Archive for the ‘Álbum’ Category


O produtor Rob Cavallo discute sobre o álbum de estreia de Adam Lambert, “For Your Entertainment”

By in dezembro 18, 2014 • Filed in: Álbum, Entrevista, Vídeos

Já havíamos publicado aqui, algumas partes da entrevista que o produtor Rob Cavallo, concedeu a Lyndsey Parker do Yahoo! News ainda em 2009. Rob participou do álbum de estreia, “For Your Entertainment” de Adam Lambert e da música para o filme 2012 “Time For Miracles”. Confira a seguir a entrevista completa traduzida:

Lindsey: Estamos aqui no estúdio da Yahoo! com Robert Cavallo, mas eu quero falar de outro estúdio, você esteve ultimamente no estúdio com Adam Lambert, quero detalhes.
Rob: Sim… Adam Lambert é, provavelmente, um dos cantores mais talentosos que eu já gravei, ele é incrível, ele tem alcance ilimitado, na verdade ele pode cantar cada nota que está na guitarra do mais baixo ao mais alto, que é uma coisa muito, muito incomum e ele é um cara muito legal. Ele chega e só quer fazer um bom trabalho, estar com ele é muito divertido e eu acho que nós temos algumas músicas incríveis.

Lindsey: Quantas músicas você trabalharam juntos?
Rob: Eu fiz seis com ele e há um filme chamado “2012” com John Cusack que vai ser algo grande, se não me engano será lançado em breve.

Lindsey: Sim eu vi o trailer de 30 segundos e quando vamos ouvir a canção inteira?
Rob: 18 de outubro, em cinco dias, eu acho que a canção será lançada.

Lindsey: Essa é a canção que ele fez parte de uma orquestra na Capital Studios, eu vi ele twittar algo sobre isso.
Rob: Bem, há duas coisas, sim ele veio para a Capital Studios comigo para fazer cordas e tivemos uma orquestra de 30 peças, mas há 2 canções diferentes, há sim uma orquestra de 30 peças nesta canção também, mas ele não veio nessa sessão, ele veio outro dia há uns cinco dias.

Lindsey: Então, como você descreveria o som, eu ouvi a palavra Glam por aí e me faz muito feliz.
Rob: Há um monte de Glam Rock, tem bastante de electro glam pop, como uma invasão robótica ou algo assim.

Lindsey: Esse é o título do álbum bem aí.
Rob: Isso não é uma má ideia, mas tem rock clássico, e também tem dance moderno com elementos pop, é algo novo, é algo bem legal.

Lindsey: Esse é o dilema que ele pode ter, muitas pessoas que gostavam dele em American Idol, gostavam de ver ele cantando canções de rock clássico, como “A Whole Lotta Love”, e músicas do Aerosmith, mas eu realmente não sinto que essa é a direção que ele está indo e eu estou querendo saber se as pessoas irão aceitá-lo.
Rob: Eu acho que se tem rock suficiente sim, eu estou fazendo seis ou sete músicas, e eu sei que essas definitivamente tem o elemento de rock e ao mesmo tempo tem algo novo, porque realmente o que você quer é o som Adam, qual vai ser, como o novo som de Adam vai ser, eu acho que está incrível.

Lindsey: É interessante, porque normalmente você tem mais tempo para trabalhar nos álbums de uma banda e ele teve como um mês para fazer, como você trabalha sob pressão de tentar apressar um álbum do American Idol? E fazê-lo bem?
Rob: Basicamente a resposta é que eu não durmo muito, ontem eu estive trabalhando até as quatro da madrugada do meu quarto de hotel à Los Angeles por telefone organizando vocais de fundo e outras coisas e isso é uma coisa difícil de fazer, para fazer as músicas sem o artista, depois o artista vem e você tem que ajustar rapidamente porque quando você se sente com a presença do artista tudo muda e você quer que a música reflita perfeitamente quem ele é, mas acho que conseguimos isso, todos estamos felizes.

Lindsey: E quando se trata da supervisão da letra de música ou se tem algum direito a dizer algo sobre a produção.
Rob: Muito, muito, se ele diz, “oh, eu não gostei dessa parte”, então nós arrumamos, fazemos ajustes. Tiramos o que ele não gosta e experimentamos algo novo e em termos de escolha de canções, ele só pode cantar músicas que ele ama.

Lindsey: Você pode me dar alguns títulos de músicas ou algo.
Rob: Há uma canção chamada “Sure Fire Winners”, há uma canção chamada “Music Again”, há uma canção chamada “Suburban Decay”.

Lindsey: Gostei.
Rob: Sim, muito legal.

Lindsey: Soa muito parecido a My Chemical Romance ou, na verdade, Green Day.
Rob: É uma coisa totalmente nova, é algo diferente, mas esses títulos sim soa como isso, mas é realmente algo novo, você vai ver.

Lindsey: Estou ansiosa, muito obrigado por ter vindo.
Rob: O prazer é meu.

Rob Cavallo é um produtor musical, músico e Presidente da Warner Bros. Records. Ele já trabalhou com vários artistas ao longo da sua carreira, incluindo Linkin Park, Green Day, My Chemical Romance, Eric Clapton, Goo Goo Dolls, Kid Rock, Alanis Morissette, Black Sabbath, Phil Collins, Paramore, Meatloaf. Ele também já ganhou muitos premiações no Grammy. Rob toca muitos instrumentos e tem créditos profissionais para o baixo, teclado, órgão, piano, guitarra e percussão.

Autoria do Post: Josy Loos
Tradução: Sandra Saez
Fontes: Adam Lambert TV e Wikipedia

Share/Bookmark


Idolator: 5 anos de “For Your Entertainment” – Reviews by Glamberts

By in dezembro 3, 2014 • Filed in: Álbum, Artigos e Entrevistas, Review

O site Idolator, em sua seção Stan&Deliver, dá a chance aos fãs de comentarem, chorarem e elogiarem os álbuns de seus ídolos, e, por ocasião do 5º aniversário de “For Your Entertainment”, que foi em 23 de Novembro, colocou Adam Lambert em evidência, num maravilhoso e denso artigo, onde Glamberts fazem a review do álbum faixa a faixa, e o site ainda comenta “[…] não é surpresa para ninguém que a dedicada fanbase de Adam, os Glamberts, vieram quando os chamamos para celebrar o quinto aniversário de “For Your Entertainment” – tanto que, em algumas músicas, tivemos duas contribuições! (Vocês sãos os melhores).”

1. Music Again
(by Tachamon – Nova York – Twitter: @nyciloveu)

“Music Again”, escrita por Justin Hawkins e produzida por Rob Cavallo, começa “For Your Entertainment” da melhor maneira possível: é o glam rock no seu melhor com um ótimo refrão. É divertido, é tolo, é feliz. Adam nos mostrou que não tem medo de ser glam e dar um show de performance vocal.

Eu gosto de seus vocais em camadas, seus falsetes estratosféricos e seus acordes. Sim! Essa faixa é glam rock e me deixa querendo ouvi-la de novo. PS: Esse não é o pop dominante ruim que toca no top 40 das rádios.

2. For Your Entertainment
(by Michelle – Tampa, FL – Twitter: @baking4fun)

A primeira vez que ouvi “For Your Entertainment” foi quando ela estreou no programa de rádio do Ryan Seacrest. O dia em que os fãs ouviriam o single estelar de Adam havia finalmente chegado, e foi como esperar para abrir um presente numa manhã de Natal.

Eu estava animada para ouvir Adam no rádio e curiosa para saber que rumo tomaria com a música. Musicalmente, Adam sempre conseguiu me dar algo que eu nem sabia que queria.

Obscura, a letra sexual com vários duplos sentidos brincava com nossa imaginação. Era uma declaração do “Idol” mais atípico da América: ele estava aqui para nos entreter, e ele estava nos entretendo. Eu fiquei maravilhada (mas não surpresa) que o mesmo cara que cantava clássicos do rock e baladas no “American Idol” também conseguia fazer dance com o melhor das divas pop.

O clipe marcante da música, dirigido por Ray Kay continua sendo meu vídeo favorito dele. Nele, Adam aparece entrando em uma boate escura com luzes pulsantes e flashes de imagens: Adam brincando com homens, mulheres e até com cobras. A presença dominante de Adam manteve o tema de dominador no vídeo, mas com um toque brincalhão. Com uma piscada, “For Your Entertainment” serviu como uma declaração de missão para o álbum e nos mostrou que “uma vez que estou dentro, domino seu coração”.

“For Your Entertainment” continua sendo a melhor afirmação para Adam Lambert, em todos os aspectos de sua carreira desde então.

3. Whataya Want From Me
(by Mark Gilroy – York – Twitter: @markgilroymusic)

Lançado como o segundo single de seu álbum de estreia, “Whataya Want From Me” é um grande exemplo de como um artista maduro é, mesmo no começo de sua carreira. Produzida pelo time formado por Pink, Max Martin e Shellback, essa música nas mãos de outro poderia ter dado errado. (Pink originalmente a rejeitou para seu álbum Funhouse). Mas com Adam no comando, ela saiu do normal. Muitos artistas com alcance vocal semelhante ao de Adam começariam a mostrar suas ginásticas vocais desde o começo para tentar provar “me ouça, eu sei cantar”. Mas Adam não – ele diminui seus vocais, subindo em alguns versos (Eu amo quando ele fala “It’s me/ I’m a freak).

Faltando um minuto para terminar a música ele lança todo seu alcance. Até Pink admitiu: “Eu honestamente devo dizer que Adam fez um trabalho muito melhor. Ele alcança notas que eu não alcançava nem quando tinha 12 anos.” Não esqueça de ver as versões acústicas dessa música, que como Adam sempre faz, transforma a música de um hino pop rock para uma balada.

4. Strut
(by Islandgirl – Calgary, Canadá – Twitter: @islandgirljams)

Com a declaração de abertura “Eu quero começar uma revolução”, Adam Lambert realmente teve algo a dizer em “Strut”, uma faixa que ele co-escreveu com Greg Wells e Kara Diorguardi. Apesar de “Strut” nunca ter sido lançada como um single de “For Your Entertainment”, ela intima o ouvinte a sentir o seu próprio poder.

O tom autoritário de “Strut” fica mais leve na parte em que Adam diz “I’ll be your mirror, darling let your hair down, show me what you’re working with” [Eu vou ser o seu espelho, querido, deixe o seu cabelo cair, me mostre o que você pode fazer] antes de dar o comando “and let me see you STRUT” [deixe-me ver você se EXIBIR] – quando então já estamos quase colocando nossos Louboutins para desfilar na passarela.

A imagem visual de Adam no palco performando essa música é como de um domador glam rock intimando-nos a tomar conta de nossas vidas com confiança e bravura. Nos anos seguintes, Adam continuou passando essa mensagem sendo ele mesmo e inspirando os outros a fazer o mesmo com seu trabalho nas campanhas “AT&T Live Proud” e outras causas, como o “Trevor Project”, que ajuda a comunidade LGBT.

PS: Obrigado, Adam, pelos cinco anos que você me ajudou a ter confiança.

5. Soaked
(by ALAwayz – De Nova York a Los Angeles – Twitter: ALAlwayz)

“Soaked” sempre será uma de minhas músicas favoritas de Adam Lambert. É uma das joias do álbum de estreia “For Your Entertainment”, de 2009. A maior e mais séria música do álbum, “Soaked” é uma das duas músicas que contém uma orquestra.

Adam disse que ele realmente gosta da música, melodia e vocais. Ele interpreta o significado como solidão e noites de bebedeira. Em uma entrevista com Larry Flick da SiriusXM/OutQ, Adam cita a letra e explica: “It’s not the first time, it’s not the worst crime and your soul will be OK [Não é a primeira vez, não é o pior crime e sua alma estará OK] – há uma luz no fim do túnel, o que é a beleza da música…”

Matthew Bellamy, do Muse, escreveu “Soaked” e Rob Cavallo produziu. Muse é uma das bandas favoritas de Adam, e ele disse que ficou honrado quando recebeu a música.

Adam performou “Soaked” ao vivo durante a sua turnê de sucesso, Glam Nation World Tour, e ela também está no CD/DVD Glam Nation Live e no Acoustic Live EP.

A primeira vez que vi Adam cantando “Soaked” ao vivo, eu chorei. Não foi nada que eu já houvesse ouvido ou visto antes, lindo e dramático. A música mostra o alcance vocal fantástico de Adam e sua habilidade em mostrar o significado e emoção de uma música, e sua teatralidade.

Adam Lambert tem a habilidade de pegar qualquer música e torná-la dele. “Soaked” é um exemplo perfeito. Depois que ele cantou, se tornou dele para sempre. Ninguém consegue se igualar à interpretação de Adam, sua paixão ou seus vocais incríveis.

(by SusieFierce – Twitter: @SusieFierce)

“Soaked”, em “For Your Entertainment”, sempre me toca o coração. Eu me relaciono sendo solteira em uma cidade grande às vezes procurando por amor em uma situação que eu sei que só me trará mais dor e incerteza depois. A letra da música mostra os problemas pessoais que muitos de nós vivemos quando queremos achar uma abrigo e nos esconder para sempre, quando sabemos que para sempre não é nem uma opção remota.

“Burned by your dreams/It’s never how it seems/could crushed esteem” [Queimado por seus sonhos / Nunca é o que parece / a estima poderia ser esmagada] Quando sabemos que estamos nos julgando demais? Viver e procurar por amor já é duro demais.

A orquestra da música contrasta com a leveza com que Adam canta. (Ao vivo é melhor ainda). De certa forma, o estilo é uma metáfora para a música – nós nos mostramos para o mundo com confiança e bravura, quando na verdade, estamos muito vulneráveis.

“It’s not the first time; it’s not the worst crime” [Não é a primeira vez; não é o pior crime] Você tem o direito de se sentir só e buscar companhia e conforto e você não deve se diminuir por isso.

E me lembro quando foi twittado que Adam teria o apoio de uma orquestra inteira e uma música de Matthew Bellamy no álbum. Para alguém que ama baladas teatrais, eu estava mais do que animada para essa colaboração, que virou uma de minhas músicas favoritas desde então.

6.Sure Fire Winners
(by Kassidy – Oregon – Twitter: @KassidyKindt)

“Sure Fire Winners” é um exemplo perfeito de como ele é como artista. É uma música animada que sempre te faz querer dançar e tem a habilidade de ficar em sua cabeça por dias. Lambert performou essa música em sua turnê Glam Nation Tour em 2010 e cativou a audiência. Ele tem uma presença de palco forte e é sobre isso que a música fala: É sobre se divertir, sair, conseguir o que quer e dominar o mundo. “Sure Fire Winners” tem a habilidade de chocar a plateia, algo que sabemos que faz parte da carreira de Adam. Isso é algo que notamos desde seus primeiros dias no Idol, e não é necessário mencionar sua performance chocante nos AMAs de 2010, que eu acho que é seguro dizer, foi uma das performances mais memoráveis da TV até hoje.

“Sure Fire Winners” foi escrita por David Gamson, Alex James, Oliver Leiber e produzida por Rob Cavallo. Apesar de essa música não ser a mais popular do álbum, foi lançada como single de rádio na Nova Zelândia e se tornou uma favorita dos fãs. Adam deixa os fãs se perguntando “o que ele fará depois?” e nós tentamos adivinhar.

E sim, Adam, nós queremos saber o quão longe esse filho do glam rock consegue chegar!

7. A Loaded Smile
(by Etta – Twitter: @starchildAL)

“A Loaded Smile” parece ser uma música que em alguns aspectos mostra as experiências de Adam em relacionamentos. Em algum ponto, Adam estava realmente confuso sobre seus relacionamentos. Em “A Loaded Smile”, ele está no processo de afogar as mágoas em um bar. Eu ouço um homem cantando palavras com uma verdade por trás. Sem dúvidas, é a música mais triste de todas, e porque Adam a canta, ela é muito comovente.

E é claro, também tem A VOZ. Aquele instrumento maravilhoso que te enlaça com uma triste beleza – e não é a primeira vez que a voz dele me deixou em tal estado emocional. Essa voz é tudo. Adam tem uma habilidade surreal de despertar emoções e experiências humanas em uma música de três minutos. Ele pergunta: “Você consegue sentir isso?” e minha resposta é “Sim!”.

8. If I Had You
(by Aleksandra K. – Kraljevo, Sérvia – Twitter: @aleks_kv)

“If I Had You” é uma música europop animada, sexy e poderosa, é o segundo hit de maior sucesso de “For Your Entertainment”.

O vídeo é como um sonho psicodélico glam, mas mais do que tudo, é a visão pessoal de Adam, com pessoas dançando sob o luar e Adam dominando a floresta como um Oberon contemporâneo. Em cada segundo do vídeo, experiências passadas de Adam são mostradas, desde sua performance no “Zodiac Show” em Los Angeles, à sua exploração de possibilidades durante o “Burning Man”: junto com o fato de que as pessoas no vídeo são seus amigos na vida real, e tem um senso de comunidade e união, família e sonhos, mas acima de tudo tem felicidade e celebração.

A letra é simples, com uma mensagem clara, que nas palavras de Adam diz “não importa sua cor, não importa sua religião, não importa sua sexualidade, não importa sua idade, nós todos podemos nos divertir juntos. Nós podemos achar um amor em comum”. Nos últimos cinco anos, Adam tem lutado por igualdade e direitos humanos de várias formas, e essa chamada para dançar e se divertir é uma das formas de fazer isso. Colocado isso no contexto, a música não é clichê ou idealista – vinda de Adam, é uma forma discreta de demonstrar seu ponto sem ser muito explícito. Você pode escolher não ver isso e apenas celebrar.

Comparada às músicas mais obscuras de Adam de ambos os álbuns com temas recorrentes de amor e aceitação, “If I Had You” tem uma temática mais leve e tem o propósito de balancear o lado mais sério, aliviando o peso. Apenas juntas elas criam os sentimentos de Adam e atitudes diante desses temas. Naquela época, “Trespassing” não era nem uma ideia, mas a letra “Há uma linha tênue entre o lado escuro e o lado da luz” pode ser o que levou Adam a criar a divisão de escuro/claro de seu segundo álbum.

Finalmente, os últimos cinco anos deram credibilidade às mensagens de Adam sobre aceitação e tolerância, e também deixaram claro o amor com que Adam canta em “If I Had You” – é o amor pela música, pelo palco, pelos amigos, pelas performances, pela diversão, por se expressar e celebrar. É uma música perfeita para uma festa com os amigos, e não é nenhuma surpresa que se tornou um hit.

9. Pick U Up
(by Spencer Winson – Filadélfia, PA – Twitter: @pency23)

Embora não seja o hit mais óbvio, ou um favorito dos fãs, “Pick U Up” contém a essência de “For Your Entertainment” – sexo, anos 80 e um tremendo de um clímax. A canção, claramente inspirada em hair metal dos anos 80, foi co-escrita pelo próprio Lambert, bem como pelos colaboradores Greg Wells (Katy Perry, Adele) e Rivers Cuomo (vocalista e compositor do Weezer).

Uma das seis canções co-escritas por Lambert no álbum, este clássico conta com um gancho de efeito pessoal, com versos como “breaking through the boundaries, rollin’ on, strollin’ on” [rompendo as fronteiras, viajando, passeando], marcando Lambert o seu lugar como o primeiro de sua espécie – um músico tradicional abertamente gay. Lambert expressa a sua autoconfiança dentro de uma música toda sobre trazer alguém para casa, e dessa forma mostrando apenas uma nuance, não o foco principal.

A música realmente fez sua marca como um dos destaques da discografia de Lambert em seu clímax, onde a música chega a atingir um grande pico vocal e emocional. O crescendo lento de uma ponte termina com Lambert exasperadamente exclamando: “Onde você está? Preciso de alguém para ser meu amante!” Essa poderosa linha termina, não só com uma exibição clássica de alcances impressionantes de Lambert, mas também com uma mudança fundamental, elevando a canção a proporções de hino para o último refrão. A combinação de letras cheias de nuances, melodia incrível e uma fantástica performance vocal faz dessa música uma verdadeira vencedora em “For Your Entertainment”.

10. Fever
(by Ellie G.- Bulgária – Twitter: @elliegf)

Adam Lambert atingiu a fama em 2009. E que jornada se tornou desde então! Ele basicamente arruinou o programa que o tornou famoso – depois que ele saiu, a animação foi embora também.

Sendo Glambert por um tempo (aliás, desde o começo!), não é necessário dizer que amo cada nota que sai da boca de Adam. Quando “For Your Entertainment” foi lançado em Novembro de 2009, eu me lembro que algumas músicas automaticamente se tornaram minhas favoritas. Uma delas – chamada “Fever” – ficou na minha cabeça, e eu sempre a estava cantando. (É para isso que servem os refrões!)

Mas há mais nessa música do que apenas um refrão.

Lady Gaga escreveu a música um pouco antes e achou que seria boa para Adam. Ela disse em uma entrevista de rádio: “Eu trabalhei com Adam. Acho que foi semana passada. Eles me chamaram. Me pediram para escrever para ele. E eu pensei ‘Tem essa faixa que eu escrevi há um tempo’. É um hit, mas por algum motivo não dava certo comigo, e pensei que seria perfeita para ele”. E foi. E com a personalidade de Adam, a música é perfeita – os vocais, a emoção, o poder e a crença em cada palavra.

Apesar de “Fever” não ter se tornado um single (que pena!), se tornou uma favorita dos fãs durante a Glam Nation Tour em 2010 pelo mundo – a teatralidade e as notas altas eram incríveis! E cada rendição era diferente! Isso mostra que tipo de artista Adam é… único!

11. Sleepwalker
(by Luis Gonzalez – Austin, TX – Twitter: @albumconfession)

A música fenomenal que nunca se tornou single: “Sleepwalker” é cativante.

Há um momento teatral chocante nas primeiras notas. Quase imediatamente, a ambientação cresce e fica fria, enquanto uma história pessoal de amor começa a se desenrolar.

“Sleepwalker” é uma linda e poderosa balada, co-escrita por Ryan Tedder do One Republic, incluída no álbum de estreia de Lambert. Geralmente é esquecida mas é brilhante, e é uma conquista mais escura para o finalista do American Idol. Fãs do artista, incluindo esse Glambert, imediatamente são levados à uma mensagem de amor não correspondido.

Rumores de que a música viraria single surgiram rapidamente depois da performance de Lambert no “The Tonight Show with Jay Leno”, em Março de 2010. A performance ainda é um dos melhores momentos ao vivo de Adam, por transmitir a dor tanto na letra – “You’re everything I want, but you don’t want me” [Você é tudo que eu quero, mas você não me quer] – como nos vocais. A faixa é emocional – e Lambert definitivamente acerta cada nota, e tem um significado maior do que o resto do álbum pop/rock.

Enquanto os três singles do álbum tiveram uma vibe pop e divertida, “Sleepwalker” era Adam mostrando à audiência americana que ele é inspirado pelo rock ‘n’ roll- o mesmo artista que ele mostrou no palco do American Idol. O programa, infelizmente, nunca mais foi o mesmo desde que ele saiu.

Com o crédito da letra a Tedder, a música tem algumas similaridades com “Halo” de Beyonce e “Already Gone” de Kelly Clarkson. Nós sabemos a bagunça que essas alegações fizeram, mas “Sleepwalker” continuou firme e forte. Talvez Adam e sua equipe não quiseram lançá-la como single, depois da briga de Tedder e Clarkson.

Apesar de nunca ter sido lançada como single nos EUA, foi promovida à single de rádio em parte da Europa, e a música é fantástica, e eu gostaria de ter visto Adam promovê-la mais. As ideias para um vídeo musical continuam e se repetem na minha cabeça, mesmo depois de cinco anos.

12. Aftermath
(by John Geraghty – New York – Twitter: @johnpgeraghty)

“Aftermath” entrou em minha vida quando eu estava perdido. Eu sentia que ninguém me entendia. Eu era diferente, e não sabia se me mostrava ou me escondia. Eu estava lutando contra demônios pessoais enquanto colocava um sorriso no rosto para os outros verem. “For Your Entertainment” é um hino para que eu me aceite como sou. As letras de Adam me inspiraram a procurar melhor quem eu queria ser. Eu aprendi a importância de me arriscar e batalhar pelo que eu quero. Meu final: Eu consegui viver livre.

O que dá tanto poder para “Aftermath” é que tem muito peso para a juventude LGBT se descobrindo, e através do “The Trevor Project”, também consegue ser mais compartilhada universalmente com qualquer um passando por um momento traumático ou de mudança na vida. Nós, como pessoas, devemos nos lembrar que nunca estamos sozinhos e que tudo tende a melhorar para todos nós.

13. Broken Open
(by Kathy P – Connecticut – Twitter: @PerkiKat

Como muitos outros, eu me apaixonei por Adam Lambert quando eu o vi cantar nas audições do American Idol; e quando ele cantou “Satisfaction” no show do Top 36 (entrando no Top 13), ele me conquistou definitivamente. Depois de vê-lo duas vezes na turnê do “Idol”, eu esperei ansiosamente por seu primeiro álbum de estúdio, “For Your Entertainment”.

A primeira vez que ouvi FYE, e depois de amar cada música, “Broken Open” me chamou mais a atenção com sua abertura etérea e a voz calma e quieta de Adam. Era bem emocional e me deixou com lágrimas nos olhos. Foi uma reação que eu não esperava. Havia a voz de Adam cantando sobre vulnerabilidade e imperfeição – “broken pieces” [pedaços quebrados] – e oferecendo aceitação, conforto, confiança e segurança. Adam estava dizendo que podemos ser imperfeitos juntos, tudo bem se abrir e estar “quebrado” porque ele estava lá e ele entende isso, não precisa se esconder, é seguro ser quem você é. Eu sei pelo que você está passando e eu entendo:

“I know the battles of chasing the shadows [Eu sei das batalhas de perseguir as sombras]
Of who you want to be [De quem você quer ser]
It doesn’t matter, go on and shatter [Não importa, vá em frente e arrebente]
I’m all you need” [Eu sou tudo o que você precisa]

Isso foi uma liberdade que Adam trouxe à minha vida através da música dele, sendo como ele é e sendo aberto e honesto consigo mesmo. A música estava lá e Adam era o porto seguro. Tudo bem ser quem você é.

“Let’s enlighten the night [Vamos iluminar a noite]
We call fall away, slip out of sight [Chamamos a cair, escorregar para fora das vistas]
When you drop your guard [Quando você baixa a guarda]
Melt into time, so intertwined, quiet” [Se dissolve no tempo, tão entrelaçado, tranquilo]

É uma linda letra, com uma poderosa mensagem. Quieta. Calma. Vulnerável.

Cada palavra é perfeita, cada nota é perfeita, e a voz de Adam é perfeita. Como ele disse uma vez sobre a música, é “consolo” e “libertação”.

(by Lori – Twitter: @lorismile1)

“Broken Open” deixou uma marca em mim. Eu amo todas as músicas de Adam e eu o vi performar várias vezes. Ele é inteligente, articulado e um artista fenomenal – um lindo homem por dentro e por fora. O mundo ainda não descobriu sua grandeza. Até hoje, com seu segundo álbum “Trespassing” e ele sendo vocalista do Queen e enquanto espero a terceira Era chegar, eu ainda amo ouvir “Broken Open” com meus olhos fechados absorvendo tudo. Por alguns minutos, Adam está falando comigo, se conectando comigo.

Adam é conhecido por seu poder vocal e as notas altas, mas são seus vocais macios com outros tipos de música que combinam com a abertura de “Broken Open” tão bem. Essa música, diferente das outras do álbum, é uma balada de vulnerabilidade. Não há nada mais assustador que expor seus maiores medos e segredos para alguém que você ama. Eles aceitarão esse lado que você esconde do mundo? “Broke Open” é o reforço de que você é amada, você está segura e que você pode derrubar as muralhas emocionais que te prendem. Há alguém que pode te ajudar quando você não consegue lidar com isso sozinho.

Nós todos precisamos ouvir que não há problema se não formos perfeitos. Nós todos precisamos de alguém que sabemos que estará com a gente quando tudo parece dar errado. “Lay here, it’s safe here, I’ll let you be broken open. Hide here, confide here so we can be broken open.” [Deite aqui, é seguro, eu te deixarei ser destruída. Se esconda aqui, confie, então poderemos ser destruídos] Adam cantando esses versos faz o ouvinte se sentir seguro.

Eu tive sorte de ouvi-lo cantar essa música durante a Glam Nation Tour. É fantástica no álbum, e ainda melhor ao vivo. Ainda é uma das minhas favoritas de “For Your Entertainment”.

14. Time For Miracles
(by Alice Miller – Nova York – Twitter: @plumcomm)

A 14ª e última faixa de “For Your Entertainment”, “Time For Miracles” continua sendo uma favorita mundial entre os fãs de Adam. Ele foi chamado para cantar essa balada para o filme apocalíptico de 2008, “2012”, antes mesmo de FYE ser lançado. Ele detona na história da música, que fala sobre um coração partido em uma destruição global. As notas e a emoção da música são perfeitas para a voz memorável de Adam. Toda vez que ouço essa música, eu vejo Adam andando em meio a uma destruição dando fim ao mundo – seu primeiro vídeo musical!

Durante sua turnê de 2013, We Are Glamily Tour, Adam emocionou os fãs com sua primeira performance ao vivo de “Time For Miracles” em Hong Kong. Os fãs da Ásia choraram e gritaram de alegria, sentindo sua dor na sua voz. Quando Brian May, do Queen, ouviu essa música pela primeira vez, ele disse “Eu não me sinto facilmente comovido por vocalistas homens, mas a voz de Adam tem sensibilidade, profundidade, maturidade e alcance incrível, o que faz os queixos caírem pelo mundo. É uma performance fantástica. Sem dúvida. O mundo do rock tem uma nova estrela.” Falou bem, Brian.

EU AMO “Time For Miracles” e eu acredito que o coração de Adam está partido, apesar de sua bela e brava alma se recusar a desistir. Eu choro toda vez que a ouço. Sua performance e alcance chocantes fazem com que essa música pertença a Adam para sempre.

Se ainda não conhece e quiser ouvir esse maravilhoso primeiro álbum de Adam, “For Your Entertainment”, clique aqui.

Autoria do Post: Graça Vilar
Tradução: Carolina Martins C.
Fontes: Adam Lambert TV e Idolator



Confiram o trailer do lançamento do álbum “Queen Forever”

By in outubro 19, 2014 • Filed in: Álbum, Notícias, Queen

Já havíamos publicado anteriormente aqui, sobre o Comunicado de Imprensa do Queen sobre o novo álbum da banda, “Queen Forever”, a ser lançado em 10 de Novembro.

Confiram abaixo um texto relacionado ao lançamento, publicado pelo site Stereo Board, fazendo referência ao trailer do álbum “Queen Forever”:

Três faixas inéditas apresentando o falecido cantor Freddie Mercury liderando um novo álbum emocionante do Queen, “Queen Forever”, que será lançado dia 10 de Novembro de 2014, pela gravadora Virgin Records.

As faixas incluem uma das canções mais antecipadas de Queen e Michael Jackson, “There Must Be More To Life Than This”, uma canção incompleta de Mercury-Queen, “Let Me In Your Heart Again”, origináriA das sessões de gravação do álbum da banda, “The Works” e uma nova despojada versão de balada do primeiro hit solo de Mercury, com colaboração de Giorgio Moroder, “Love Kills”.

O resto do pacote reúne sucessos do Queen, faixas clássicas, e novas gravações de canções conhecidas. Essa combinação de gravações da banda, Brian May descreve como “coisas que temos recolhido em conjunto e que representam o nosso crescimento, em vez de grandes sucessos”

Queen Forever está disponível como um único CD de 20 faixas e como um conjunto de 2 CDs, com 36 faixas.

Em outra notícia relacionada, o guitarrista Brian May e o baterista Roger Taylor, com Adam Lambert como vocalista, irão a algumas das maiores arenas do Reino Unido entre 13 e 24 de Janeiro, como parte da sua turnê estendida “Queen + Adam Lambert” por toda a Europa.

Agora, confiram o vídeo do trailer do lançamento do álbum, e sua tradução:

(Legenda): Uma coleção de canções de amor eternas, o álbum inclui três músicas novas do Queen:

“Let Me In Your Heart Again”
“Love Kills”

[00:54]Freddie: “Quando eu estava passeando por Los Angeles, um dia ele falou: somos amigos, por que não tentamos fazer algo, então algum dia provavelmente vai ser concluída.”

“There Must Be More To Life Than This”

E algumas das canções clássicas de amor do Queen:

“Love Of My Life”
“You’re My Best Friend”
“A Winter’s Tale”
“Born To Love You”
“Bijou”

Fontes: Adam Lambert TV e Stereo Board

Tradução: Sandra Saez



Comunicado de Imprensa: “Queen Forever”

By in outubro 8, 2014 • Filed in: Álbum, Notícias, Queen

Confiram a seguir o Comunicado de Imprensa do Queen sobre o novo álbum da banda, “Queen Forever”, a ser lançado em 10 de Novembro. O “Queen Forever” será o 16º álbum de estúdio da banda. As músicas do projeto são demos e faixas inéditas retrabalhadas que datam, principalmente da década de 80, com a participação dos quatro integrantes do grupo.

“QUEEN FOREVER”

Queen traz de volta Freddie

“Queen Forever” uma nova coleção traz novas canções com Freddie Mercury a Luz

Lançamento dia 10 de Novembro 2014

Três faixas inéditas apresentando o falecido cantor Freddie Mercury liderando um novo álbum emocionante do Queen, “Queen Forever”, lançando dia 10 de Nnovembro de 2014 com a gravadora Virgin Records.

As faixas incluem uma das canções mais aguardadas de Queen e Michael Jackson, “There Must Be More To Life Than This”; uma canção incompleta do Mercury-Queen, “Let Me In Your Heart Again”, originária das sessões de gravação do álbum da banda, “The Works”; e uma nova despojada versão de balada do primeiro hit solo de Mercury, com colaboração de Giorgio Moroder, “Love Kills”.

Clique aqui para ouvir o pronunciamento sobre o álbum de Roger e Brian e as três novas músicas na Radio 2! Ouça a partir de 1h 39mins.

PRE-ORDER QueenOnline Store

Store – http://smarturl.it/QFSTORE

1CD – http://smarturl.it/QFSTORE_STD

2CD – http://smarturl.it/QFSTORE_DLX

PRE-ORDER International

1CD: http://smarturl.it/QueenForever_1CD

2CD: http://smarturl.it/QueenForever_2CD

O resto do pacote reúne sucessos do Queen, faixas clássicas, e novas gravações de canções conhecidas. Essa combinação de gravações da banda, Brian May descreve como “coisas que temos recolhido em conjunto que representa o nosso crescimento, em vez de grandes sucessos” em uma coleção impecavelmente montada por May e Roger Taylor. Todas as canções estão relacionadas para representar uma coleção definitiva de canções de amor eternas do Queen.

Queen Forever está disponível como um único CD de 20 faixas e como um conjunto de 2 CDs com 36 faixas e celebra a trajetória musical extraordinária de uma das maiores bandas de rock do mundo.

A antecipação das novas faixas de Mercury tem sido grande desde que May e Taylor primeiro deram a entender no início deste ano de que novas faixas com Mercury estavam sendo exploradas.

Falando na conferência de imprensa para lançar sua turnê norte-americana com o cantor Adam Lambert no início do ano, May disse: “Houve um pouco mais por aí que tínhamos esquecido por muito tempo, agora temos algumas músicas que estamos trabalhando. Freddie soa tão recente como ontem”.

Sobre o assunto, Taylor disse: “Nós temos algumas novas faixas que não foram ouvidas e há uma seleção interessante de coisas mais antigas.”

O dueto do Queen e Michael Jackson, “There Must Be More To Life Than This”, começou como uma canção escrita por Mercury durante as sessões de gravação para o álbum do Queen, “Hot Space” em 1981. A banda gravou a música de fundo, mas a música nunca foi concluída. Mercury visitou Michael Jackson em seu estúdio caseiro em Los Angeles, onde gravou Jackson cantando a música para uma versão inacabada. Queen reviveu a música durante as sessões do álbum “The Works” em 1984, mas novamente não foi concluída. Um ano depois, a própria versão da música de Freddie surgiu em seu álbum solo de estreia “Mr. Bad Guy” em 1985. Esta nova produção da poderosa balada une a música de fundo gravada pela banda com os vocais de Mercury e Jackson e foi produzido e remixado pelo produtor célebre da Madonna e Robbie Williams, William Orbit.

Falando sobre seu envolvimento, Orbit disse: “Eu conheço Roger há muitos anos, e agora ele estava no telefone me perguntando se eu queria estar envolvido nesta aventura musical.”

“Quando eu toquei pela primeira vez no meu estúdio, eu abri um tesouro de delícias fornecidas por um dos maiores músicos. Ouvindo os vocais de Michael Jackson foi excitante. Tão vivos, tão legal, e pungente, era como se ele estivesse no estúdio cantando ao vivo. Com os vocais solo de Freddie na mesa, minha apreciação pelo seu dom foi levado a um nível ainda mais alto.”

“A musicalidade de todos os membros do Queen é fenomenal. Roger é um homem extraordinariamente talentoso. Eu sempre o admirei. A parte do baixo original de John Deacon com sua fluidez lírica que tornou fácil para mim saber onde colocar um reforço ocasional. O piano de Freddie levou a maioria do DNA musical da canção. Brian tocando com sua guitarra e com os espíritos de MJ e FM totalmente presente, no momento, provocou arrepios na espinha.”

Talvez a maior revelação do “Queen Forever” é a composição de Brian May em “Let Me In Your Heart Again”. A canção foi gravada pela primeira vez para o álbum do Queen, “The Works”, mas não foi concluída a tempo e permaneceu esquecida desde então. Uma autêntica canção da mesma idade de ouro de “Radio Ga Ga” e “I Want To Break Free”, esta faixa nunca antes ouvida mostra os vocais de Freddie e apresenta partes de gravações recentes de guitarra e novos vocais de fundo de Brian e Roger. Esta faixa emocionante finalmente chega até nós quase 30 anos depois que Freddie primeiramente deu a sua voz original.

A terceira nova faixa, “Love Kills”, foi composta por Freddie Mercury e o famoso produtor e compositor alemão Giorgio Moroder para uma versão da trilha sonora recém-restaurada e matizada de Moroder do filme mudo clássico de Fritz Lang de 1927, “Metropolis”, em 1984, no qual ele acrescentou uma trilha pop com vários artistas musicais. Mercury gravou uma versão dance da música que fez parte do seu álbum solo de estreia em 1985. No entanto, é bem menos conhecido que os quatro membros do Queen tocaram na canção original. Antes de embarcar em sua recente turnê com o vocalista Adam Lambert, Brian May propôs realizar uma versão de balada acústica de “Love Kills”, que se tornou um dos momentos mais memoráveis do show de Queen & Adam Lambert. Esta nova versão de estúdio de Queen-Freddie é moldada no mesmo estilo de balada e revive o Queen original com algumas guitarras e baterias gravadas recentemente por May e Taylor, tornando-se uma mostra gloriosa de uma das performances mais carregadas com vocais e adrenalina de Freddie.

Junto com este novo material, tanto com a versão de um e dois CDs de “Queen Forever” apresentam canções que mostram a habilidade de composição da banda, uma experimentação de estúdio e um notável desenvolvimento. É um lembrete oportuno de que quase exclusivamente no mundo do rock e do pop, todos os quatro membros do Queen são compositores talentosos e músicos superlativamente dotados.

“Queen Forever” alcançou até 1974 com uma canção favorita dos fãs com “Nevermore”, uma canção de Freddie Mercury originalmente incluída no “Queen II”, o primeiro álbum do Queen usando o estúdio de gravação como um instrumento. No mesmo ano que saiu a poderosa e dramática balada “In The Lap Of The Gods… Revisited”, o que uma vez foi o grand finale de qualquer show do Queen e agora revivido por Queen & o vocalista Adam Lambert em sua turnê de 2014. Entretanto, a canção “You’re My Best Friend”, escrita pelo baixista John Deacon, mostrou o lado mais pop do Queen e foi lançada depois de “Bohemian Rhapsody” em 1975, tornando-se Top 10 no Reino Unido e Top 20 nos Estados Unidos no mesmo ano e deu a John Deacon seu primeiro hit single no Queen.

Em outros lugares, “Long Away” de 1977 continua sendo o único single do Queen a apresentar Brian May nos vocais e no mesmo ano “Drowse” incluiu uma rara performance de Roger Taylor na guitarra. Queen passou a década com uma série de sucessos que incluíram “Somebody To Love”, memoravelmente realizada por Queen e George Michael no Freddie Mercury Tribute Concert, em 1992, e terminou em alta em 1979 como o hit número 1 nos Estados Unidos, “Crazy Little Thing Called Love”, uma canção pop exuberante composta por Freddie Mercury no banheiro, em Munique.

Ao tocar rock progressivo, gospel, baladas acústicas, rock and roll ao estilo Elvis e mais, sumarizou a diversidade do Queen em 1970. No entanto, a banda esqueceu completamente todas as regras nas décadas que seguiu, abrangendo funk, hard rock, soul e pop puro, mas sempre soando inconfundivelmente como Queen. A banda usou sintetizadores, pela primeira vez no single “Play The Game” em 1980, Freddie cantou em espanhol em 1982 com “Las Palabras De Amor” e em 1986 com “One Year Of Love” caracterizou invulgarmente um saxofone. O álbum é completado por sucessos dos últimos dias do Queen, incluindo o hit número 1 em 1991 “These Are The Days Of Our Lives” e “Too Much Love Will Kill You” de 1995, juntamente com a comovente “Winter’s Tale”, gravada durante as sessões finais de gravação de Freddie Mercury em Montreux [Suíça], em 1991.

“Queen Forever” é tanto uma amostra dessas novas gravações exclusivas, mas também como um tributo permanente para as extraordinárias conquistas musicais de John Deacon, Brian May, Roger Taylor e do falecido Freddie Mercury, cujo singular talento podemos maravilhar novamente com a chegada dessas faixas inéditas.

“Queen Forever” [para sempre]. Para sempre? Quem pode dizer? Mas, por agora, podemos estar certos de que esta coleção altamente gratificante do Queen novo, raro, e mais talentoso, serve para manter o indiscutível lugar da banda na história da música e com certeza ganhar um lugar premiado nas coleções de música por muitos e longos anos.

Queen certamente está entre as bandas mais favoritas da Grã-Bretanha. O Official Charts Company do Reino Unido no início deste ano confirmou que o álbum do Queen de 1981 com seus melhores hits foi o álbum mais vendido da Grã-Bretanha de todos os tempos depois de superar a marca de 6 milhões de vendas. Impressionantemente três famílias britânicas agora possuem uma cópia original desse icônico álbum.

E se 6 milhões de vendas não é suficiente para a banda, seu segundo álbum de melhores hits, “Greatest Hits II”, que foi lançado em outubro de 1991 também voa alto no número 10 em álbuns oficiais de todos os tempos, tendo contabilizado mais de 3,9 milhões de vendas no Reino Unido até agora.

Queen Forever – Track Listings

Single CD:
Let Me In Your Heart Again
Love Kills – The Ballad
There Must Be More To Life Than This (William Orbit Mix)
It’s A Hard Life
You’re My Best Friend
Love Of My Life
Drowse
Long Away
Lily Of The Valley
Don’t Try So Hard
Bijou
These Are The Days Of Our Lives
Las Palabras De Amor
Who Wants To Live Forever
A Winter’s Tale
Play The Game
Save Me
Somebody To Love
Too Much Love Will Kill You
Crazy Little Thing Called Love

2 – CD SET

CD 1:
Let Me In Your Heart Again
Love Kills – The Ballad
There Must Be More To Life Than This (William Orbit Mix)
Play The Game
Dear Friends
You’re My Best Friend
Love Of My Life
Drowse
You Take My Breath Away
Spread Your Wings
Long Away
Lily Of The Valley
Don’t Try So Hard
Bijou
These Are The Days Of Our Lives
Nevermore
Las Palabras De Amor
Who Wants To Live Forever

CD 2:
I Was Born To Love You
Somebody To Love
Crazy Little Thing Called Love
Friends Will Be Friends
Jealousy
One Year of Love
A Winters Tale
’39
Mother Love
It’s A Hard Life
Save Me
Made In Heaven
Too Much Love Will Kill You
Sail Away Sweet Sister
The Miracle
Is This The World We Created
In The Lap Of The Gods… Revisited
Forever

Fontes: The Official Queen Online e Wikipédia

Tradução: Sandra Saez



Vagalume: “Adam Lambert assina contrato com uma nova gravadora para lançar seu próximo álbum”

By in setembro 22, 2014 • Filed in: Álbum, Artigos e Entrevistas, Mídia Brasil

Há algumas semanas publicamos aqui, rumores de que Adam Lambert estaria negociando com outra gravadora. Agora, em entrevista ao programa do Ryan Seacrest, conforme publicamos aqui a entrevista completa, Adam confirmou que já assinou contrato, mas diz que não vai dar mais detalhes por enquanto. “Eu não vou dizer muito, porque eu tento manter as coisas em segredo”, ele brinca. “Estou trabalhando neste álbum, e eu estou realmente animado sobre isso. Eu assinei com outra gravadora, que eu não vou revelar agora, mas é realmente um bom negócio e um bom projeto. Eu estou trabalhando com produtor incrível. Novamente, eu não posso dizer muito, mas vai ser muito bom “.

O site brasileiro Vagalume, publicou nesta sexta-feira (19), um artigo a respeito, que você pode conferir, clicando aqui.

Fonte: Vagalume



SiriusXM: Novo álbum “Queen Forever” poderá ter músicas de Freddie Mercury, Michael Jackson e Adam Lambert

By in setembro 3, 2014 • Filed in: Álbum, Artigos e Entrevistas, Queen + Adam Lambert, Rumor

De acordo com a estação de rádio SiriusXM Classic Vinyl, em sua página oficial do Facebook, Adam Lambert também estará participando do próximo álbum do Queen, “Queen Forever” juntamente com vocais de Freddie Mercury e Michael Jackson.

Confiram abaixo o que a página publicou, não esquecendo que não temos nenhuma informação oficial a respeito, podendo ser apenas um rumor, no que diz respeito a Adam Lambert:

Assim como nós suspeitávamos, a família de Michael Jackson está segurando a liberação dos duetos encontrados recentemente, gravados por Michael e Freddie Mercury nos anos 80. Roger Taylor, do Queen, disse que os responsáveis pelo patrimônio estão sendo um pouco difíceis, mas eles esperam obter a aprovação antes do Natal para o novo álbum “Queen Forever”, que também irá incluir algumas músicas novas com Adam Lambert.

A agente de Adam Shoshanna Stone , também se manifestou, quando questionada por uma fã sobre o artigo da SiriusXM, e twittou:

@asiladam: Isso é verdade, @shoshannastone? Novas músicas com @adamlambert?

@shoshannastone: A parte de Adam não é verdade. Eu acho que eles estão apenas presumindo.

Fontes: @shoshannastone

Tradução: Stefani Banhete



Adam Lambert fala sobre canções de seu novo álbum no Twitter – 16/08

By in agosto 17, 2014 • Filed in: Álbum, Notícias, Twitter

Conforme publicamos aqui, a agente de Adam Lambert, Shoshana Stone fez referência em seu Twitter, de uma nova canção de Adam. Na madrugada deste sábado (16), foi a vez dele mesmo ir ao seu Twitter falar sobre o seu novo álbum. Confiram abaixo os últimos tweets de Adam:

Eu passei as últimas horas trabalhando em novas letras para o meu novo álbum. Estou ficando tão animado! Mal posso esperar para terminá-lo quando eu voltar para Los Angeles!

É tão gratificante ter diferentes projetos rolando ao mesmo tempo. Multitarefas é tão chique! (risos)

Adam também retwittou o tweet de uma fã, que enviou uma sugestão para a capa de seu novo álbum, com a legenda abaixo, confira:

@Kalebert_: Esta é a capa do novo álbum.

Adam Lambert – Eu juro que pensei que isso era couve.

Fontes: Adam Lambert TV e @adamlambert



O terceiro álbum de estúdio de Adam Lambert poderá ter o lançamento adiado para início de 2015

By in agosto 4, 2014 • Filed in: Álbum, Artigos e Entrevistas, Notícias

O terceiro álbum de Adam Lambert tem sido um forte tema de conversa entre os fãs e críticos desde o lançamento do seu segundo álbum em 2012, “Trespassing”. Enquanto originalmente o lançamento estava programado para 2014, agora parece que o álbum pode ser adiado até o início de 2015, devido ao enorme sucesso de sua turnê com o Queen.

Adam tinha dito algo anteriormente sobre a data de lançamento seu novo álbum para 2014: “Em teoria, sim. Se não, algo está seriamente errado.”

Mas o sucesso sem precedentes da turnê Queen + Adam Lambert em toda a América do Norte (EUA e Canadá) fez com que Roger, Brian e Adam estendessem o prazo de datas até a Austrália, Nova Zelândia e Ásia (Japão e Coreia). E recentemente, Brian May disse que provavelmente haverá mais datas por toda a Europa e Reino Unido, inclusive insinuando a possibilidade para outros países fora deste eixo.

E de acordo com o Click Music, uma fonte próxima a Adam, lhes informou “que a data original de lançamento do álbum de Adam em 2014 poderia realmente ter sido adiado para início de 2015, a fim de levar em consideração o seu trabalho com a banda e as exigências da turnê. Nós pedimos um comentário oficial da gravadora de Adam, mas não recebemos nenhuma resposta até p momento de escrever este artigo.”

Já temos publicado que ele vem trabalhando em seu novo material com grandes produtores de música, como Max Martin, na Suécia, inclusive revelando que o seu trabalho com o Queen libertou-o ainda mais sobre o álbum, abrindo as portas para um estilo mais experimental desta vez.

Fontes: Adam Lambert TV e Click Music

Tradução: Sandra Saez



“Playlist: The Very Best Of Adam Lambert” estreia na 14ª posição da Top Internet Albums da Billboard

By in junho 8, 2014 • Filed in: Álbum, Artigos e Entrevistas, Charts

De acordo com o The Hollywood Reporter, o novo álbum de Adam Lambert, lançado pela Sony Legacy no final de Maio, “Playlist: The Very Best Of Adam Lambert” estreou nas paradas da Billboard. Confira:

O vice-campeão da 8ª temporada entra no Top Internet Albums na 14ª posição

FOR YOUR ENTERTAINMENT [Para o seu entretenimento]: Uma coleção dos maiores sucessos, incluindo os singles “Whataya Want From Me” e “If I Had You”, traz Adam Lambert de volta nas paradas da Billboard. “Playlist” entra na parada Top Internet Albums na 14ª posição e na 187ª posição do Top Current Albums.

Lambert fez sua estreia na Billboard na semana de 6 de Junho de 2009, com a música “No Boundaries” e outros três títulos: “Mad World”, “A Change Is Gonna Come” e “One”. O vencedor da 8ª temporada, Kris Allen, viu sua versão de “No Boundaries” estrear na mesma semana. Ao fazer uma contagem regressiva a essa canção , podemos dizer que a carreira de Lambert se prolongou a 5 anos e uma semana. Explicando de outra forma, a estreia de “Playlist” marca o início da segunda metade da primeira década de Lambert nas paradas.

Fontes: Adam Lambert TV e The Hollywood Reporter



Review by A Pop Affair de “True” do DJ Avicii

By in junho 3, 2014 • Filed in: Álbum, Artigos e Entrevistas, Review

Nesta review do álbum “True” de Avicii, feita pelo site A Pop Affair, a música, “Lay Me Down”, que tem Adam Lambert nos vocais, e Nile Rodgers nas guitarras, é considerada a faixa mais forte do álbum. Confira a review completa a seguir.

TBT: True (Versões Spotify / iTunes / European Amazon Digital)

Álbum: True (Spotify / iTunes / European Amazon Digital Editions)
Artista: Avicii
Data de Lançamento: 17/09/2013

O DJ sueco Avicii lançou seu álbum de estreia True, em setembro do ano passado, e tomou o mundo da EDM de surpresa com a sua integração com o country, bluegrass e soul na música eletrônica. Sentindo a necessidade de interromper o estado atual da dance music que tem estado “meio presa”, Avicii lançou o carro-chefe do álbum, “Wake Me Up”, durante o Ultra Music Festival em Miami. A faixa, com participação nos vocais do cantor de soul americano Aloe Blacc, foi recebida de uma forma irritada dos participantes do festival que não sabiam como reagir ao som da canção folk. No dia do seu lançamento oficial, a faixa recebeu uma resposta positiva dos críticos, que elogiaram o rumo musical que Avicii estava seguindo, e chegou a alcançar o nº 1 em 22 países.

O segundo single do álbum, “You Make Me”, com a participação nos vocais do cantor pop sueco Salem Al Fakir, contou com as convenções tradicionais de indie rock; particularmente, o falsete de Fakir no refrão, cativa aos ouvintes, se tornou o single mais vendido. O terceiro single do álbum, “Hey Brother”, conta com vocais do cantor de bluegrass americano Dan Tyminski, mais as batidas e o banjo remixados, que resultou em outro sucesso dance. As faixas “Addicted To You”, com os vocais da nativa de Oklahoma Audra Mae, e “Lay Me Down”, foram, respectivamente, o 4º e 5º singles do álbum. Com a participação dos vocais poderosos do vice-campeão do American Idol Adam Lambert e do guitarrista Nile Rodgers, a música inspirada nos anos 70, “Lay Me Down”, é a faixa mais forte do álbum. “Heart Upon My Sleeve”, a faixa mais rock do álbum, fecha a versão padrão do álbum. A intenção original era apresentar os vocais do vocalista da banda Imagine, Dan Reynolds, mas a versão de “Heart Upon My Sleeve” no álbum ficou sem os vocais, se tornando decepcionante.

Das várias músicas bônus do álbum, a faixa de destaque é “All You Need Is Love” da versão Spotify. A alta energia vocal juntamente com um arranjo de piano que remete aos anos 80 é a mistura perfeita da assinatura do som de Avicii, nova e antiga.

VEREDITO: Em seu álbum de estreia, True, Avicii, habilidosamente combina elementos do folk, country e bluegrass em sua assinatura de músicas EDM. Com uma pequena ajuda de cantores dos dois lados do Atlântico, Avicii cria um álbum onde a prioridade foi dada para os vocais acima de tudo, embora nenhum dos vocalistas tenham recebido os créditos. E, por fim, há muita mistura de gêneros, apelando para os ouvintes que não apreciam a EDM, enquanto mantém todos os elementos que fizeram de Avicii um nome tão conhecido.

DESTAQUES: “Lay Me Down”, “All I Need Is Love, e “Liar Liar”.

OBSERVAÇÃO: 4 diferentes versões de True foram lançadas para diferentes compradores. A versão física do álbum contém o padrão de 10 faixas com cada uma das outras edições contendo faixas-bônus exclusivas para os compradores digitais. A versão Spotify contém duas faixas-bônus: “Canyons” e “All You Need Is Love”. A versão iTunes contém duas faixas-bônus: “Long Road To Hell” e “Edom”. A versão europeia da Amazon contém uma faixa-bônus: “Always On The Run”.

Fontes: @14gelly e A Pop Affair

Tradução: Leandro Ribeiro



Confira a Biografia de Adam Lambert no CD “Playlist: The Very Best Of Adam Lambert”

By in maio 27, 2014 • Filed in: Álbum, Notícias

Nesta terça-feira (27) foi lançado oficialmente o álbum “Playlist: The Very Best Of Adam Lambert” pela Sony Legacy, conforme já anunciamos aqui no site. Já publicamos a capa, contracapa e encarte, agora, confira a biografia presente no encarte:

Desde sua introdução ao público na música nas audições da oitava temporada de American Idol, Adam Lambert já deu provas mais do que tudo desde o início. Mesmo sem se relacionar com nenhuma gravadora, qualificação esta já bem conhecida por participantes do concurso, Lambert já tinha uma experiência considerável em performances: na comédia ao vivo no Upright Cabaret; como um membro da turnê nacional do musical Wicked, e na Europa, Hair – aquele clássico da Broadway e provando para pessoas notáveis como Melba Moore, Vicki Sue Robinson, Joan Armatrading e Donna Summer.

Arrasando com o painel de jurados e espectadores do Idol com performances impecáveis de “Bohemiam Rhapsody”, “Satisfaction” e “A Change Is Gonna Come”, Lambert se tornou a principal atração no início das votações com uma performance tocante da obscura “Mad World” do Tears For Fears que instantaneamente se tornou uma marca no Idol, desviando com segurança no repertório feminino com “Believe” de Cher, “What’s Up” do 4 Non Blondes, “If I Can’t Have You” de Yvonne Elliman e “Crying”, a balada rock-n-roll de Roy Orbison, agora, muitas vezes, identificada com K. D. Lang. Durante todo o tempo, os poderosos vocais de Lambert, sua persuasão e looks fabulosos o destacaram como um dos participantes mais intrigantes e provocativos do Idol. Depois de algumas semanas na TV Americana, em seu caminho para se apresentar e fazer uma turnê com o Queen como vocalista, Lambert havia se estabelecido, junto com seus seguidores fascinados e votantes do Idol: eles, e nós, éramos, e somos, Glamberts.

Antes do início da tradicional turnê pós-temporada de verão do Idol, Lambert estava planejando sua primeira turnê solo e gravando seu primeiro álbum, aparecendo na capa da Rolling Stone e se identificando como um homem gay. Quando o segundo álbum de Lambert na RCA, “Trespassing”, entrou na lista da Billboard dos EUA em primeiro lugar, muito foi falado na mídia sobre o fato de que pela primeira vez um cantor abertamente gay havia estreado em primeiro lugar com uma grande gravadora. Em resposta, Lambert garantiu ao Jornal Guardian do Reino Unido que ele não estava em uma missão social. Mesmo assim, a música “Aftermath” tem como base a introspecção e senso comum tiradas de lições da vida que eram apropriadas para a música pop, mas chegaram a tempo de expressar a mensagem junto à músicas de Katy Perry, Ke$ha, Pink, Lady Gaga e até mesmo na música country de Taylor Swift e Hunter Hayes. “If I Had You” junto à outras faixas do álbum também se juntou à uma parte predominante no pop, com seus ritmos eletrônicos que lembram os anos 80 e pop-funk dos anos 2000.

Se algumas dessas faixas se parecem com declarações de uma missão musical, isso se dá pela habilidosa fusão de pop mainstream e rock de esquerda, para não dizer alternativo, indicadores musicais de pop cultural e a sua clara convicção com relação a referida missão. E se essa não é a marca de um artista impecavelmente sincero… então eu te convido a ouvir um pouco da música. “Runnin'” provavelmente ajudará a mostrar os vocais insaciáveis de Lambert e as ambições do cantor, junto aos talentos melódicos de George Michael. Assim como “Trespassing”, a faixa disco-funk de Pharrell Williams, que que relembra o flerte com formadores de perfil como Queen, Blondie, Talking Heads e outros advindos da música dance urbana que se seguiu após a morte da disco; e “Never Close Our Eyes”, a música eletrônica dance-pop com elementos do rock e influências futurísticas cinematográficas no videoclipe, com imagens frias no refrão cheio de sentimento da música. No “Playlist” há também, entre outros, o primeiro hit internacional de Lambert e sua primeira performance nomeada ao Grammy, “Whataya Want From Me”, tanto a faixa quanto o vídeo mostrando um balanço entre emoções indie e astúcia pop; “Can’t Let You Go”, uma balada em que ele canta com guitarras, digna de qualquer música do Evanescence; o pop-rock “Better Than I Know Myself”, mais uma melodia provando que não é possível testar os vocais de Lambert; e a trilha sonora de Lambert, “Time For Miracles”, escrita para o filme “2012” de Hollywood, com uma leveza de country, mostrando o quanto esse gênero tem se aproximado do pop hoje em dia; e o cover de “Marry The Night” da Lady Gaga, interpretada com o elenco do programa de TV, Glee, no qual ele se juntou na terceira quinta temporada como um personagem temporário no papel de um cantor amador com uma voz incrível, personalidade e imaginação que combinam e a vontade de dominar – o que não foi difícil para esse artista, sinceramente.

Brian Chin
Brooklyn, Nova York
Abril/2014

Fontes: @LAMBERTLUST e @CaligirlRenee

Tradução: Carolina Martins C.
Agradecimentos: Glória Conde