualidades sendo representadas.

Nada sopra mais vento nas velas de uma luta política do que a arte. A representação correta de outras sexualidades em filmes, músicas, livros ou programas de TV traz não só a consciência, mas espero que o entendimento também. Se nós lutamos pela igualdade, é necessário muito mais apoio e visibilidade para as minorias, para que elas possam alcançá-la. E por mais que a homofobia “grave” seja desprezível e criminosa e tenha de ser combatida, a “leve” pode ser perigosa também. Reflete-se principalmente, por um lado, na ignorância, onde Adam foi mais do que útil, dando grande insight. Ignorar também é uma forma de homofobia “leve”, onde, na tentativa de tratar todas as sexualidades como iguais, ignora-se o simples fato de que elas não são iguais na maior parte do mundo de hoje; ainda não, pelo menos por enquanto. Eu não quero ser considerada culpada de qualquer uma delas, então eu quero e preciso saber.

O sucesso fenomenal de “Trespassing”, que deu a Adam o título inovador de primeiro artista assumidamente gay a chegar ao topo das paradas, é de conhecimento comum – mas o que ninguém menciona quando falam deste sucesso é que “Trespassing” é um álbum abertamente gay também, com tópicos e mensagens muito diretas nas letras. Eu acho que é ainda mais importante do que o fato de o próprio Adam ser gay. Se tivesse sido um álbum menos revelador, ou se as letras tivessem sido escritas por outros em vez de Adam, por exemplo, o sucesso de Adam ainda seria comemorado da mesma forma, não há nenhuma dúvida quanto a isso, mas não seria a mesma coisa. Dessa forma, seu triunfo foi completo, e esse álbum será para sempre listado como um dos mais educativos, o que é um tributo que deve ser pago a ele.

Tendo tudo isso em mente, vejo essa necessidade de que sua sexualidade não seja ignorada ou posta de lado; vem como uma grande surpresa que, quando se trata de outros aspectos da exposição sexual, suas performances carregadas, insinuações e gracejos lascivos, eu nunca o veja como um homem gay, nem sinta necessidade disso. Eu nem sequer penso nisso; isso nunca passa pela minha cabeça. Quando ele mexe seus quadris, ou lambe uma garrafa no palco, não há nada específico para qualquer orientação ali. Ele é apenas um cara quente fazendo sua própria versão de sex-talk no palco, o tipo divertido e por vezes, ridículo; são movimentos universais que as pessoas fazem da mesma forma, e apreciam da mesma forma. Ele é muito físico e ostensivo sobre isso, fortemente apoiado em seu passado no teatro, com suas genialidades pelo palco beirando a comédia pastelão.

Na outra extremidade do seu bastante amplo espectro sexual, está o erotismo mais sensual e a sedução arrepiante de algumas de suas performances. Os movimentos ficam mais delicados e sugestivos, os vocais ficam claros como um sino e cheios de desejo; a inesquecível “Whole Lotta Love” em Fantasy Springs ou “Ring Of Fire” durante Idol vêm à mente. São Erótica [ver nota] no seu melhor. E, obviamente, vem de um cara que está em grande contato com sua libido e não tem medo de expressá-la; e eu posso estar pecando pela cautela aqui, mas toda essa exibição carnal só pode vir de alguém que gosta de sexo, e gosta muito, o que não é algo que pode ser dito sobre tantas pessoas quanto se poderia esperar. O mesmo vale para seus fãs que apreciam isso. Nós nos perdemos junto com ele, e as identidades são esquecidas. Nós não pensamos sobre quem ele é ou em quem nós somos, apenas sabemos que estamos juntos nessa, pertencendo ao mesmo grupo, nos sentindo muito bem juntos. É uma experiência doce e inebriante que cria alta dependência e desejos constantes por cada vez mais estarmos estranhos e felizmente livres do fardo das limitações sociais.

Falando de fãs e seus gostos, aqueles que são muito vocais ao expressar seu prazer na sexualidade de Adam, por vezes, encontram um tipo muito estranho de discriminação. Um monte de perguntas e acusações são lançadas em seu caminho. São perguntados e talvez perguntem a si mesmos se isso é permitido, ou decente. Será que eles têm de cumprir determinados padrões? Será que eles têm de ser mais jovens do que Adam? Será que eles têm de ser gays, também? Se eles são mulheres heterossexuais e mais velhas, por exemplo, eles podem encontrar prazer em seu erotismo? É tudo muito ridículo e só mostra o quão fina é a fronteira entre arte e vida. Todo consumidor da arte de Adam pode desfrutar livre e plenamente de toda e qualquer coisa que Adam quiser dar a eles e lhes apresentar. E que grande vergonha seria se esses momentos de inspiração divina fossem para o lixo por segregar mentalmente a plateia, ou intimidá-los com assuntos sem importância. É certo que é uma questão muito menos relevante do que a luta pelos direitos humanos, mas a ironia está lá – é também um tipo de discriminação. Essa ironia não está onde você pode esperar que estivesse: no fato de que outras formas de discriminação, como o sexismo ou preconceito de idade estejam sendo introduzidas naquela contra orientações sexuais, o que é uma noção muito revoltante.

Encontra-se no fato de que nesses momentos sexualmente dirigidos que Adam nos dá, somos mais iguais do que nunca – gay ou hétero, homem ou mulher, nós temos prazer e ficamos excitados da mesma forma, essencialmente; estamos respondendo aos mesmos estímulos. Categorias são irrelevantes nesses momentos, porque é uma troca baseada na sexualidade, na interpretação da música, na voz e nas letras, na linguagem e movimentos do corpo, em pausas e silêncios, bem como nos sons liberados no palco, e na forma como aceitamos tudo isso. É uma experiência entre o artista e seu público, cegos para qualquer outra coisa que não seja o seu talento e a nossa receptividade. Mais importante, ele mostra a natureza empolgante e indiscriminatória do sexo e do erotismo na arte, lenta mas seguramente, se infiltrando na vida.

Enquanto isso, no cotidiano muito mais divertido e simples de um Glambert, felizmente superficial e sem encargos, Adam continua se pavoneando e ficando mais quente a cada dia, e nós continuamos assistindo. Mas está tudo bem – ele gosta de mostrar tanto quanto nós gostamos de assistir. Nós somos compatíveis assim.

NOTA: Erótica é um gênero literário ou de arte, destinado a despertar o desejo sexual.

Fontes: Adam Lambert TV e aleksandrakv/tumblr

Tradução: Stefani Banhete



Gigwise: “9 razões para assistir Queen e Adam Lambert em turnê”

By in outubro 2, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Queen + Adam Lambert

Conforme publicamos nesta semana, uma nova turnê Queen + Adam Lambert já foi anunciada para 2015! Veja o que o site de entretenimento do Reino Unido Gigwise publicou para “convencer” aqueles que ainda não estão certos de assistir a algum dos 21 shows já anunciados!

9 razões para ir ver Queen e Adam Lambert em turnê

Como se você realmente precisasse ser convencido…

Esta manhã, Queen e Adam Lambert revelaram que eles finalmente vão voltar para o Reino Unido para uma série de datas em Janeiro.

Se você é um fã do Queen, é improvável que você realmente precise ser convencido – mas há uma chance de que você esteja mostrando uma dessas duas inquietudes: 1) Brian May e Roger Taylor não estão um pouco, bem, velhos? 2) Como é que aquele cara do American Idol vai conseguir estar a altura de Freddie Mercury?

Como seus anjos da guarda musicais, estamos aqui para tranquilizá-los. Aqui estão 9 razões por que, mesmo que eles não são a mesma banda que eram há 40 anos, você ainda deve fazer uma viagem para ver o espetacular show ao vivo de Queen com Adam Lambert.

1) Adam Lambert: Vamos começar por abordar a questão revestido de couro – Adam Lambert não é Freddie Mercury. Nem, felizmente, está fingindo ser. Em seu mandato como vocalista do Queen, Lambert tem feito de tudo para capturar o espírito da extravagância, energia e poderosa voz de Mercury, sem nunca se tornar um imitador.

2) Brian May tomando o centro de atenção: Adam Lambert pode ser o vocalista nominal da banda, mas os shows pertencem a May, e com todo o direito. Espere ver May tocar incrivelmente, de forma energética e consistente sua guitarra, bem como um solo ocasional de dez minutos. E queremos dizer ocasional, porque ninguém gosta de um exibido.

3) Nostalgia: Durante seus shows no início deste ano, “Bohemian Rhapsody” foi precedida por um vídeo com imagens dos membros da banda mais jovens cantando a seção de ópera, e em um final inesquecível, Adam Lambert fez um dueto com Freddie Mercury usando gravações.

4) Taylor e May provando sua resistência: Nós odiamos a fixação da indústria da idade, sim odiamos, mas respectivamente aos 65 e 67, Roger Taylor e Brian May estariam perdoados em querer levar as coisas com mais calma durante extensas turnês. Não. Em vez disso, Taylor executa solos de bateria com uma energia eterna, e May anda pelo palco, assim como ele sempre fez.

5) O espetáculo visual, incluindo, mas não limitado a luzes do palco coloridas, lasers, confetes dourados e uma plataforma de bateria flutuante.

6) Números pouco conhecidos: É claro que o setlist é como um sonho, mas também vai ser misturado com algumas surpresas inesperadas. Recentemente, eles realizaram uma versão reconstituída da canção solo de Mercury de 1984 “Love Kills”, bem como “Dragon Attack” e “’39”.

7) Bastante trocas de roupa: Se você está preocupado que com um show do Queen sem Mercury poderia faltar no palco a personalidade chamativa e exagerada, então você vai ficar feliz em saber que Lambert tem pelo menos oito trocas de roupas durante seus shows, e May usa uma capa dourada.

8) Estrelas Convidadas: Claro, nós não podemos garantir isso, mas Lady Gaga apareceu durante um show recente para emprestar sua voz em “Another One Bites The Dust”. A influência do Queen é tão grande, que eles poderiam pedir praticamente qualquer pessoa para entrar no palco com eles, e eles provavelmente diriam que sim.

9) Nova música: A turnê está apoiada por “Queen Forever”, uma coletânea que inclui materiais inéditos gravados com Freddie Mercury. Espere ouvir um pouco dessa nova música, através de uma apresentação reconstituída por Adam Lambert ou usando os próprios vocais de Mercury em um ambiente ao vivo. De qualquer maneira, vai ser inesquecível.

Fontes: Adam Lambert TV, Gigwise e Adam Lambert Fan Club

Tradução: Sandra Saez



Comunicado de Imprensa: Queen + Adam Lambert anunciam Turnê Europeia – Informação Importante sobre a Pré-Venda

By in outubro 1, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Queen + Adam Lambert, Shows

Conforme publicamos aqui, a banda Queen confirmou oficialmente uma série de 21 shows a partir do começo do ano que vem. Confiram o Comunicado de Imprensa da banda, abaixo:

Comunicado de Imprensa: Queen + Adam Lambert anunciam Turnê Europeia – Informação Importante sobre a Pré-Venda

Queen + Adam Lambert se apresentarão no Reino Unido e Europa no próximo ano

Depois de uma recente turnê mundialmente esgotada, Queen + Adam Lambert se apresentarão em 21 shows na Europa

Incluindo 7 shows no Reino Unido

Bilhetes à venda a partir de sexta-feira, 03 de Outubro

QUEEN + ADAM LAMBERT anunciaram hoje que irão fazer uma extensa turnê pelo Reino Unido e pela Europa no início do ano que vem.

No que provavelmente vai ser um dos eventos musicais mais procurados do próximo ano, Queen + Adam Lambert reinarão durante seis semanas, com uma série de datas na Europa, começando em meados de Janeiro.

Pré-vendas: Se você está registrado no QueenOnline, Adam Lambert Official Fan Club ou no International Queen Fan Club, por favor, verifique seu email agora para obter mais informações sobre a pré-venda, porque algumas pré-vendas começam hoje!

Tendo apenas terminado no início de Setembro a turnê mundial, que abrangeu a América do Norte, Austrália, Nova Zelândia, e um festival ao ar livre na Coreia e no Japão, Queen + Adam Lambert não perderam tempo em retomar sua criticamente aclamada parceria de volta à estrada.

Dois anos depois que May, Taylor e Lambert se apresentaram juntos em uma pequena turnê no Reino Unido e Europa, iremos ver desta vez Queen + Adam Lambert realizarem 21 shows em 10 países. A turnê da banda no Reino Unido começa na Metro Radio Arena [Newcastle (Inglaterra)] no dia 13 de Janeiro e vamos ver a banda tocar um total de sete shows em todo o Reino Unido, incluindo o The O2 Arena [Londres (Inglaterra)]. A turnê, em seguida, irá a França, Alemanha, Holanda, Áustria, Bélgica, Itália, Dinamarca e República Tcheca e terminará dia 19 de Fevereiro na Suíça, no Zurique Hallenstadion.

Os ingressos para os shows do Reino Unido estarão à venda a partir das 09h na próxima sexta-feira, 03 de Outubro. Para todos os outros shows, em toda a Europa, os ingressos estarão à venda ao mesmo tempo, exceto na Alemanha, onde as vendas começam no dia seguinte, sábado, 04 de Outubro.

Espera-se que as vendas sejam iguais ou superiores aos shows dos EUA, onde a demanda de bilhetes dos 24 shows da banda se esgotou em um tempo recorde. Queen e Lambert cumpriram com as expectativas, ganhando críticas elogiosas de fãs e de críticos:

“Garantido que vai arrasar sua mente, de fato” . (Entertainment Weekly)

“Arrasou, Queen ainda é o campeão, e Lambert tem uma voz qualificada para garantir que sua música permaneça viva para uma nova geração de fãs”. (VH1)

“Queen rejuvenescido reina ao máximo. Fãs, façam reverência, o novo Queen é digno de seu amor e devoção” (Edmonton Journal, Canadá)

“O guitarrista do Queen, Brian May, o baterista Roger Taylor e Adam Lambert arrasaram com uma extravagância de rock energético que não poupou nada. Seu talento musical extraordinário não mostrou sinais de declínio”.(The Daily Telegraph, de Sydney).

“Queen e Adam Lambert proporcionaram um pouco mais de duas horas de sensação pura, diretamente nos nervos e ossos de qualquer sortudo que pôde testemunhar isso. Freddie pode não estar mais aqui, mas ele certamente aprovaria”. (Brisbane Times)

“Eles arrasaram?? Oh sim!” (New York Daily News).

Queen se uniu pela primeira vez a Adam Lambert em 2009, para realizar o hino de rock da banda, “We Are The Champions”, na final da 8ª temporada do “American Idol”. Lambert e Queen se uniram novamente em 2011 no “MTV European Music Awards”, em Belfast [Irlanda]. No verão de 2012, eles fizeram seus primeiros shows ao vivo, juntamente com três shows esgotados no Reino Unido, no Hammersmith Apollo, em Londres, bem como aparições na Rússia, Ucrânia e Polônia.

E uma outra apresentação juntos, no “iHeartRadio Music Festival”, em Las Vegas, em Setembro passado, em que eles efetivamente roubaram o show, e isso desencadeou uma conversa entre Adam, Roger e Brian para levarem o show para a estrada. O “The Hollywood Reporter” declarou: “Adam Lambert, Queen arrasaram no iHeart. Com a combinação perfeita de atitude de rock misturado com estilo, teatralidade, sex appeal e impressionantes vocais, [Lambert] levou a música da banda a uma nova dimensão.”

Agora, essa vitoriosa combinação de Queen + Adam Lambert segue com o que será certamente uma turnê igualmente triunfante no Reino Unido e na Europa. E Lambert faz questão de alertar aos fãs da série de mudanças que podem ser esperadas.

“Pelo lado técnico, definitivamente tem mais produção do que o de dois anos atrás”, diz ele. “Nós tivemos mais cidades para visitar e todos nós decidimos construir o visual e o palco adequadamente, e, claro, fazer todos os hits.” “Nós temos um design de palco muito interessante”, diz Brian May. “É grande e ousado. Nós vamos levá-lo ao máximo.” , diz ele. “Cada vez que trabalhamos com Adam com a nossa música, ele tem sido um vocalista incrível”, diz Roger Taylor.“Ele é sensacional. Ele tem esse alcance incrível, porque Freddie também tinha. Adam pode realmente fazer o mesmo. Ele é um cantor extraordinário e um talento de verdade. Sinto que ele se encaixa com o nosso tipo de teatralidade. É muito confortável.”

Quanto ao futuro, parece que a parceria Queen + Adam Lambert provavelmente, no momento, continuará se limitando a colaborações ao vivo. Lambert está atualmente na fase final de escrever e gravar seu terceiro álbum. May e Taylor estão se preparando para lançar seu próximo álbum, “Queen Forever”, uma nova compilação de canções que inclui materiais inéditos gravados com Freddie Mercury, com lançamento previsto para 10 de Novembro.

Queen tem acumulado uma lista impressionante de vendas, prêmios e induções ao hall da fama, como nenhum outro. Recorde de vendas com centenas de milhões de unidades, incluindo uma seqüência inédita de uma série de álbuns e singles no topo das paradas, continuaram a colocar o Queen entre os dez primeiros de todos os tempos de vendas no iTunes. No início deste ano, Queen foi oficialmente reconhecido como o primeiro artista a vender mais de seis milhões de cópias de álbum no Reino Unido com seu álbum “Greatest Hits”, batendo até mesmo o record do álbum “Sgt. Pepper”, dos Beatles, por cerca de um milhão de cópias, apontando para o fato surpreendente de que pelo menos uma em cada três famílias britânicas agora possuem uma cópia original da coleção “Greatest Hits”, da banda.

As impressionantes performances de Adam Lambert na oitava temporada do American Idol ainda são amplamente admiradas como um dos momentos mais fascinantes da história do programa. Seu álbum de estreia, “For Your Entertainment”, lhe rendeu uma indicação ao Grammy de “Melhor Performance Vocal Pop Masculina”. Seu segundo álbum, “Trespassing”, estreou como #1 na parada da Billboard. Sua subseqüente turnê levou Lambert da Austrália à África do Sul, além de Ásia e Europa Oriental e culminou com um show esgotado em Helsinki, Finlândia. Em 2013, Lambert apareceu como ator convidado na série de TV, Glee. Ele está atualmente na fase final de completar seu terceiro álbum.

Confiram a relação dos show agendados até agora, clicando em nossa publicação anterior, aqui.

Fonte: The Official Queen Online

Tradução: Sandra Saez



Queen + Adam Lambert poderão se apresentar também no “Glastonbury Festival 2015″ do Reino Unido

By in outubro 1, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Queen + Adam Lambert, Shows

Segundo publicação do site de entretenimento Xposé, Queen + Adam Lambert estariam cogitados para se apresentarem no Glastonbury Festival 2015, [ver nota], que acontece no Reino Unido entre 24 e 28 de Junho de 2015.

O site informa que: “A lendária banda de rock – com o mais novo vocalista, Adam Lambert, acompanhado pelos membros fundadores Brian May e Roger Taylor – foi procurada pelos organizadores do evento, e pode fazer a sua primeira aparição já em 2015. Uma fonte disse ao jornal Daily Star: ‘Glastonbury é apenas um dos possíveis destinos. A banda adoraria ter uma chance.'”

Siga os links oficiais do evento: Site | Facebook | Twitter.

Fiquem ligados. Qualquer novidade ou confirmação a respeito, estaremos publicando aqui, no nosso site.

NOTA: Glastonbury Festival: (Também conhecido apenas como Glasto), oficialmente Glastonbury Festival of Contemporary Performing Arts, é o maior festival de música a céu aberto do mundo. Conhecido principalmente por suas apresentações musicais, também possui atrações de dança, humor, teatro, circo, cabaré e outras formas de arte. (Wikipédia)

Fontes: Adam Lambert TV e Xposé



Michael Orland cita Adam Lambert em entrevista exclusiva à Revista Shine On Hollywood

By in setembro 30, 2014 • Filed in: American Idol, Artigos e Entrevistas, Revistas

Michael Orland, que é compositor, pianista e diretor musical do American Idol, e grande amigo e admirador de Adam Lambert, é capa e deu uma entrevista exclusiva à Revista Shine On Hollywood na edição de Setembro/Outubro de 2014, e, como não poderia deixar de ser, citou Adam Lambert.

A entrevista de Orland ocupou nada menos que 20 páginas, recheadas de informações e fotos sobre ele, incluindo um extenso Q&A (perguntas e respostas) onde ele fala de sua vida desde a infância, adolescência, suas experiências pessoais, a indústria musical, como a música faz parte da sua vida desde criança, e, em meio a tudo isso, fala sobre Adam Lambert.

Confiram abaixo o texto traduzido da citação a Adam:

Você também é um talentoso compositor e arranjador. Como é o processo para você? Quais são algumas das canções que você escreveu e/ou fez os arranjos e o que as inspirou?

Muitas das canções das quais que eu tenho orgulho de fazer parte, no American Idol, foram todas inspiradas por quem as cantou.

Existem muitos arranjos de Adam Lambert que meu parceiro e instrutor, Dorian Holley e eu fizemos juntamente com o input criativo total de Adam. Há músicas que minha parceira Peisha McPhee e eu fizemos com Candice Glover, e tantos outros mais.

Você pode folhear a revista, caso queira, bastando clicar aqui, sendo que a entrevista de Orland vai da página 30 até a página 49.

Caso queira seguir Michael Orland no Twitter, clique aqui.

Fontes: Adam Lambert TV e Shine On Hollywood



Roger Taylor cita turnê Queen + Adam Lambert em entrevista ao Yorkshire Evening Post

By in setembro 28, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Queen + Adam Lambert

Roger Taylor, falando ao Yorkshire Evening Post sobre como se sente desgostoso com relação às bandas de tributo, e quando perguntado sobre sua opinião sobre a banda de tributo ao Queen, The Queen Extravaganza, declarou que “De certa maneira, eles tocam nossas músicas melhor que nós porque eles se mantêm mais fiéis aos arranjos originais.”

Roger também menciona a volta da banda aos palcos, e cita Adam Lambert: “É fantástico, porque nós estamos aqui na Austrália neste momento, já fomos para o Japão e Coreia do Sul e isso tudo tem sido sensacional. Brian e eu nunca pensamos que iríamos fazer isto novamente, e isso combina com Adam Lambert, ele é uma sensação. Ele funciona muito bem com a gente, ele tem todos os ingredientes certos.”

Caso queira saber mais sobre a banda de tributo ao Queen, The Queen Extravaganza, visite seu website, clicando aqui.

Fontes: Adam Lambert TV, Yorkshire Evening Post e The Queen Extravaganza

Tradução: Sandra Saez



Mais dos Bastidores de Adam Lambert da Sessão de Fotos com Christopher Ameruoso para o livro “Shades of Elvis”

By in setembro 28, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas

Já publicamos aqui, um vídeo contendo um footage da sessão de fotos de Adam Lambert com o autor/fotógrafo Christopher Ameruoso do livro de tributo a Elvis Presley, Shades of Elvis, divulgado pelo Portal HNGN de Nova York. Confira mais detalhes abaixo:

Os fãs de Adam Lambert ganharam uma reputação pela sua intensa lealdade para a estrela do “American Idol” e cantor do topo das paradas. O fotógrafo Christopher Ameruoso experimentou essa paixão em primeira mão depois que ele e Priscilla Presley publicaram o livro best-seller “Shades of Elvis”, que conta com mais de 75 celebridades vestindo o icônico óculos de sol do Elvis, incluindo Johnny Depp, Elton John, Ozzy Osbourne, Snoop Dogg, Robert Plant, Cher, Steven Tyler, Celine Dion e Willie Nelson.

De todos os comentários de fãs da lista de celebridades que Ameruoso trabalhou, os de Lambert foram os mais fortes.

“Eu definitivamente fiquei surpreendido”, Ameruoso disse a HNGN. “Ele (Adam) disse: ‘Meus fãs são os mais leais, você vai ver’, e um monte de artistas dizem isso, mas ele estava certo. Os fãs dele são absolutamente os mais motivadores e leais.”

Hoje, o HNGN apresenta imagens exclusivas da sessão de Ameruoso com Lambert para “Shade of Elvis.” Assista aqui.

Lambert recentemente terminou uma turnê como o novo vocalista do Queen, e na semana passada foi anunciado que o cantor seria o jurado convidado para a próxima temporada do “American Idol”, substituindo Keith Urban devido ao recente falecimento do pai da esposa de Urban, Nicole Kidman.

Durante o processo de fazer “Shades of Elvis”, Lambert não só impressionou o fotógrafo com seu talento e humildade, mas ele também causou uma forte impressão na ex-mulher de Elvis, Priscilla.

“Em primeiro lugar ele é muito talentoso”, ela disse a HNGN. “Ele é um artista pleno que não tem medo de correr riscos. Ele é um showman por dentro e por fora.”

Então, será que o Rei teria sido um “Glambert”, um nome que os fãs de Adam deram a si mesmos?

“Elvis gostava de qualquer um que fosse mais que bom para o que fazem”, diz Priscilla. “Adam desafia a si mesmo. Sempre se esforça para ser o melhor que ele pode ser em qualquer coisa que ele faz. Ele é apaixonado pelo seu trabalho e se nota. Como alguém não vai reconhecer isso de um artista?”

Fontes: Adam Lambert TV e HNGN

Tradução: Sandra Saez



Cliip.Net: “Fotos incríveis de Adam Lambert, Elvis Presley teria amado Adam”

By in setembro 27, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas

Confiram abaixo, mais um texto de Bella Rosa sobre Adam Lambert, publicado no blog Cliip.net:

Fotos incríveis de Adam Lambert, Elvis Presley teria amado Adam

Ao compilar seu livro, “Shades of Elvis”, o fotógrafo Christopher Ameruoso fez fotos surpreendentes de 75 celebridades usando os óculos originais e autênticos do rei (Elvis Presley). A lista de pessoas famosas foi impressionante: Willie Nelson, Celine Dion, Steven Tyler, Cher, Robert Plant, Snoop Dogg, Ozzy Osbourne, Elton John, Johnny Depp, Adam Lambert e muito mais.

De acordo com a Headlines and Global News (HNGN), o fotógrafo estava atordoado e chocado que a base de fãs que foi a maior e a mais alta a ser ouvida dando feedback sobre a presença de seu ídolo no livro, foi a dos fãs de Adam Lambert: carinhosamente conhecidos como Glamberts. Não foi só Ameruoso que foi tomado pela atração magnética de Lambert, Priscilla Presley também.

Priscilla observou que Lambert é muito talentoso, gosta de correr riscos, um showman e foi um entertainer completo, onde quer que ele tenha se apresentado. Será que Elvis Presley teria sido um Glambert? Priscilla observou que Elvis gostava das pessoas que ficam além do bem que já fizeram, e se esforçam para ser o melhor e o mais apaixonado pelo seu trabalho, como Adam Lambert. Eu concordo.

Adam Lambert acabou de fazer uma turnê mundial com o Queen, e disse que aprendeu muito com os showmen britânicos icônicos sobre a fama e a indústria da música, enquanto estavam em turnê. Ele agora está trabalhando em seu terceiro álbum, mudou de gravadora (mas o nome não foi divulgado até o momento) e também acaba de assumir o papel de um jurado temporário para as audições do American Idol em Nova York. Jennifer Lopez e Harry Connick Jr se tornaram fãs também, e amaram trabalhar com Lambert. Lambert tenta ajudar os jovens cantores com qualquer coisa que ele possa oferecer ao momento “agora ou nunca” de suas carreiras.

Quanto ao seu terceiro álbum ele ainda está bastante reservado. Ele deu a entender em entrevistas, aqui e ali, que talvez não seja o que seus fãs estejam esperando; ele diz que pode ser um tipo alternativo de álbum e uma surpresa. Os glamberts realmente não se importam; eles adoram tudo e qualquer coisa que ele faz. Ele está apostando talvez em um mundo pós-Beyoncé, onde as surpresas inovadoras estão acontecendo. Mas o suspense e a espera está mantendo seus fãs entre alfinetadas e agulhadas.

Adam Lambert está sendo menos duro consigo mesmo atualmente. Como afirmou à Fox News, ele sempre foi o seu próprio e maior crítico e, ao terminar este álbum, ele quer aproveitar o processo, dessa vez. Ele dá crédito aos membros do Queen, Brian May e Roger Taylor, por dar a ele uma nova perspectiva.

Fonte: Cliip.net

Tradução: Graça Vilar



Fox News: Lambert aconselha aspirantes a “Ídolo”, e fala sobre turnê com o Queen

By in setembro 26, 2014 • Filed in: American Idol, Artigos e Entrevistas, Vídeos

Adam Lambert falou à Fox News sobre o American Idol, seu novo álbum e a turnê com o Queen. Confiram abaixo o vídeo e sua respectiva tradução:

O ex-participante do American Idol, Adam Lambert, substituiu Keith Urban durante as audições de Nova York, da 14ª temporada do programa e disse que seu conselho para os concorrentes é somente manter a calma.

Adam: Eu acho que o importante nesta fase é eles dominarem seus nervos, porque esta é a primeira grande chance que eles têm, esta é a primeira vez na frente de um júri de celebridades, as tensões aumentam, acalmarem os nervos, respirarem e mostrarem sua melhor voz é a parte mais difícil nesta fase no jogo.

E ele nos disse o que ele espera ver destes concorrentes.

Adam: Eu estou procurando por artistas, e por artistas quero dizer talentos, eles têm que ter voz em primeiro lugar, mas é mais do que isso, é energia, é personalidade, é aparência, é um ponto de vista, é musicalidade, é o pacote completo.

Lambert acaba de sair neste verão de uma turnê com a lendária banda de rock Queen, e disse que cantar suas músicas incríveis foi uma experiência e tanto.

Adam: Foi uma grande honra para mim, ser capaz de cantar essas músicas que fazem parte da vida de tanta gente e fazer algo novo e fazer algo meu e fazer uma colaboração com Brian e Roger, eu não posso pedir por um trabalho melhor.

Agora ele está trabalhando em seu terceiro álbum de estúdio.

Adam: Eu estou muito animado com isso, eu não posso dizer nada neste momento, mas estou realmente muito animado, eu não vejo a hora que todo mundo possa ouvir.

E ele vai trazer lições importantes aprendidas na turnê com o Queen, quando embarcar em sua próxima turnê.

Adam: Uma das coisas que eu aprendi com eles e que realmente amei, foi o fato de que eles são ícones, eles são realeza do Rock and Roll e da música pop, eles sabem como se divertir, eles levam o seu trabalho a sério, mas eles não levam “muito a serio”, é esse equilíbrio descontraído, porque isso é música, é entretenimento e isso é muito importante: se você se diverte, o público vai se divertir. No passado, eu fui um pouco duro comigo mesmo, e este verão eu percebi que você tem é que se divertir mesmo.

Fontes: Adam Lambert TV e Maria Wiab/YouTube

Tradução: Sandra Saez