Adam Lambert Invadirá Você!

(Clique na imagem para visualizá-la em tamanho maior)

Desde a apresentação bombástica e espetacular de Adam Lambert junto ao grupo Queen no EMA (European Music Awards), os holofotes têm se voltado para ele. Nessa semana, Adam anunciou através do twitter que o título do seu álbum será “TRESPASSING” e será lançado em 2012. Sabemos que em inglês o significado da palavra em si tem muito a ver com o contexto na qual ela está inserida, portanto para fazermos uma tradução fidedigna sobre o título do álbum, teremos que ouvir do próprio Adam maiores detalhes. Até agora sabemos através de algumas fontes, que se trata de um álbum de nível mais pessoal. Através do twitter, Adam disse que esse álbum levará seus fãs em uma “viagem selvagem”. Lambert disse para a “Out Magazine” que durante a criação do single do mesmo nome, feito em co-autoria com Pharrel Williams, a música representava um processo de “virada física”. Ele disse que ele e Farrel conversaram longamente sobre a vida e tudo o que ocorre durante o processo em si, em como ser um artista e em como lidar com adversidades. Disse também que a música que dá título ao álbum irá impressionar as pessoas de uma maneira muito positiva. Na mesma linha de inspiração ele trabalhou com outros artistas em co-autoria para as outras músicas.

Para entendermos o processo de criação que envolve Adam, façamos um retrocesso à época logo depois de ter deixado a turnê do American Idol, quando Adam já estava envolvido com seu primeiro álbum.

Segundo entrevistas e aparições na TV, Adam então possuía forte influência do “Glam Rock”, movimento tipicamente ligado aos anos 70 [ver nota 1]. Esse desejo estaria intimamente ligado à sua juventude, na qual ele passou ouvindo de Freddie Mercury e David Bowie à Madonna, e assistindo a filmes como “Velvet Goldmine” [ver nota 2]. Todas essas referências foram as responsáveis pelo nascimento de Adam como artista e parte de sua persona. O resultado artístico foi constatado no primeiro álbum “For Your Entertainment” e na “Glam Nation Tour” e espiritualmente manifestado em um show realizado em “Fantasy Springs” cujo ápice foi a sua interpretação acústica de “Whole Lotta Love” [ver nota 3].

Agora, numa fase mais madura, depois das suas várias interações com o público durante a Glam Nation Tour, a repercussão do American Music Awards de 2009 e a representatividade na comunidade GLBT e sempre atento ao que os seus fãs querem dele, ele diz que: “eu amo meus fãs e quero lhes dar músicas que eles tenham vontade de comer, mas também quero expandir minha audiência, se isso for possível” e: “eu quero fazer músicas para meus “irmãos e irmãs gays” e também o “tipo de música que você gostaria de ouvir se saísse para dançar”.

Podemos observar que existem dois lados: músicas para se ouvir antes de sair para dançar e outras impregnadas dessa fase mais madura de Adam, como ele mesmo declarou: “esse álbum tem um tom mais sério” e “esse álbum é um tratado de honestidade o que imprime um caráter mais real e pessoal, o último álbum foi mais uma fantasia e esse álbum é sobre o processo de busca da minha identidade”.

Enquanto esse ensaio estava sendo escrito, Adam confirmou o título do seu single no twitter: “Better Than I Know Myself” (“Melhor que eu me conheça”), que teria sido composta por Claude Kelly e produzida pelo hitmaker Dr Luke (a mesma dupla responsável pela música “For Your Entertainment”). Apesar de já existir uma versão para balada dessa música encontrada no Youtube e da letra ser bastante emocional, em se tratando de Adam sabemos que ele não gosta de imitações e adora inovar, portanto ela pode fazer parte do lado sério ou disco apesar da letra. Essa letra encontra correspondência com um trecho que foi divulgado pelo próprio Adam a respeito de uma das canções presentes no álbum: “all along, I tried to pretend it didn’t matter if I was alone…” (todo o tempo, eu tentei fazer de conta que não importava se eu estivesse sozinho).

De tudo se conclui que nesse processo de criação há maior independência na escolha do repertório e dos seus co-autores, ou seja, Adam e só Adam é o responsável pela sua forma e o conteúdo. Observa-se também que a vontade de Adam é a de projeção além do mundo Glam, ou seja, música para todos ouvidos, daquelas pessoas que usam glitter às que usam terno e gravata. Tudo sem perder o tempero típico, é claro. Também dentro desse nível de raciocínio uma capa mais minimalista [ver nota 4] é esperada, sem que haja a perda da identidade.

Lembremos que Adam sempre teve o temperamento aberto à mudanças e disse que não existe uma preparação verdadeira para uma carreira artística. É preciso vivenciá-la.

Dentro da sua vivência artística e fora da “rebeldia” pós American Idol, achamos que Adam está definitivamente pronto para entrar para a história da indústria da música e esse álbum será sua consagração.

Diga-nos o quão excitados vcs estão com o lançamento desse segundo álbum e como você acha que será!

NOTAS:

[1] Glam Rock: O Glam rock (abreviação de Glamour Rock) é um gênero musical (sendo um subgênero do rock) criado na Inglaterra, conhecido também como glitter rock. Foi um estilo de música nascido no final dos anos 60 e popularizado no início dos anos 70. Era principalmente um fenômeno inglês que foi difundido em meados de 1971 e 1973. Nos EUA, o Glam rock teve um menor impacto e foi apenas difundido por fãs de música nas cidades de Nova Iorque e Los Angeles. O Glam foi marcado pelos trajes e performances com muitos cílios postiços, purpurinas, saltos altos, batons, lantejoulas, paetês e trajes elétricos dos cantores. Eram os tempos da androginia e do glamour e suas músicas agitadas de rock n’ roll esbanjavam energia sexual. A ênfase lírica abordava a “revolução adolescente” (T. Rex – “Children of the Revolution”, Sweet – “Teenage Rampage”) assim como uma ampla notoriedade na direção de temas heterosexuais, sobre a decadência e fama. Os cantores de Glam freqUentemente vestem-se de forma andrógina, com maquiagem vistosas, trajes extravagantes não diferentes aos que Liberace e Elvis Presley vestiam quando tocavam em cabarés. Um exemplo famoso seria David Bowie durante a fase de Ziggy Stardust e Aladdin Sane. AmbigUidade sexual percebida era em resumo uma moda: algumas bandas começaram a tocar com trajes patentemente ridículos. O Glam Rock se diferencia do Glam Metal, por ter um som menos pesado. (Wikipédia)

[2] Veja aqui o trailer do filme “Velvet Goldmine”.

[3] Veja aqui o vídeo da performance de “Whole Lotta Love” em 27/02/10 no Fantasy Springs.

[4] Design minimalista: Mesmo com certas divergências, o design minimalista, surgido na década de 80, pode ser tido como uma reação aos movimentos pós-modernos no design, como os grupos Memphis e Alchymia. Contrapondo-se à grande variação cromática, formal e simbólica presente nos objetos projetados por ambos os grupos, o design minimalista acaba por criar produtos baseados numa redução formal extremamente forte e no uso de cores neutras (ou mesmo ausência de cores). No entanto, ao tratar o projeto apenas como antítese ao design pós-moderno, muitos designers minimalistas acabaram por abrir mão de aspectos, por exemplo, ergonômicos em prol da redução visual do produto. Podemos verificar tais características, por exemplo, nos projetos do também artista Donald Judd, ou nos primeiros trabalhos de Philippe Starck, do grupo Zeus, Shiro Kuramata, John Pawson, etc. E aqui pode-se encontrar um ponto que o coloca como diametralmente oposto ao design funcionalista, e aproximando-o daqueles a que inicialmente havia se contraposto: a maior preocupação formal do que projetual traz o design minimalista para o grupo do design pós-moderno na medida em que abre mão de ideais ditos modernos para uma adequação ao gosto individual, como o que fizeram Memphis e Alchymia. Ao contrário do movimento Funcionalista alemão, que procurava a partir do bom projeto levar à maior parte das pessoas clareza cognitiva e ergonômica nos produtos, o design minimalista acabou focado em uma parcela da população, chamada de Yuppies, ou novos ricos, que a partir do despojamento formal de seus objetos, pretendiam expor sua riqueza. (Wikipédia)

Fontes: Billboard, Examiner (1), Examiner (2) e Zap 2 it

Texto e Criação & Arte: Mônica Smitte

Compartilhar
FacebookTwitterEmailTumblr

12 Comments

  1. A Demo desta música é muito linda!!!
    A melodia então é daquelas que ficam na cabeça mesmo… com certeza será um hit!!!
    Não vejo a hora de ouvir na voz do próprio ADAM!!!
    Sucesso com certeza!!!

    E parabéns pelo ensaio minha querida, como sempre vc arrasaaaaaaaaaaa!!!

    1
  2. Aiii confesso que o titulo do pos me deixou excitada kkkkkk Este cd vem pra invadir tudo e abocanhar prêmios, como Adam é o produtor executivo do mesmo tenho certeza será uma EXpLOSÃO, estou muito animada, feliz, excitada, comovida, sem palavras e LOUCA para ouvir as músicas. Moooo arrasou de novo gata parabéns *-*

    2
  3. E HOJE TEM O AMA E VAI SER BAPHO TODO MUNDO QUERENDO FALAR COM ADAM SOBRE O CD E O SINGLE. OREMOS PRA ELE CANTAR UM TRECHO NO PALCO QDO FOR APRESENTAR O PREMIO

    3
  4. Ai meninas, obrigada! P mim é um prazer escrever sobre ele. Sei que esse ensaio está meio “técnico” demais, mas pra quem gosta dele, é imprescindível saber todas essas informações..para entender a jornada e saber que essa coroa que vai ser posta na cabeça dele…é mais que merecida. Hoje é dia de AMA!!! Estou muito feliz! (:

    4
  5. Ale nossa esse é o meu sonho de hj!! Enquanto estiver discursando para apresentar o prêmio, cantarolar um pouco do single!!! Lady Gaga não fez isso uma vez?!! E super curiosa tb pra ver quem ele irá apresentar, desde que ele é fã de vários que estão concorrendo como Adele, Lady Gaga (ela não estará presente, pois senão me engano está em turnê), Bruno Mars, Adele (será que ela vai comparecer?, tadinha espero que tenha melhorado), Jessie J…

    5
  6. Mozinhaaaa!!!! Ah, Mo, tá técnico mesmo!!!!Mas tá demais, arrasou nas informações….mas vou ficar esperando ANSIOSAMENTE seu outro ensaio, este quando sair o CD…. que alías está matando demais a gente de ansiedade, curiosidade, desespero, dor de cabeça de angústia da espera… mas com a mais absoluta certeza: VAI VALER MUITO A PENA tudo isso!!!! Se eu não morrer até lá… Mo, novo ensaio, please, agora com toda aquela emoção que transborda de você quando escreve sobre o Adam…. amo!!!!!!! 🙂

    6
  7. Oi Graaaaaa!!! Só tive tempo de ler seu comment agora! Eu sei ficou técnico mesmo…agora que vai dar um tempo na vida profissional, minhas emoções voltam nos eixos! OBRIGADA QUERIDA!

    7
  8. Já me invadioo desde a primeira que eu vi seu clipe no Tvz já era achei em quem me inspirar no meu estilo é alem de tudo as musicas são mtoo linda!!ADAM SEMPRE um dia vou ser um adam no stilo porque na voz é unico ele/

    8
  9. Amei esse texto assim como todos os outros que sao profundos e lindos dmais. Esse cd do Adam Trespassing é o melhor de 2012. Eu escuto quase 24 horas por dia as musicas do cd. Esse cd tem mesmo os 2 lados o ”sombrio” e o ”claro” ou melhor dizendo o ”vulneravel” e o ”dancante”. Esse cd é incrivel e todas as musicas tambem. As vulneraveis mexem tanto comigo que me emocionam e quando vejo as traduçoes delas é exatamente o que sinto e faz eu pensar ” ah que incrivel isso um cantor como ele que toca meu coraçao com sua voz e sua letra encantadora” eu devo tudo ao Adam pois as musicas dele me ajudam muito nos momentos dificeis e faz eu me levantar e seguir em frente e me confortam e consolam e a parte “dancante” faz eu me animar 100% e alias todas as musicas do Adam é minha paixao pois atinge minhas morais diariamente. Isso se chama viver a vida ao maximo. Ressumindo esse cd Trespassing parece que foi feito pra mim.

    9
  10. Halahlujle! I needed this-you’re my savior.

    10
  11. Jag gillar verkligen att ha gångar lite här och där i min trädgård, men har inte orkat få till dom riktigt än det är ju så mycket som ska göras!!=) men drömmer om mina stenlagda gångar som ska slingra sig fram. Tack för tipset gillar gångar. Ha en fin helg/Gela Helt underbar skiss!!!!

    11

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *