Archive for the ‘Artigos e Entrevistas’ Category


O Glambert Liam McEwan entrevista Adam Lambert para o “Ultimate Access” do iHeartRadio da Nova Zelândia

By in julho 23, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Queen + Adam Lambert, Rádio

Como sabemos, Liam McEwan é um glambert que comandou, durante muito tempo, um programa de uma hora dedicado exclusivamente a Adam Lambert na Rádio The Flea 82.8 FM, da Nova Zelândia. No final de 2013, Liam teve que mudar seu rumo profissional, indo então trabalhar para o iHeartRadio, que sempre foi seu maior sonho. Mas para tanto teve que abandonar seu programa também, mas manteve o sonho de um dia entrevistar Adam Lambert.

Bem, o Queen finalmente marcou um show para a Nova Zelândia, que por enquanto é o último da agenda, e será realizado em Auckland, no dia 03 de Setembro, e Liam então, conseguiu realizar mais esse sonho, e entrevistar seu ídolo, trazendo mais esta grande alegria aos glamberts do mundo todo. Confiram abaixo, então, a entrevista que Liam, com muita emoção, fez com nosso (e dele) ídolo Adam Lambert, para o “Ultimate Access”, do iHeartRadio da Nova Zelândia:

Liam: Se você me acompanha já por alguns anos, você sabe que eu sou um Glambert, e desde que eu fiz o programa Adam Lambert Hour, há alguns anos, tem sido minha meta ter um bate-papo com Adam e eu sei que vai haver muitos ouvintes emocionados escutando neste momento… Adam Lambert como você está, amigo?
Adam: Bem, como você está?

Liam: Bem obrigado, muito obrigado por conversar com a gente, a razão deste incrível bate-papo é o fato de que você tem um anúncio especial para os Kiwis [ver nota].
Adam: Estamos indo a Auckland, com o Queen, estamos indo pra lá e vamos fazer um show, vai ser maravilhoso.

Liam: Sim, estamos muito ansiosos por isso.
Adam: Nós reservamos as datas para a Austrália e, em seguida, todos nós começamos a pensar nisso, e dissemos “Espera, temos que ir para a Nova Zelândia!”

Liam: Você não podia esquecer da Nova Zelândia, certo?
Adam: Não, por nada.

Liam: A Austrália é melhor que a Nova Zelândia, ou é como a Nova Zelândia?
Adam: Nem me fale. Mas eu fiz um show lá, acho que há quatro anos, e foi uma loucura, o público era tão bom, eu fiquei surpreendido. Foi um ótimo show, o público estava super animado.

Liam: Foi muito bom, eu me lembro disso. Claro, você adora Queen claramente por anos, e “Bohemian Raphsody” foi sua primeira audição para o Idol junto com “Rock With You”. Você imaginou, em algum momento, que alguns anos depois você estaria no palco com eles?
Adam: Não, se alguém tivesse dito isso, eu não teria acreditado. Quero dizer, é louco, e foi algo tão orgânico, uma progressão natural, tem sido ótimo e eu me divirto muito com eles no palco, eles são maravilhosos, são legais, a música é algo bem selvagem e bem louca de cantar, ela alcança todos os lugares, fazer um conjunto de suas músicas é literalmente como correr uma maratona, porque há todos os estilos imagináveis, é bastante trabalho… mas vale a pena.

Liam: Você falou que é como correr uma maratona quando você está em modo de turnê, como você se mantem para tudo isso?
Adam: Eu acho que o grande truque que eu tenho é que quando eu não estou no palco, como em um dia de folga, eu tento não falar muito, eu tento ficar meio quieto. Esse é o melhor truque, calar a boca.

Liam: Legal, em termos de físico, você tem que treinar para fazer essas performances, eu imagino que dever ser difícil fisicamente…
Adam: Sim, eu tenho ido à academia, eu tento ir todas às vezes que temos um show, apenas para “acordar” o meu corpo e para estar em forma, e tento comer de maneira saudável, mas quando você está em turnê, é fácil perder o foco.

Liam: Claro, você fez uma turnê pela América com o American Idol e depois pelo o mundo com a Glam Nation Tour e, em seguida, a pequena turnê We are Glamily. Há alguma diferença entre fazer uma turnê sozinho e fazer algo parecido ao que está fazendo agora?
Adam: Sim, é diferente, obviamente, é um grande legado que eles têm, os fãs que estão na plateia têm sido fãs da banda por mais de trinta anos e eu sou o cara novo, de modo que entrar nisso é um pouco diferente, eu tenho que ter muito respeito com os fãs e com a banda, é totalmente diferente. Mas eu tenho que dizer que isso tem sido muito bom para mim, isto realmente coloca as coisas em perspectiva, me faz sentir realmente agradecido por esta oportunidade e traz um pouco de humildade de certa forma, porque Freddie Mercury… ele é um ícone, ele é definitivamente um dos meus artistas, cantores e compositores favoritos de todos os tempos, e estar nessa posição nem sempre tem sido fácil, mas tem sido bom, eu sinto que tem sido uma experiência de muito aprendizado.

Liam: Sim, realmente. Falando de fãs, já que é um show de Queen e Adam Lambert, você tem dois tipos de fãs diferentes lá, você percebe alguma união entre os dois?
Adam: Eu acho que sim, eu posso dizer que parece que tem uma conexão, eu tenho visto uma mistura de diferentes pessoas na plateia, o que é adorável, e parece que definitivamente há como uma camaradagem, é engraçado, porque eu já ouvi que definitivamente há um ceticismo inicial como “Oh Deus! Esse cara poderá lidar com essas coisas”, e tudo o mais, e eu acho que isso sempre foi excitante porque, ao entrar no palco, isso como que me alimenta, como que eu tenha que provar que eu sou eu mesmo.

Liam: De certa forma, você trouxe Queen, de volta para os fãs de Queen e você como que introduziu aos seus próprios fãs não necessariamente um novo gênero, mas uma nova música. Nesse sentido, o que descreveria que sente quando se apresenta com o Queen?
Adam: A coisa que eu amo sobre a música do Queen é que eles têm muitos estilos, ultimamente acho que as pessoas estão muito preocupadas com os gêneros na música e isso realmente não importa para mim… eu quero dizer, qual é a diferença se nós cantamos uma canção de rock ou funk ou pop ou uma balada, é tudo música, especialmente para as pessoas de hoje em dia, onde a maioria tem uma lista de músicas no seu iPhone, com milhares de diferentes tipos de músicas. Eu acho que antigamente as pessoas se identificavam com gêneros como uma comunidade, tipo eu gosto de rock é isso que eu ouço, e esta é a minha comunidade, mas hoje em dia realmente não funciona dessa maneira. Eu acho que hoje é mais sobre o próprio artista entre os fãs. Pois bem, a coisa legal sobre cantar a música do Queen, é que ela atinge muitas pessoas, é variada e espero que isso libere expectativas para mim, a nível pessoal, de ser capaz de experimentar e fazer um monte de coisas diferentes também.

Liam: Isso é incrível, você estava falando um pouco sobre listas, e telefones… se pudéssemos ver as músicas mais tocadas recentemente no seu iTunes… que músicas Adam Lambert está ouvindo agora?
Adam: Não sei, eu vejo o iTunes a cada duas semanas, eu dou uma olhada em blogs, blogs de música, e aí vejo o que está acontecendo, baixo as músicas e vou escutando e fico com o que me interessa. Eu gosto de estar atualizado, eu acabo de baixar o EP da Kiesza, que eu acho muito legal, ela canta muito.

Liam: A canção “Hideaway” é fantástica.
Adam: É super cativante, é bem anos noventa, como uma volta ao passado, e sua voz é fenomenal, eu gosto muito da voz dela, ela faz um cover do “What Is Love”, lembra aquela canção do Haddaway, ela fez uma versão balada que é muito bonita.

Liam: Eu não ouvi essa.
Adam: Sim, está em seu EP, é muito legal, eu tenho também o novo álbum do Ed Sheeran que é muito bom, o novo do Sam Smith é muito bonito. Sim, eu amo músicas pop bem produzidas, como qualquer outra pessoa, mas é muito bom ouvir novas vozes saindo e termos pessoas que realmente cantem bem.

Liam: Falando sobre música bem produzida e sobre cantar bem, Adam, com toda essa experiência com o Queen, podemos esperar um pouco de influência de Queen em seu terceiro álbum? Porque em “Trespassing” você pode ouvir uma influência de Queen em [na música] “Trespassing” entre outras… o que vai acontecer com este novo disco no qual você está trabalhando?
Adam: Eu não tenho certeza porque ainda está tudo no ar, ainda não terminamos com o álbum, ele ainda está sendo construído… mas quem sabe, pode haver…

Liam: Porque há tantos rumores por aí de que vai haver um álbum inteiro de Queen e Adam Lambert. Mas não é o caso, ele só vai ser um álbum de Adam Lambert?
Adam: Sim, eu estou trabalhando em um álbum solo.

Liam: Legal, pelo que eu estou vendo online, uma das partes favoritas dos fãs neste novo show de Queen e Adam é “Killer Queen”, onde você realmente fica ousado. Há uma canção que tão logo começa a tocar e você diz sim, eu vou entrar nessa, isso vai ser fantástico, e então vocês arrasam, há uma canção favorita na lista?
Adam: É difícil ter uma favorita, todas são realmente fabulosas, eu fico realmente muito animado com “Another One Bites The Dust”, porque eu acho que é muito sexy.

Liam: Você se empolga com o som do baixo…
Adam: Não, isso é legal, tem algo sobre essa música… obviamente para mim, eu acho que Pharrell foi inspirado por isso em “Trespassing”, um pouco… todas são ótimas, não sei, todas têm diferentes cores, diferentes sentimentos.

Liam: Falando de cores, notei outro dia que você escreveu sobre o tipo de vestuário com o qual trabalha no show, com um monte de cores diferentes como vermelho cereja, havia alguns com estampas de leopardo… você tem algum tipo de inspiração para as diferentes cores que escolhe?
Adam: Engraçado, nós queríamos fazer o set dourado, isso era realmente importante para mim e eu dizia “quero dourado, eu quero que tudo seja preto e dourado”, que seja legal, meio nostálgico, mas ao mesmo tempo atual, então dourado é tudo pra mim. Eu estava procurando em diferentes linhas da moda para me inspirar, e Versace faz um monte de coisas com preto e dourado que eu pensei que seria legal. Saint Laurent é uma outra linha de moda que tem se inspirado no início dos anos oitenta, meio Rock n’Roll, e por isso conseguimos uma série de conceitos de cores a partir das linhas de moda das passarelas.

Liam: Eu vi seu tweet sobre sua cueca Versace… podemos esperar que você a use no palco?
Adam: Bem, talvez… mas então como você vai saber, porque eu simplesmente não vou usá-la sozinha!

Liam: Essa é boa, muito boa. Bem, estamos falando de aprendizados… não há nada que você tenha aprendido com esta turnê que possa ser usado para a sua própria turnê, quando você fizer a sua próxima?
Adam: Eu definitivamente estou aprendendo muito, além da turnê do American Idol que fizemos logo após o Idol, eu não tinha me apresentado em lugares tão grandes antes, então é totalmente diferente se apresentar para quinze mil pessoas ao mesmo tempo, é diferente tecnicamente, é diferente energicamente. Estou com os dedos cruzados, talvez em algum momento no futuro eu poderei me apresentar para um público desse tamanho por conta própria, e acho que só aí veremos o que eu aprendi nesse ponto.

Liam: Falando em colaborações, você realmente colaborou com a base das bases e não pode superar isso, há alguma outra coisa sobre qual é o seu próximo passo?
Adam: Eu acho que este [próximo] álbum vai virar uma página, eu realmente tenho um bom pressentimento sobre isso, vai ter uma nova energia, novos sons, eu realmente não posso dizer muito sobre isso, infelizmente, porque ainda não chegou a esse ponto, mas eu estou trabalhando com algumas pessoas importantes e eu acho que vai ser muito sólido, realmente vai ser uma coisa muito boa.

Liam: Maravilha, isso é uma boa maneira de descrevê-lo, nós realmente mal podemos esperar para ouvi-lo, Adam Lambert, no dia 03 de Setembro na Vector Arena com o Queen, ingressos à venda no ticketmaster.com.nz. Muito obrigado por se juntar a nós.
Adam: Eu estou super entusiasmado em ir ver vocês, muito obrigado.

Liam: Entusiasmado em ver você quando estiver aqui. Rapidamente, antes de ir, você tem alguma última mensagem rápida para seus fãs?
Adam: Bem, Kiwis… vamos à festa, eu vou estar lá, eu, Roger Taylor, Brian May e o resto da banda, e vamos fazer um show muito bom… estejam preparados!

Se você clicar aqui, você confere em nossa publicação anterior, o que foi o último programa de Liam, e aos 01m57s, você pode acompanhar a emocionante despedida dele ao programa, aos prantos, nem mesmo conseguindo articular as palavras, e aqui mais uma publicação sobre sua saída da Rádio Flea.

NOTA: A palavra kiwi vem da língua dos maoris, o povo indígena da Nova Zelândia, que migrou para lá da Polinésia, principalmente do Taiti, no século IX. Kiwi é o nome da ave que não consegue voar. É o símbolo nacional do país e, informalmente, também o apelido para a pessoa neozelandesa. A palavra kiwi também ficou popularizada como o nome da fruta, kiwifruit, cultivada originalmente na Nova Zelândia e hoje muito apreciada no mundo inteiro. (Tecla SAP)

Fontes: Adam Lambert TV, Talented Artists of the Glamily (T.A.O.G) e iHeartRadio NZ/YouTube

Tradução: Sandra Saez

Share/Bookmark


Mix 104.1: “Prévia do Show: Queen and Adam Lambert” – (Boston – 22/07)

By in julho 23, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Queen + Adam Lambert, Shows

Prévia do Show: Queen e Adam Lambert

Preparem-se #Glamberts, porque até agora, os comentários de Queen e Adam Lambert em concerto têm sido ótimos!

Embora ninguém poderia substituir Freddie Mercury, Lambert até que é um substituto substancial. A combinação de seus inegáveis vocais feitos para arrasar e sua natural presença teatral, torna Adam uma peça adequada para o Queen.

Para aqueles que ainda estão com dúvida de aceitar Adam na banda, a nossa estação irmã WZLX tem algumas palavras de conforto sobre o porquê você deve dar uma chance para Lambert.

A América teve um gostinho de como Adam e Queen soam juntos durante a final do American Idol 5 anos atrás, e Glamberts e fãs do Queen têm comentado sobre essa apresentação desde então.

Não se importem com o vencedor, Kris Allen, que nem se compara com Adam no vídeo a seguir:

Estamos contentes de que Adam não ganhou o Idol, porque ele poderia não estar na invejável posição que ele está agora. Desde o show, e sem nenhuma palavra de Simon, Adam lançou dois álbuns de sucesso, cada um acompanhado com sua própria turnê. Adam também aperfeiçoou em sua atuação, com o seu papel de Elliot “Starchild” Gilbert no popular programa de TV, Glee.

Amanhã à noite, no TD Garden, Glamberts vá ver o quanto Adam cresceu desde seus dias de Idol. Seus vocais perfeitos e show ao vivo polido com certeza vai surpreendê-lo!

Felizmente, ainda há ingressoss à venda, variando de US$ 52 – US$ 144, então consiga seus ingressos agora!

O Show começa às 7h30m. Esperamos ver você lá!

Fontes: Adam Lambert Fan Club e Mix 104.1

Tradução: Sandra Saez



Adam Lambert fala ao Yahoo! Music sobre a turnê Queen + Adam Lambert e seu próximo álbum

By in julho 23, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Notícias, Queen + Adam Lambert

Neste sábado (19) já havíamos publicado aqui, que Lindsay Parker, do Yahoo! Music (Reality Rocks), teve a oportunidade de entrevistar Adam Lambert pelos bastidores da Turnê Queen + Adam Lambert. Nesta segunda-feira (21) ela teve oportunidade de falar com Adam novamente. Confiram abaixo como foi essa entrevista:

Adam Lambert pode estar finalizando uma turnê pelos EUA, mas sua agenda estará bem cheia por bastante tempo. Uma turnê Queen + Adam Lambert para a Austrália e a Nova Zelândia começa em 22 de Agosto, ele está atualmente participando da campanha “Live Proud” da AT&T e, é claro, há o seu novo álbum, fechado a sete-chaves, que supostamente será lançado no começo de 2015 (Adam não vai confirmar a data ainda).

Entre o furacão de datas da turnê e sessões de gravação, Adam conversou com o Yahoo! Music sobre os desafios de assumir o fabuloso legado de Freddie Mercury, ganhar plateias do Queen e como sua experiência de verão com a banda pode afetar sua música solo. Não o parem agora, ele está se divertindo…

YAHOO! MUSIC: Você já está na estrada com o Queen há mais de um mês. Como vão indo?
Adam: Estamos indo muito bem. Nós temos recebido muito carinho; você realmente sente a plateia chegando mais perto conforme o show progride. Quero dizer, nas primeiras duas músicas, eu posso olhar em volta e sentir um pouco de “Ok, tudo bem, nós estamos avaliando você, nós ainda não sabemos…” E então, há certos momentos durante o show onde eu pude sentir que a plateia se entregou a tudo isso – o que é parte do que deveria acontecer, como essa suspensão do descrédito. É um pouco como uma fuga e uma jornada. Partes disso deveriam ser ridículas, esse é o espírito da banda, é como eles eram, então essa é uma das razões de eu não ter ficado tímido com os figurinos ou com algumas das minhas escolhas no palco. Esse é o espírito da banda, é assim que as coisas foram idealizadas originalmente, e eu quero me esforçar ao máximo para dar vida a esse espírito novamente!

YM: Você definitivamente não está tímido com o figurino. Você até usa uma coroa brilhante em um ponto do show…
Adam: Ha, todo mundo está falando da coroa. Quer dizer, sim, estou certo de que há muito simbolismo nela. Eu apenas pensei, “A banda é Queen, eu deveria ter uma coroa!” Freddie apareceu no palco com o manto e a coroa em um momento, e eu achei tão exagerado e ridículo e hilário, então eu quis fazer isso também… mas a minha coroa é um pouco mais brilhante.

YM: Alguns puristas do Queen têm pegado pesado com você em mensagens por causa da coroa… Como se você estivesse tentando ser o Freddie ou algo assim…
Adam: Bem, o que eu acho realmente legal sobre o show é que nós, propositadamente, visualmente e musicalmente, tentamos não nos afastar muito do Queen original, mesmo esta sendo uma nova encarnação. Acho que nós todos concordamos, “Vamos recriar alguns destes momentos e sons, visuais e estilos icônicos” – mesmo com as roupas, eu vi vários dos velhos figurinos do Freddie e de onde ele estava obtendo inspiração e também o período de tempo, e meio que tentei seguir isso um pouco.

YM: Foi intimidante assumir os vocais da música solo de Freddie “Love Kills” no show, já que ele nunca a cantou em vida?
Adam: Sim, de certo modo, mas foi muito excitante também – é mais difícil comparar esta, em oposição a eu cantar “Who Wants To Live Forever”, onde você pode ouvir a versão original e pensar, “Bem, a do Freddie é incrível…”

YM: O que você mais gostou em cantar os clássicos do Queen?
Adam: Eu tenho um passado no teatro e tenho feito coisas estranhas e exageradas, então, quando nós chegamos àquelas músicas no set, é fácil me encaixar. Mas eu realmente gosto de fazer as do tipo mais funk e blues. Eu também gosto daquilo no final de “Somebody To Love”, eu meio que vou um pouco aos céus, nesse ponto. Estes são os momentos de que eu sempre adoro quando estou no palco, e eu posso brincar de me fantasiar!

YM: Você acha que, depois da turnê, você e o Queen poderiam fazer um álbum com material novo? Isso seria interessante.
Adam: Eu não sei. Nesse momento não se pode dizer nunca. Quer dizer, se alguém me dissesse, cinco anos atrás, “Oh, você vai sair em uma turnê dessa proporção, no verão, com o Queen”, eu teria dito “Sério?”. Então tenho certeza de que se for a coisa certa e nós sentirmos que é o momento certo, a música certa ou o que seja, isso poderia acontecer. Realmente não está nos planos neste momento. Nós só estamos tentando nos focar no que está a nossa frente no próximo mês. E, no horizonte, eu tenho trabalhado no meu álbum…

YM: Como você acha que sua experiência com o Queen vai afetar seu álbum? Como isso tem influenciado você?
Adam: Acho que uma das coisas legais de estar em turnê com esse grupo é que isso abre muitas portas diferentes, musicalmente. Quer dizer, Queen faz blues rock do Sul, faz pop, faz coisas glam/teatrais/operáticas, eles fazem punk. A música deles alcança todos os lugares e obviamente cobre um espaço de décadas, então meio que me faz sentir, para meu futuro álbum, com muita liberdade para fazer o que eu quiser, música por música. Eu acho que, hoje em dia, tentar classificar alguém em um único gênero é meio ultrapassado; não acho que é o que está acontecendo. Eu acho que todos estão, tipo “Ok, eu vou pegar emprestado um pouco disso, daquilo e daquela outra coisa; estas são minhas referências, e eu vou misturar todas de um jeito novo”. Eu acho que haverá alguns sons novos nesse álbum que eu ainda não tentei, e algumas coisas que são muito eu mesmo, e algumas coisas um pouco retro, mas não muito retro…

YM: Você definitivamente tirou muita coisa dos anos 70 e 80 em seus dois primeiros álbuns.
Adam: Totalmente, há algo de cada década que eu posso apontar. Eu amo muita coisa dos anos 70 e eu amo muita coisa dos anos 90. É engraçado como as tendências mudam, sabe? Agora, do nada, toda essa house music dos anos 90 está se tornando popular, e é tipo, quem viu isso chegando?

YM:Eu acho que seu álbum Trespassing estava à frente do seu tempo por quase um ano. Ele tinha Nile Rodgers e Pharrell Williams e então, um ano depois, “Get Lucky” do Daft Punk estourou e agora Nile e Pharrel estão por toda parte…
Adam: É engraçado, sabe. O que eu acho engraçado na indústria da música, que eu aprendi do jeito mais difícil, é que parte disso é a música – você tem que ter boas músicas, obviamente, ou então seu produto não aparece – mas muito disso é o timing e o posicionamento. O negócio da música é realmente complicado e tudo tem meio que andar em uníssono, em harmonia, para se fazer um lançamento de sucesso. E isso é algo que eu ainda estou aprendendo. Eu acho que com este [disco] que está vindo, sem poder contar muitos detalhes sobre o plano de negócios, vai ser uma situação diferente: gravadora diferente, produtores diferentes, diferentes pessoas envolvidas, uma gestão diferente. Vai ser tudo um jogo diferente, então estou bastante animado.

Fonte: Yahoo! Music (Reality Rocks)

Tradução: Stefani Banhete



OnePopz: Adam Lambert e Queen detonam no Madison Square Garden: ‘Nós nunca ouvimos tanto amor!’” – (Nova York – 17/07)

By in julho 22, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Queen + Adam Lambert, Shows

Adam Lambert e Queen detonam no Madison Square Garden: “Nós nunca ouvimos tanto amor!”

Fãs antigos do Queen e grandes Glamberts de Adam Lambert se juntaram na noite de quinta-feira, no lendário Madison Square Garden em Nova York, para honrar seus heróis e serem detonados.

E quando o show acabou na icônica avenida da Big Apple, Adam e a banda compartilharam com os fãs o quão “fantástica” foi aquela noite.

O guitarrista do Queen, Brian May, instantaneamente postou para todos no Twitter: “Essa noite foi a realização de um sonho”, ele escreveu. “Obrigado pessoal de Nova York. Fantástico. Deus os abençoe. Boa noite. Bri.”

Então Brian retornou ao Twitter, e postou outra mensagem de amor: “Vocês são abençoados, pessoal. Uma noite para recordar para sempre. Muito obrigado. Eu nunca ouvi tanta positividade e amor. Gostei muito.”

Adam e Queen estão na estrada desde de Junho, passando pela América do Norte em sua turnê de verão, antes de ir para a Austrália, Nova Zelândia e Ásia.

Os fãs europeus do Queen + Adam também ouviram ótimas notícias essa semana.

Parece que a banda está aberta a apresentar mais shows na Europa após o final dessa turnê.

Entretanto, esse é um “talvez” de acordo com Brian May.

Quando perguntado pelos fãs no Twitter no início dessa semana sobre essa possibilidade, isso foi o que ele disse: “Bem… @QueenWillRock @adamlambert TALVEZ!”

Outra notícia do Queen, a banda adicionou mais um show na Nova Zelândia em sua lista de shows no verão.

Eles detonarão na Vector Arena em Auckland para seus fãs da Nova Zelândia mais uma vez dia 03 de Setembro.

Fontes: @14gelly e OnePopz

Tradução: Carolina Martins C.



Sharon Osbourne declara que Adam Lambert foi quem chegou mais perto de um rockstar ao sair de um show de talentos

By in julho 22, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Notícias

Sharon Osbourne [ver nota], que também é mãe da amiga e vizinha de Adam Lambert por algum tempo, Kelly Ousbourne, foi questionada pela imprensa nesta segunda-feira (21), se seu programa [The X Factor] vai produzir um verdadeiro astro do rock n’roll, ao que ela respondeu enfaticamente: “Não, nunca. O mais próximo foi Adam Lambert, no American Idol. Ele é brilhante. Mas ele foi ótimo, justamente porque sabia quem ele era como artista, antes mesmo de entrar no programa [American Idol].”

NOTA: Sharon Osbourne é inglesa, apresentadora de televisão, personalidade da mídia, jurada em concursos de talentos da televisão, autora, empresária, e promotora, e a esposa do cantor e compositor de heavy metal Ozzy Osbourne. Já foi jurada na versão britânica original do “The X Factor”, de 2004 a 2007; retornando em 2013, e do programa “America’s Got Talent”, de 2007 até 2012. (Wikipedia)

Fontes: @14gelly e Pressparty



Lyndsey Parker do Yahoo! Music (Reality Rocks) entrevista Adam Lambert

By in julho 19, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas

Lyndsey Parker, do Yahoo! Music (Reality Rocks), recentemente teve a oportunidade de entrevistar Adam Lambert pelos bastidores da Turnê Queen + Adam Lambert. Confira como foi a entrevista a seguir:

Adam vive orgulhoso e cuida de sua vida

Adam Lambert atualmente está na estrada como vocalista da grande banda de rock Queen, o que significa que ele está sendo ouvido mais do que nunca e está alcançado novas audiências. Então a hora é perfeita para ele participar da segunda campanha anual Live Proud da AT&T, que procura sensibilizar, capacitar e orgulhar a comunidade LGBT e além.

Até 10 de Agosto, os fãs podem concorrer a uma viagem para Nova York para conhecer Adam em um evento privado mandando um meme único que represente seu momento “Live Proud”. O Yahoo! Music teve uma chance de falar com o cantor entre os shows do Queen para falar sobre sua história de ativismo e defesa, como o mundo mudou nesses anos desde que ele quebrou barreiras no American Idol, e como a internet pode ser um lugar para amantes, e não inimigos.

Yahoo! Music: Quando você saiu do Idol, você não discutiu sua sexualidade ou política. Mas com o passar dos anos, você se abriu mais sobre grandes problemas, um embaixador da verdade. O que mudou nesse tempo?
Adam: Não era algo em que eu fiquei interessado imediatamente. Eu acho que eu tenho uma visão do túnel; eu acho que muitos artistas criativos tendem a ser assim. Eu fico um pouco obcecado com um projeto e assim que meu mundo se transforma. No Idol eu ficava preso à “Ok, que músicas eu quero fazer toda semana?”, e então eu comecei a olhar outras coisas e virou “Ok, agora você tem que fazer um álbum.” Mas então minha carreira musical estava com um início bom, e mais e mais coisas começaram a aparecer, diferentes oportunidades de usar minha fama para o bem. Eu fiquei mais interessado nesses tipos de oportunidades: trabalhos de caridade, organizações como o GLAAD e o Trevor Project. E mesmo devagar, foi algo que eu senti que deveria contribuir.

Yahoo! Music: Eu sei que algumas vezes você disse que se sentia um pouco desconfortável sendo um “modelo a seguir” para a comunidade gay, porque há muitas opiniões diferentes na comunidade…
Adam: Eu acho que as coisas estão mudando, e para melhor. Eu acho que ainda há uma lacuna geracional na comunidade LGBT. Há as filosofias mais antigas sobre ativismo, integração e todos esse problemas, e há as pessoas que estão entrando agora, os novos membros da comunidade, pessoas que tem 18, 19, 20, 21 anos – eles têm um olhar diferente sobre isso, porque cresceram em uma época diferente e a comunidade está mudando muito rapidamente. Até os direitos civis estão mudando, e está criando uma certa divisão. Eu acho que quando ganhei notoriedade depois do Idol, estávamos bem nesse ponto. E agora estamos ficando melhor, eu acho.

Yahoo! Music: Você acha que fez parte ao mudar o pensamento das pessoas sobre a comunidade gay ou direitos gays, que você ajudou na aceitação de alguma forma?
Adam: Eu não acho que posso dizer que fiz algo, seria bem narcisista. Mas eu acho que foi na época certa. Quando eu entrei no Idol, foi em uma época em que não haviam centenas de celebridades, especialmente homens, que haviam se assumido. Então foi uma época em que a comunidade gay estava começando a integrar a cultura pop, ao invés de ser fechada como sempre foi. Agora, cinco anos depois, nós somos uma grande parte da cultura pop. Então é mais fácil agora do que há cinco anos, o que é legal, pois estou curioso em saber como isso afeta a conexão das pessoas com a música.

Yahoo! Music: Isso significa que você terá mais músicas com tópicos em seu próximo álbum, junto com os versos do hino dos direitos iguais “Outlaws Of Love” de Trespassing?
Adam: Eu não tenho certeza. “Outlaws Of Love” simplesmente aconteceu. Foi bem orgânico; eu estava sentado escrevendo e isso apareceu, sabe? Muitas das coisas que aparecem são bem impulsivas e aparecem do nada, e você as captura e transforma em uma música. Mas é difícil para eu dizer isso agora “Ah sim, espere, deixe-me olhar na minha bola de cristal e ver o que irá me inspirar”.

Yahoo! Music: Você recebeu alguns comentários interessantes dos fãs, sobre como você os afetou?
Adam: Eu recebi algumas cartas, e conheci algumas pessoas. Eu recebi uma carta de uma mulher em Utah e ela disse “Eu cresci em uma área bem conservadora e nós não entendíamos nada sobre gays, era algo que ninguém comentava. E então eu virei sua fã e comecei a falar sobre isso, e isso me forçou a fazer algumas perguntas e ficar confortável com isso, porque eu queria entender isso.” E eu acho que ela disse que fez amizade com seu cabeleireiro, que foi ironicamente clichê! Mas foi uma carta legal de se receber de alguém que escolheu abrir a mente. Poder fazer parte disso para alguém é bem legal, bem poderoso.

Yahoo! Music: É claro que sempre haverão haters, especialmente na internet. O Twitter e a seção de comentários de sites estão sempre cheios de ódio, e às vezes você sente o peso disso. Como você lida com isso?
Adam: Acho que todos podemos ser arrastados para isso, mas devemos nos lembrar de que a vida não é só na internet. Na vida real não tem só isso. Há muito da nossa vida que é vivido na internet, e nós esquecemos que há outra dimensão. E acho que quando as pessoas ficam presas nesses argumentos e debates na seção de comentários de blogs e etc., não é nem um debate de verdade. Você não consegue nem ver a pessoa, e muita entoação fica perdida no texto, não é nem uma conversa de verdade. Eu sempre brinco dizendo “Eu queria que essas pessoas que vão online e brigam e espalham ódio para outros tivessem coragem de fazer isso na vida real”, porque provavelmente seria um jogo diferente.

Yahoo! Music: Mas agora você está usando a internet e as mídias sociais para o bem.
Adam: Sim, por outro lado, a internet pode ser uma ótima ferramenta e super poderosa. Essa campanha Live Proud, da qual eu faço parte, é minha forma de marchar em uma parada, mas fazendo isso simultaneamente com os fãs. É obviamente para promover o orgulho e a individualidade, e para lembrar as pessoas de que há uma maneira de se afirmar e ser você mesmo, saindo da mentalidade comum.

Yahoo! Music: Para você, o que significa “viver com orgulho”?
Adam: Eu acho que ações demonstram melhor do que palavras, e acho que só por ousar ser diferente, já é uma afirmação. Não é fácil viver sua vida ou sua criatividade artística dessa maneira. Acho que para todos, mesmo quem está no ensino médio ou quem é mais velho, seguir a moda e as regras é mais seguro. Mas é necessário muita coragem para ser diferente e individual. E acho que isso faz parte dessa campanha, deixe sua voz ser ouvida, e descubra uma maneira de colocar sua afirmação em um meme, ou sua visão.

Yahoo! Music: Você tem algum meme especial?
Adam: Sim, eu criei alguns que colocamos no twitter. Eu disse “Tenha sua vida” que está em [minha música com Avicii] “Lay Me Down” que eu escrevi. Eu tentei incorporar a linguagem que eu escuto na comunidade gay, como as gírias e o modo de falar que ouço. Isso é o que alguns dizem “Ah, tenha sua vida” – um forma mais interessante de dizer “Vá com seu lado ruim!”

Fontes: Adam Lambert TV e Yahoo! Music (Reality Rocks)

Tradução: Carolina Martins C.



Brian May diz que Adam Lambert encontra sua própria maneira com as músicas de Queen

By in julho 18, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Queen + Adam Lambert, Vídeos

Brian May diz que Adam Lambert encontra sua própria maneira com a as músicas de Queen

QUEEN no mês passado voltou à América do Norte para uma turnê de 24 dias com o finalista do “American Idol” Adam Lambert, mais uma vez como vocalista da banda.

Membros da banda QUEEN, Brian May e Roger Taylor admite que a sua colaboração atual com Lambert se encaixa melhor do que com seu envolvimento anterior, o legendário cantor de rock, Paul Rodgers.

“Ele é sensacional”, diz Taylor à Oakland Press. “Eu descrevo ele quase como um Elvis [Presley] extravagante. Ele tem essa gama inacreditável, porque [ o falecido cantor QUEEN ] Freddie [Mercury] tinha um grande alcance. Adam pode realmente cobri-lo. Ele é um cantor extraordinário e talentoso. Sinto que ele se encaixa bem com nosso tipo de teatralidade. É confortável.”

May acrescenta: “Uma das grandes coisas sobre Adam é que ele nunca é um imitador. Ele encontra sua própria maneira com as músicas, e é isso que todos nós queremos. Queremos que a nossa música esteja viva e perigosa e ainda aberta a mudanças. Freddie… em particular, odiaria ter coisas reproduzidas do mesmo jeito que estavam. Nós levamos para lugares diferentes e isso é excitante, eu não acho que nós estaríamos fazendo isso se não acreditasse que estaríamos indo para um novo território”.

May também defendeu QUEEN contra os críticos que não acham que a banda nunca mais deveria tocar, porque Freddie não está mais vivo para estar em frente do grupo.

“As pessoas querem ouvir músicas de QUEEN”, explica o guitarrista. “Eles querem ouvi-lo, e eles querem ver Roger e eu tocando juntos e nós gostamos de tocar. Nem Roger e eu estamos desesperados para sair e fazer o que fazíamos, porque já fizemos. Não é como se estivéssemos sempre à procura de alguém para cantar para nós. Organicamente, isso aconteceu com Adam. Nós apenas nos sentimos bem com isso, e nós não estaríamos aqui se não sentimos que era certo e natural. Então, ter essa oportunidade é ótimo para mim. Ainda estamos vivos, graças a Deus, e ainda estamos saudáveis o suficiente para sair e pisar no palco mais uma vez.”

A turnê norte-americana do Queen com Lambert termina 28 de Julho em Toronto, Ontário no Air Canada Centre.

O trio compartilhou pela primeira vez o palco durante o “American Idol”, em Maio de 2009 com uma performance de “We Are The Champions”. Eles uniram-se novamente em 2011 no MTV European Music Awards em Belfast, na Irlanda para um final eletrizante de oito minutos de “The Show Must Go On”, “We Will Rock You” e “We Are The Champions” e no verão de 2012, Lambert realizou uma série de shows com Queen em toda a Europa, com datas na Rússia, na Ucrânia e na Polônia. Eles também realizaram três shows esgotados no Hammersmith Apollo, em Londres.

Em 2008, May e Taylor, que estavam em turnê com Rodgers como QUEEN + PAUL RODGERS, lançaram o álbum fracassado, “The Cosmos Rocks”, antes de desistirem como um trio e um contrato de gravação, apesar de uma série de shows esgotados mundialmente.

Fontes: Adam Lambert TV e Blabbermouth

Tradução: Sandra Saez



Comunicado Oficial no Site Oficial do Queen: Queen + Adam Lambert: Anúncio de Show na Nova Zelândia

By in julho 18, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Queen + Adam Lambert, Shows

Conforme publicamos aqui e aqui nesta semana, Queen + Adam Lambert anunciaram uma data extra na Nova Zelândia, no dia 03 de Setembro, em Auckland. Confira o comunicado publicado no Site Oficial do Queen sobre este show exclusivo:

Queen + Adam Lambert: Anúncio de Show na Nova Zelândia

A espera acabou – pela primeira vez em 30 anos – a Dainty Group tem o prazer de revelar que a lendária banda Queen + Adam Lambert confirmou que a “Once In a Lifetime Tour” virá para a Nova Zelândia. “Vamos arrasar nessas lindas arenas mais uma vez!” disse Brian May.

Queen + Adam Lambert podem anunciar agora que seu único show na Nova Zelândia será na quarta-feira, em 03 de Setembro na Vector Arena em Auckland. Devido à alta demanda, shows extras foram adicionados à turnê australiana e ingressos para o show de Auckland estarão igualmente procurados – se você conseguir um!

Os fãs ficaram animados com essa notícia e podem esperar uma produção esplêndida que contém o espetáculo operático e glamour de uma performance do Queen.

Essa é a primeira turnê do Queen na Nova Zelândia desde 1985, e será uma oportunidade única de presenciar uma das bandas de rock mais amadas apresentando um set cheio das melhores músicas de rock já escritas. Muitos diriam que é a melhor da história. Não podem perder!

Ingressos adiantados para o show de Queen + Adam Lambert 2014 na Vector Arena estarão disponíveis no Ticketmaster e Dainty Group na pré-venda.

Ingressos para o público em geral serão vendidos às 9h da manhã na quinta-feira, 24 de Julho pelo Ticketmaster.

A turnê de 24 datas norte-americana começou em Chicago há um mês com Queen e Adam Lambert dando extravagância de rock completo com seus hits mais conhecidos que receberam ótimas críticas.

“O show de abertura da turnê foi um grande espetáculo… Queen tem muitos hits… e muitos outros” – Rolling Stone, Junho de 2014.

“… O show sintetizou o Queen, em toda sua extravagante glória” – Chicago Tribune, Junho de 2014.

“Hits como ‘We Are The Champions’ e ‘The Show Must Go On’ mostraram a sensibilidade pop de alcance estonteante de Lambert enquanto mostrava a técnica solo incomparável de May” – Chicago Sun Times, Junho de 2014.

O promotor Paul Dainty disse sobre essa turnê “Desde que eu comecei a promover e produzir shows, um dos meus maiores sonhos era trazer o Queen de volta à Austrália, e agora esse sonho se tornou realidade. Essa pode ser a última chance dos fãs da Nova Zelândia de verem uma das maiores bandas de rock da história, e como a Rolling Stone disse recentemente ‘Adam Lambert como vocalista do Queen irá surpreender o público.”

Mais boas notícias para os fãs de Queen + Adam Lambert – eles não podem perder o programa ‘Sunday’ para a única entrevista televisiva de Queen e Adam Lambert nesse domingo 20 de Julho às 19h na TV1.

AUCKLAND – QUARTA-FEIRA 3 de SETEMBRO – VECTOR ARENA

INGRESSOS À VENDA ÀS 9H QUINTA-FEIRA 24 DE JULHO

www.ticketmaster.co.nz – 0800 111 999

Faça desta noite um momento eterno e compre um pacote oficial VIP Queen + Adam Lambert!

www.ticketmaster.co.nz/queen

Fontes: Adam Lambert Fan Club, BrianMay.com e The Official Queen Online

Tradução: Carolina Martins C.



Billboard: Queen + Adam Lambert em 4ª colocação das turnês mais rentáveis da semana

By in julho 18, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Notícias, Queen + Adam Lambert, Shows

O site da Billboard publicou um artigo classificando as turnês atuais que estão lotando os estádios, entre elas a turnê de Paul MacCartney, que ocupa a 2ª posição, e então Queen + Adam Lambert ocupando a quarta posição. Confiram abaixo a parte onde o site cita a turnê:

Em quarto lugar na contagem está o conjunto de dois shows em Las Vegas, com Brian May e Roger Taylor, da Icônica banda Queen, com o novo vocalista, o ex-participante do American Idol, Adam Lambert. Anunciado como Queen + Adam Lambert, juntos atraíram multidões em 05 e 06 de Julho, no “The Joint”, no Hard Rock Hotel. May e Taylor já haviam se apresentado antes com outro vocalista no papel do falecido Freddie Mercury, que morreu em 1991. Anteriormente, eles excursionaram com Paul Rodgers, ex-Bad Company desde 2005 até 2009. A atual turnê com Lambert foi lançada no dia 19 de Junho, em Chicago, que foi a primeira das 22 cidades na agenda durante a etapa norte-americana, que vai até o final de Julho. As datas seguirão na Coreia do Sul, Japão e Austrália, em Agosto e Setembro [Canadá, Coreia do Sul, Japão, Austrália e Nova Zelândia].

Fontes: Adam Lambert TV e Billboard

Tradução: Graça Vilar



Ensaio da fã Artistsupporter sobre o Show Queen + Adam Lambert em Los Angeles

By in julho 17, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Queen + Adam Lambert, Shows

Confira a seguir um bonito “ensaio” da fã Artistsupporter sobre o show da turnê Queen + Adam Lambert realizado no The Forum em Los Angeles em 03 de Julho:

A música é a minha droga. Estimula tantas áreas do meu cérebro. A experiência de ver o Queen com o Adam Lambert estimulou uma área em particular do meu cérebro em muitas pessoas da minha idade: o hipocampo. Como sabem, o hipocampo está, principalmente ligado à memória e, para muitos, o Queen é uma memória. Nós lembramo-nos de como Freddie dominava a emoção e nos levava às lágrimas com um movimento do suporte do microfone ou o elevar de um braço ou de uma sobrancelha. Lembramo-nos do quão devastados ficamos ao saber que Freddie tinha desaparecido para sempre. Nós pensamos que o Queen, com toda a sua glória, se tinha ido para sempre também. Provavelmente, a legado mais amplo e bem amado do rock nunca voltaria a ganhar vida. Os nossos filhos e netos nunca teriam a oportunidade de ver Brian, Roger e John a recriar a alegria, o hard-rock extravagante, o brilhantismo, a amizade musical e a diversão que era o Queen com Freddie Mercury.

Entra Adam Lambert. A simetria perfeita do Universo estava a brincar conosco quando ele entrou no American Idol a cantar “Bohemian Rhapsody”, com todo o coração nos seus lábios. Ironicamente, pode ter sido a teatralidade e extravagância que o fez tão bom para o Queen, que lhe deu permissão para passar à Hollywood Week na competição. Mas a qualidade pura, o timbre e a beleza da sua voz não podiam ser negadas e, felizmente, chegou à final da competição. Lá, o Universo jogou a segunda carta: os restantes membros do Queen cantaram com Adam e Kris. Foi assim que a relação entre o Queen e o Adam começou.

Eu tive a sorte de ter ido a Londres para ver o Queen com o Adam há dois anos. Foi o presente de aniversário que o meu querido marido me deu. Nessa altura pensei que tinha morrido e chegado ao céu. Sempre achei a voz do Adam parecida com a música de uma sereia, por isso ouvi-lo a cantar as músicas que tanto gostei com uma banda, de quem tanto adorei durante muito tempo foi a perfeição total. O Queen e o Adam Lambert fizeram um excelente trabalho. Eu pensei que este seria o fim. Quando eles anunciaram que iriam estar no Festival iHeartRadio, em Las Vegas, soube que tinha de arranjar uma forma de lá estar. O meu marido voltou a fazer um milagre e estive lá para ver várias gerações de fãs de música de diversos gêneros a se apaixonarem por aquela combinação mágica. Todos, desde fãs de country até aos de hip hop estavam a cantar. E vi várias expressões de espanto devido à bela voz do Adam durante “Who Wants To Live Forever”, cativando-os como se já fossem fãs ferrenhos do Adam. Estive à espera disto durante quatro anos, pessoas que nunca quiseram saber ou tinham ouvido falar do American Idol estavam a apaixonar-se por este cupcake “deus do rock” talentoso e bonito que nós, fãs do Adam, já adorávamos. Algo começou a funcionar nas mentes de Brian, Roger e Adam e, felizmente para nós, as faíscas do fogo que se iriam tornar o fogo intenso do Queen com Adam Lambert despoletaram.

Quando a turnê foi anunciada, vi que eles iam tocar, no dia do meu aniversário, em L.A., onde vive um dos meus filhos. Foi avassaladora, a tristeza que isto me trouxe, pois sabia que não havia forma de ir. Este último ano não foi fácil, e sabia que não teria ninguém para ficar no meu lugar durante a minha ausência. Não tinha saído do meu estado em um ano e sabia que não iria poder fazê-lo. Como um milagre, o meu marido voltou a salvar-me. O meu marido planejou as coisas de modo a ter 4 ou 5 dias, 2 dos quais seriam para a viagem, e deste modo poderia assistir ao concerto! Apareceu alguém para o meu lugar, depois voltou a ir e voltou outra vez, e assim cheguei finalmente lá.

Devido à generosidade de algumas almas caridosas, tive lugares privilegiados e pude gravar com a minha câmara de 55x zoom. Normalmente, a câmera Nazi teria de ficar de fora, mas com alguma sorte o segurança deu apenas uma olhadela e sorriu para mim. Tive de gravar a experiência para rever uma e outra vez. Vivi a experiência do concerto em L.A. com algumas das pessoas mais queridas que alguma vez conheci e irei estar eternamente grata por isso.

É aqui que me faltam as palavras. Sentei-me no Forum de L.A. com dezenas de milhares de pessoas, olhei em volta e sorri apenas. É aqui que o Queen que conheço e adoro pertencem, e onde pertenceram durante muitos anos. Era aqui que sabia do fundo do meu coração que Adam pertencia, a ser amado, adorado, admirado e apreciado por tantas pessoas numa arena enorme. O arranjo foi com certeza feito no céu. Quando Adam apareceu no palco e “Now I’m Here” começou, agradeci silenciosamente ao Universo por poder ver, ouvir e experienciar isto.

Adam não é o Freddie. Adam nunca disse ser o Freddie e nunca quis competir com a sua memória. Adam é um ser bonito, forte, másculo, sexy, extravagante e formidavelmente talentoso a cantar músicas escritas na perfeição. Adam tornou-as dele e prestou a devida homenagem ao Freddie. Eu limpei as lágrimas várias vezes durante o concerto, mas principalmente quando Adam se curvou perante Freddie e fez um dueto com ele. Brian disse que Freddie teria adorado o Adam e ficaria arrependido por nunca o ter conhecido. Acredito nele de coração. Ninguém melhor do que os seus antigos colegas de banda para saber como teria Freddie reagido, por isso deram-lhe toda a sua aprovação. Quem sou eu, ou outra pessoa será, para argumentar?

Brian May, obrigado por ser o homem adorável, lindo e talentoso que é e por ver o brilho que o Adam tem e em como ele poderia tornar a tua magnífica banda e as suas músicas intemporais ganhar vida uma vez mais para a nova geração. Roger Taylor, obrigado por promover o Adam e por trazer a ele e ao teu filho, a nova geração, para o Queen para atenuar a diferença de gerações. Brian e Roger, obrigado por terem tirado tempo para treinar, trabalhar e sujeitarem os seus corpos à fatigante experiência de vida numa turnê desafiante. Spike e Neal, obrigado por serem os músicos fantásticos que são, e por receberem os novos membros nos seus braços. Obrigado pela química, brincadeira e alegria genuína que todos levam para o palco.

Por último, a coisa que mais se afasta do fim. Obrigado Adam. Obrigado por ser você. Obrigado por ser forte o suficiente para sofrer os ataques dos haters, ou aqueles a quem chamo “os que ainda não são fãs do Adam”. Obrigado por ser humilde o suficiente para as pessoas que estão a prestar atenção por saber qual é o teu lugar neste milagre e que estão agradecidas por isso. Obrigado por ter garra suficiente, por que este é você. Obrigado por elevar o teu dom a alturas extremas e por o proteger quando o desafio é avassalador para o melhor instrumento de todos. Obrigado pela tua extravagância e brincadeira, e por não querer saber o que os outros pensam no que toca a divertimento, alegria e jogos sensuais em palco. E, acima de tudo, obrigado por partilhar tudo isto conosco, os teus fãs leais. Nunca nos desiludiu. Pode ter a certeza que damos valor a isso e ainda te amamos mais por isso.

Fontes: Adam Lambert TV e artistsupporter

Tradução: Kady Freilitz



Site da Nova Zelândia comenta sobre novo show da turnê agendado para Auckland para 03/09

By in julho 17, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Queen + Adam Lambert, Shows

Já havíamos publicado aqui, que mais um show internacional, agora para a Nova Zelândia, foi acrescentado à agenda, para o dia 03 de Setembro. Nesta quinta-feira (17), o site local do The New Zealand Herald, publicou um artigo a respeito. Confiram:

Brian May em rapsódias no retorno do Queen à Nova Zelândia com Adam Lambert

Queen, uma das maiores bandas campeãs de vendas, mais amadas e mais duradouras da história do rock, está se dirigindo para Auckland, pela primeira vez em quase 30 anos.

Sim, você leu corretamente.

Apesar da morte do extravagante vocalista da banda, Freddie Mercury, em 1991, Queen estará se apresentando na Vector Arena, na quarta-feira, 03 de Setembro – com a estrela do American Idol, Adam Lambert, nos vocais.

Lambert se apresentou pela primeira vez com os membros originais do Queen, o guitarrista Brian May e o baterista Roger Taylor em 2009, na final do American Idol, competição que lançou sua carreira solo.

Desde então, a banda e Lambert têm excursionado juntos, pela primeira vez na Europa em 2012 e nos Estados Unidos e no Canadá nos últimos meses, onde eles seguem ganhando elogios da crítica.

Falando ao “Timeout”, de Toronto esta semana, May disse que estava animado com a reação na mídia social para a apresentação de Lambert, dos fãs obstinados do Queen que possam ainda estarem céticos sobre a combinação:

“O ajuste é incrivelmente bom e, do ponto de vista dos fãs do Queen, Adam é apenas cem por cento melhor do que ninguém percebeu. Adam tem uma voz em um bilhão e seu alcance é estupendo e agora ele aprendeu, como Freddie fez, a aproveitar melhor isso – ele não é mais um garoto e sua interpretação das músicas é de tirar o fôlego.”

Fontes: Adam Lambert’s New Zealand Glitter Tribe e The New Zealand Herald

Tradução: Graça Vilar



Rob Halford, do Judas Priest, fala sobre Adam à frente da turnê com o Queen: “Adam Lambert é Extraordinário”

By in julho 17, 2014 • Filed in: Artigos e Entrevistas, Queen + Adam Lambert, Vídeos

Clique na imagem acima para visualizá-la em tamanho maior.

Rob Halford da banda Judas Priest & Black Sabbath, falou com Nikki Sixx (Motley Crue) e Jenn do programa Sixx Sense, sobre a participação de Adam Lambert frente à banda Queen, enfatizando que: “Adam Lambert é Extraordinário” . Confiram abaixo a tradução do que ele disse na entrevista, quando fala de Adam e da turnê, dos 11m14s até os 13m46s:

Nikki: Eu fui muito afortunado em poder entrevistar Queen recentemente e eles têm uma vaga para um baixista, e eu poderia entrar em uma das minhas bandas favoritas porque eu ainda não desisti. [risos]

Rob: Eu tenho sido um grande fã de Queen desde o começo, eu me lembro quando os vi nos primeiros shows na Inglaterra e eles simplesmente me surpreenderam, eu não podia acreditar que esses caras faziam coisas tão extraordinárias, no final, a música vive mais tempo do que nós, a música vai durar muito mais tempo do que nós podemos tocá-la, o que é incrível, o que estou tentando dizer é que é muito bom ver os caras de volta na estrada, eles não precisariam sair, e quando você vê eles se apresentarem e você vê o amor pela suas músicas então desejo-lhes tudo de bom novamente. Adam é um cara fenomenal, e claro, só vai ter um Freddie Mercury, mas o que Adam está fazendo é extraordinário, ele está cantando demais.

Nikki: Eu fico muito preocupado quando há apenas duas pessoas em uma banda, mas acho que se houver mais uma pessoa, Adam É a pessoa, ele é muito sincero e um grande cantor e uma ótima plataforma para esses caras e realmente o que eu gostaria de ver é o que estou vendo agora. Eu quero ver música nova do Queen, quero que as pessoas continuem a fazer música, é importante como você disse, que a música viva para sempre, é importante continuar a fazer isso cada vez mais.

Rob: Sim, porque é bom deixar que todos saibam que você ainda é capaz de fazer Rock n’ Roll, eu acho que os fãs encontraram uma maneira muito forte de dizer: a minha banda ainda está aqui, minha banda ainda está fazendo música, minha banda ainda está fazendo shows, e é por isso que eu sou fã desta banda, por isso é maravilhoso continuar a fazer isso.

Fontes: Adam Lambert TV e Sixx Sense

Tradução: Sandra Saez